A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
FARMACOLOGIA DA ASMA- RESUMO

Pré-visualização | Página 2 de 3

liso por mecanismos celulares e moleculares descritos 
anteriormente (i. e., diminuição do cálcio intracelular, aumento da condutância de potássio da 
membrana e redução da fosforilação da cadeia leve de miosina). O efeito broncodilatador das 
 
 
BEATRIZ GURGEL - MEDICINA UFMS CPTL 
FARMACOLOGIA DA ASMA 
 
 
metilxantinas resulta da alteração da mesma via iniciada pelos agonistas β2, embora as metilxantinas 
atuem distalmente à estimulação dos receptores β2-adrenérgicos. 
 
Teofilina relaciona-se estruturalmente com cafeína, da qual difere apenas por um único grupo metila, e 
tanto cafeína quanto teofilina são antagonistas dos receptores de adenosina. Os receptores de 
adenosina são expressos em células do músculo liso das vias respiratórias e mastócitos, e o 
antagonismo desses receptores poderia desempenhar um papel na prevenção de broncoconstrição e 
inflamação. Com efeito, o café tem sido usado no tratamento da asma. Entretanto, experimentos com 
antagonistas específicos dos receptores de adenosina que não inibem a fosfodiesterase demonstraram 
pouca broncodilatação, sugerindo que a inibição da fosfodiesterase constitua o principal mecanismo de 
ação das metilxantinas. Todavia, o antagonismo dos receptores de adenosina é responsável por muitos 
dos efeitos secundários de teofilina, incluindo aumento da ventilação durante a hipóxia, maior 
resistência dos músculos diafragmáticos e diminuição da liberação de mediadores estimulados pela 
adenosina dos mastócitos. Além disso, alguns dos efeitos adversos da teofilina, como taquicardia, 
agitação psicomotora, secreção gástrica de ácido e diurese, são mediados por meio do antagonismo 
dos receptores de adenosina. 
 
O ATP além de ser molécula energética, também atua como mediador em sinapse. Pode ativar 
receptores PDX, quando ativados sinalizam dor e inflamação. Quando o ATP extravasa na célula, é 
metabolizado e convertido em ADP que atua em receptores P2Y, acoplados à proteína G, relacionados 
a agregação plaquetária. 
O ADP pode ser produzido por degradação de ATP ou exocitose de células. Além de ser transformado 
em adenosina sinalizar um controle de homeostase, broncoconstrição, vasoconstrição e inflamação. 
Essa transmissão purinérgica é orquestrada. 
Ao utilizar metilxantina junto com agonistas B2, terei um efeito sinérgico. 
 
No componente inflamatório, os principais efeitos são reduzir produção de mediadores, LT,PG, e 
também redução das citocinas, que ajudam a construir fase inflamatória tardia. 
Além disso, temos efeitos nos componentes estruturais, teofilina causa broncodilatação por mecanismo 
de ação, que estão relacionados aos efeitos agudos. Teofilina causa vasoconstrição. Quando ativados 
os receptores de Adenosina causa vasodilatação, por isso, ao utilizar antagonistas tenho efeitos 
contrários. 
 
 
✓ Broncodilatação, ↓muco; 
✓ ↓Migração leucocitária pulmonar; 
⌐ Estimulação SNC (atenção, alerta, memória, ↓fadiga, convulsão); 
⌐ ↑Absorção TGI (↑vasodilatação TGI) 
⌐ ↑Diurese (↑vasodilatação renal); 
 Diarreia, vômito, náusea... 
 ↑Contração cardíaca (IAM); 
 ↑Vasoconstrição (coração/meninges); 
 Teratogênico (↑dose)? 
 
 
BEATRIZ GURGEL - MEDICINA UFMS CPTL 
FARMACOLOGIA DA ASMA 
 
 
Podem ser associados com corticoides para diminuir efeitos da fase tardia. 
 
 
 
ANTAGONISTAS DE RECEPTORES MUSCARÍNICOS 
✓ Adjuvantes no tratamento da tosse asmática. 
Voltadas para o controle de muco e não para a broncodilatação. 
Ipratrópio- possui uma carga iônica, vantajoso pois sua carga é negativa e interage com as cargas 
iônicas positivas no trato respiratório. 
 
