A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
19 pág.
ATUAÇÃO DO ASSINTENTE SOCIAL NA SAUDE MENTAL

Pré-visualização | Página 1 de 2

ATUAÇÃO DO ASSISTENTE SOCIAL NA SAÚDE MENTAL E SEUS DESAFIOS.
ATUAÇÃO DO ASSISTENTE SOCIAL NA SAÚDE MENTAL E SEUS DESAFIOS.
Trabalho de Conclusão de Curso 
2020
SUMÁRIO
1. INTRODUÇÃO	04
2. DELIMITAÇAO E FORMULAÇÃO DO PROBLEMA 	04
3. FORMULAÇÃO DOS OBJETIVOS GERAL E ESPECIFICOS ........................04
4. JUSTIFICATIVA ................................................................................................05
5. METODOLOGIA ..............................................................................................06
6. REVISÃO BIBLIOGRAFICA .............................................................................06
7. CRONOGRAMA DA PESQUISA (REVISAO SOBRE O TEMPO PARA DESENVOLVIMENTO DA PESQUISA)............................................................07
8. ORÇAMENTO ..................................................................................................07
9. RESULTADOS ESPERADOS...........................................................................07
10. REFERENCIAS.................................................................................................08
1. INTRODUÇÃO
O estudo tem como tema a inserção do Serviço Social no campo de
saúde mental, tratando de forma mais abrangente o trabalho realizado junto aos
portadores de transtorno mental e seus familiares.
A presente pesquisa destina-se compreender a atuação profissional
do Assistente Social juntos aos portadores de transtorno mental e seus familiares no
Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), com instituto de buscar o resgate da
cidadania, autonomia e a reinserção social do usuário na sociedade o qual faz parte,
considerando que, atualmente, os portadores de transtornos mentais são na maioria
das vezes, submetidos ao preconceito, discriminação e exclusão social. Assim,
percebe-se que as principais causas de resistência dos usuários em procurar o
serviço em saúde mental estão vinculadas, muitas vezes, à falta de apoio dos
familiares e, também, por falta de orientações e ações efetivas referentes aos CAPS.
Apresenta também os conceitos como a origem do Serviço Social
como profissão juntamente como a evolução da Política Social no Brasil, a
contextualização da saúde mental, Reforma Psiquiátrica, Centro de Atenção
Psicossocial, o destaque das relações familiares, bem como apresentação da família
cuidadora e os desafios postos a essas famílias, as áreas de atuação do Assistente
Social em saúde mental, como se da o trabalho interdisciplinar e a intervenção
desse profissional junto à família. O tema é vigente e relevante, tornando se imprescindível uma ampla e justa discussão, porque trata de assunto que tem por finalidade a defesa da dignidade humana, a emancipação e a integração do doente mental na família e na sociedade. Durante um monitoramento voluntário que aconteceu no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), onde tive a oportunidade de vivenciar a prática profissional do assistente social com os usuários dos serviços de saúde mental, o contato mais próximo com a família acontecia nas visitas domiciliares, onde era oportuno conhecer o contexto familiar, econômico e social do individuo, no decorrer deste processo de conhecimento prático foi possível assimilar a grande importância do profissional do serviço social no âmbito da saúde mental. Assim, despertando em mim o interesse em pesquisar e conhecer o processo histórico e social da saúde mental, e também em aprofundar mais o conhecimento sobre a intervenção do serviço social no campo da saúde mental, compreendendo principalmente as ações do profissional em conjunto com a família e usuários no CAPS.
Tendo com propósito investigar o relevante papel desenvolvido pelos Assistentes Sociais inseridos na política de saúde mental, assim como qualificar o papel da participação e acompanhamento da família, na condição social do portador de transtorno mental que são frequentemente intitulados de loucos, maluco, doente mental, e entre outros termos estigmatizastes que apenas contribuem para a reprodução da discriminação, e os desafios que se apresentam a família do portador de transtorno mental, pois ela encontra-se estável em diferentes aspectos, principalmente pela dificuldade no convívio junto a este sujeito, que alterna com fortes crises e agressividade colocando-se como obstáculo pra a procura de apoio e orientação. Propõe-se então uma investigação bibliográfica com a seguinte indagação: Analise social da problemática focalizando a política voltada à atuação do Assistente Social junto à família do Portador de Transtorno Mental.
