A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Resenha: Os Condenados da Terra (Frantz Fanon)

Pré-visualização | Página 2 de 2

cultura é 
antes de mais nada nacional". 
 
Para o autor, o intelectual colonizado terá que perceber que uma cultura nacional 
não é uma realidade histórica esperando para ser descoberta em um retorno à 
história e tradição pré-colonial, mas já existe na realidade nacional presente. Lutar 
pela libertação nacional é lutar por um lugar onde se possa cultivar uma cultura 
própria, já que, para Fanon, não pode existir uma cultura nacional sob condições de 
 
dominação colonial. A construção de uma cultura nacional não é um fim em si 
mesmo, mas uma 'etapa' em direção a uma solidariedade internacional maior. 
 
GUERRA COLONIAL E PERTURBAÇÕES MENTAIS 
→ ​Fanon traz, ao fim da obra, uma reflexão sobre as perturbações mentais que a 
violência colonial acarreta para o povo colonizado 
● como torturas causam fissuras na psique dos que lutaram pela 
independência colonial 
● páginas 211 e 212 
 
 
 
p.213 
 
As observações psiquiátricas de Fanon retratam o período que vai de 1954 a 1959 
em que relata os tipos de violência colonial cometidos na Argélia e os problemas 
psiquiátricos decorrentes de cada um deles. 
 
CONCLUSÃO 
Por fim, Fanon conclui Os Condenados da Terra com um manifesto pela revolução e 
com um chamado à luta pela independência aos povos colonizados. “Pela Europa, 
por nós mesmos e pela humanidade, camaradas, temos de mudar de procedimento, 
desenvolver um pensamento novo, tentar colocar de pé um homem novo.”