⌐ Bloqueio não-seletivo (M2, autoreceptores, ↓eficácia);. Ou seja, bloqueia qualquer receptor 
muscarínico. Quem controla no respiratório são os M3, no entanto, o M2 está presente na pré sinapse, 
inibindo a inibição da via colinérgica, aumentando a acetilcolina, competindo pelo antagonismo M3. 
⌐ ​↓Absorção (↓efeito sistêmico); 
✓ Broncodilatação (↓); 
✓ ↓Muco (produção/depuração);Reduz secreções quanto depuração, ou seja, limpa as vias. 
 - Sem efeito na fase tardia/inflamatória. 
 
Antagonistas de receptores histamínicos (H1) 
 
✓ Broncodilatação- bom para fase aguda 
✓ ↓Prurido / ↓Edema- bom para fase aguda 
✓ Rinites alérgicas 
Só eficaz em asma alérgica (atópica) 
 
Histamina e reações alérgicas 
⌐ Prurido e dor; 
⌐ Edema, rubor e calor; 
⌐ Broncoconstrição e ↑muco; 
⌐ Edema de glote; 
⌐ ↓PA e choque. 
 
As últimas 3 se referem à reação anafilática, ou seja, onde meu processo de liberação histamina é 
sistêmico. A adrenalina vem no sentido de antagonizar esses efeitos. 
 
Existem os de 1 e 2 geracao. Os da 1 atravessam barreira hematoencefálica e os de 2, sim. 
Os de 1 geração tem efeitos antieméticos e efeitos centrais. 
A histamina também é relacionada a neurotransmissor. 
 
Efeitos indesejados: agem em receptores que aumentam sedação e fome.Isso é importante pq 
antidepressivos que possuem efeitos anti histamínicos. Além disso, pode levar à taquicardia reflexa, , 
xerostomia, retenção urinária e até hipotensão. 
Parei nos dois últimos áudios. 
 
 
BEATRIZ GURGEL - MEDICINA UFMS CPTL 
FARMACOLOGIA DA ASMA 
 
 
 
Antagonistas de receptores de cisteinil-leucotrienos (terminam com CASTE) 
 
O ácido araquidônico é um precursor tanto da prostaglandina quanto dos leucotrienos. Por ação da 
COX, prostaglandinas e LOX leucotrienos. 
Quando bloqueio COX, deixo toda cascata aberta para LOX e produzir leucotrienos, que causam 
broncoconstrição. 
Esses fármacos nao impedem formacao de Leucotrienos, mas sim a acao deles. nos receptores, por 
isso são antagonistas. 
Sao adjuvantes, pois sozinhos nao sao eficientes e em geral, sao associados à corticoides. 
 ✓ Adjuvantes (+corticoide); 
✓ Broncodilatação leve (↓β2); 
✓ ↓Fase aguda/tardia (alérgenos); 
✓ ↓Eosinófilos; 
✓ ↓Reação a AINES- reduz chances de broncoespasmos. 
Cefaleia e distúrbios TGI. 
 
 
Anti-inflamatórios esteroidais 
 
Corticosteróides alteram a transcrição de muitos genes. Em geral, aumentam a transcrição de genes 
que codificam o receptor β2-adrenérgico e diversas proteínas anti-inflamatórias como IL-10, IL-12 e 
antagonista do receptor de IL-1 (IL-1Ra). Corticosteróides diminuem a transcrição de genes que 
codificam numerosas proteínas pró-inflamatórias (e outras proteínas); 
Inibem/previnem o componente inflamatório (ambas as fases). Reduzem fosfolipase A2 por efeitos 
gênicos e aumentar transcrição de mediadores anti inflamatórios, impedindo assim a degradação de 
fosfolipídios e formação de ácido araquidônico. Anti Inflamatório normalmente demora em torno de 1 
semana. 
Consequência direta, redução de leucotrienos e redução de broncoconstrição, muco, edema. Além da 
redução de prostaglandinas, menor redução de inflamação, menos prostaciclina menos edema e 
tromboxanos, evita agregação plaquetária. 
TIRO DE CANHÃO. 
Casos levem pode ser tratado apenas com broncodilatadores. 
Corticoides são lipossolúveis, atravessam membrana nuclear e se ligam à receptores GR, alterando a 
transcrição. 
 
 
 
BEATRIZ GURGEL - MEDICINA UFMS CPTL 
FARMACOLOGIA DA ASMA 
 
 
 
Inibem/previnem o componente inflamatório (ambas as fases). Evitam que a fase tardia se construa ao 
longo do tempo. 
✓ Uso profilático/manutenção (↓progressão); 
✓ ↑Eliminação pré-sistêmica preferida- via de administração. Possuem grande eliminação pelo 
mecanismo de 1 passagem no fígado. 
X Latência para efeito pleno (semanas/meses). 
X Evita-se uso crônico