 Além disso, este trabalho oferece ao profissional do serviço social subsídios que reorienta a elaboração de ações positivas em relação à saúde mental e, consequentemente, o provimento de práticas assistenciais que envolvam tanto os usuários quanto os familiares para deste modo, proporcionar apoio e prevenção a este fato. A realidade histórica da saúde mental carece de transformações, no entanto, essas mudanças dependem da interpretação, exigência e compromisso daqueles que atuam na área da saúde mental. Do mesmo modo, torna-se preocupante a questão emocional e assistencial da família em acolher e cuidar do doente mental. Assim, buscam-se instrumentalizar o assistente social, no que diz respeito ao planejamento, execução, acompanhamento, intervenção e avaliação de ações em prol da concretização da saúde e bem estar-psíquico do usuário como um todo, bem como o assegurar o acesso dos direitos sociais.
2. DEMILITAÇÃO E FORMULAÇÃO DO PROBLEMA
atuação profissional do assistente social frente aos portadores de transtornos mentais e seus familiares no caps.
3. FORMULAÇÃO DOS OBJETIVOS GERAL E ESPECIFICOS
OBJETIVO GERAL
Descrever a atuação do assistente social frente à saúde mental.
 OBJETIVOS ESPECIFICOS
 ● Analisar o Serviço na viabilização dos sociais do usuário de saúde mental, bem como  a sua reinserção social;
● Compreender o CAPS enquanto instituição de saúde mental;
● Enunciar o Serviço Social como uma profissão interventiva;
● Relatar os desafios do Serviço Social junto aos usuários e seus familiares
4. JUSTIFICATIVA 
Trazer reflexão sobre a importancia do serviço social na vida da pessoa com sofrimento mental e da familia;
Enfatizar a viabilização dos direitos sociais e reinserção social;
Fortalecimento de vinculo do usuario com a familia;
5. METODOLOGIA 
A metodologia utilizada foi a da pesquisa bibliográfica e a estruturação de um projeto de pesquisa, analisando o contexto em que estão inseridos os portadores de doença mental. E ainda, para acompanhar essa reflexão elencam-se pensamentos e estudos Cloninger (2010), Pitta (2001), Peplau (1993), Amarante (2007), Luz (1994), Oliveira (1992), Lobosque (2003), Vasconcelos (2000), Melman (1998), Mioto (2002), Rosa (2008), Mello (2007) e outros autores renomados, reúnem assim, fundamentos e alguns aportes das teorias sobre a saúde mental, conteúdo que contextualiza este trabalho.
5.1 Método
Pesquisa bibliografica
6. REVISÃO BIBLIOGRAFICA 
 6.1 O autor Pitta (2001) saúde mental é o pleno bem-estar psíquico, estilo de vida saudável, relações harmônicas entre famílias, amigos, amantes, povos, nações.
6.2 o autor Peplau (1993), o mesmo determina conceitos de saúde mental. Na linha de pensamento da autora, a saúde mental é avaliada como ocorrência de saúde que se depara como uma qualidade dinâmica que aceita à pessoa vivenciar um conhecimento em potencialidade do bem-estar físico e social e que constitui no indivíduo uma propriedade de viver bem e em consonância com os outros. Nesse sentido, o individuo pode ser afetado por problemas de saúde mental decorrentes de várias situações da vida sejam eles, biológicos, psicológicos ou socioculturais, ocasionando, portanto inquietações na saúde mental.
6.3 Para Palomba (2003), destacar que a mais antiga doença mental levou o nome de epilepsis (epi, o que está acima; lepsis, abater). Os antepassados ponderavam que o diabo vinha de cima e abrandava o indivíduo.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.