A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Lei 8.112/90 - Estatuto dos Servidores Públicos da União - Resumo

Pré-visualização|Página 1 de 1

Lei 8.112/90 - Estatuto dos Servidores Públicos da União - Resumo


Lei 8.112/90 – Regime Jurídico dos Servidores Públicos é o conjunto de princípios e regras referentes a direitos, deveres e demais normas que regem a sua vida funcional. 

Das Disposições Preliminares 

Art. 1º Esta Lei institui o Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União, das autarquias, inclusive as em regime especial, e das fundações públicas federais. 

Art. 2º Para os efeitos desta Lei, servidor é a pessoa legalmente investida em cargo público. 

Art. 3º Cargo público é o conjunto de atribuições e responsabilidades previstas na estrutura organizacional que devem ser cometidas a um servidor. 

Parágrafo único. Os cargos públicos, acessíveis a todos os brasileiros, são criados por Lei, com denominação própria e vencimento pago pelos cofres públicos, para provimento em caráter efetivo ou em comissão. 

 

CARGO PÚBLICO – é o conjunto de atribuições e responsabilidades que devem ser cometidas a um servidor. 

São criados por Lei, com denominação própria e vencimento pago pelos cofres públicos, para provimento em caráter efetivo ou em comissão. (Art. 3º, parágrafo único). 

 

Requisitos de aquisição aos Cargos Públicos: 


Art. 5º São requisitos básicos para investidura em cargo público: 

I - a nacionalidade brasileira; 

II - o gozo dos direitos políticos; 

III - a quitação com as obrigações militares e eleitorais; 

IV - o nível de escolaridade exigido para o exercício do cargo; 

V - a idade mínima de dezoito anos; 

VI - aptidão física e mental; 

 

A Lei 8.112/90 permite que a inserção no cargo possa dar de duas formas


- Por meio de concurso público de provas ou provas e títulos. Nessa situação, o servidor tem um CARGO EFETIVO

- Sem necessidade de concurso público. São os chamados CARGOS EM COMISSÃO, declarados pela própria Constituição Federal de cargos livres de provas ou provas e títulos. 

 HTML image 0 


Art. 6º O provimento dos cargos públicos far-se-á mediante ato da autoridade competente de cada Poder. 

Art. 7º A investidura em cargo público ocorrerá com a posse. 

 Art. 8º São formas de provimento de cargo público: 

I - nomeação; 

II - promoção; 

III e IV (Revogados); 

V - readaptação; 

VI - reversão; 

VII - aproveitamento;

VIII - reintegração;

IX - recondução. 

 

NOMEAÇÃOé um ato administrativo quando se atribui um cargo a alguém. 

- Em caráter efetivo – dependem de prévia habilitação em concurso público de provas ou de provas e títulos. 

- Em comissão – declarado em Lei de livre nomeação e exoneração, para cargos de confiança. 

PROMOÇÃO – representa a progressão vertical na carreira, passando de uma classe para outra. 

READAPTAÇÃO é a investidura do servidor em cargo de atribuições e responsabilidades compatíveis com a limitação que tenha sofrido em sua capacidade física ou mental verificada em inspeção médica iguais ou assemelhadas. 

REVERSÃO é o retorno à atividade de servidor aposentado. 

APROVEITAMENTO é o retorno à atividade do servidor estável em disponibilidade em cargo de atribuições e vencimentos compatíveis com o anteriormente ocupado. 

REINTEGRAÇÃO é o retorno do servidor estável no cargo anteriormente ocupado, ou no cargo resultante de sua transformação, quando invalidada a sua demissão por decisão administrativa e judicial, com ressarcimento de todas as vantagens. 

RECONDUÇÃO é o retorno do servidor estável ao cargo anteriormente ocupado. 

 

Regras aplicadas ao Concurso Público: 

 

Art. 9º A nomeação far-se-á: 

I - em caráter efetivo, quando se tratar de cargo isolado de provimento efetivo ou de carreira. 

II - em comissão, inclusive na condição de interino, para cargos de confiança vagos. 

Art. 10. A nomeação para cargo de carreira ou cargo isolado de provimento efetivo depende de prévia habilitação em concurso público de provas ou de provas e títulos, obedecidos a ordem de classificação e o prazo de sua validade. 

A nomeação é denominada chamamento para posse. A partir dela, o prazo é de 30 dias para a posse. A investidura do cargo público se dá com a posse e, depois dela, o servidor tem 15 dias para entrar em exercício. 

Art. 11. O concurso será de provas ou de provas e títulos, podendo ser realizado em duas etapas, conforme dispuserem a Lei e o regulamento do respectivo plano de carreira, condicionada a inscrição do candidato ao pagamento do valor fixado no edital, quando indispensável ao seu custeio, e ressalvadas as hipóteses de isenção nele expressamente previstas.

Art. 12. O concurso público terá validade de até 2 (dois) anos, podendo ser prorrogado uma única vez, por igual período. 

§ 1º O prazo de validade do concurso e as condições de sua realização serão fixados em edital, que será publicado no Diário Oficial da União e em jornal diário de grande circulação. 

§ 2º Não se abrirá novo concurso enquanto houver candidato aprovado em concurso anterior com prazo de validade não expirado. 

Art. 13. A posse dar-se-á pela assinatura do respectivo termo, no qual deverão constar as atribuições, os deveres, as responsabilidades e os direitos inerentes ao cargo ocupado, que não poderão ser alterados unilateralmente, por qualquer das partes, ressalvados os atos de ofício previstos em Lei. 

§ 1º A posse ocorrerá no prazo de trinta dias contados da publicação do ato de provimento.  

Art. 15. Exercício é o efetivo desempenho das atribuições do cargo público ou da função de confiança.

§ 1º É de quinze dias o prazo para o servidor empossado em cargo público entrar em exercício, contados da data da posse. 

 

Estágio Probatório: 

 

Segunda decisão do Superior Tribunal de Justiça, o prazo do estágio probatório é de 3 anos, o que tornou o artigo 20 da Lei 8.112/90 sem eficácia no que tange ao prazo. 

Art. 20. Ao entrar em exercício, o servidor nomeado para cargo de provimento efetivo ficará sujeito a estágio probatório por período de 24 (vinte e quatro) meses, durante o qual a sua aptidão e capacidade serão objeto de avaliação para o desempenho do cargo, observados os seguinte fatores:       (Vide EMC nº 19)

I - assiduidade; 

II - disciplina; 

III - capacidade de iniciativa; 

IV - produtividade; 

V responsabilidade; 

 

Estabilidade: 

 

Art. 21. O servidor habilitado em concurso público e empossado em cargo de provimento efetivo adquirirá estabilidade no serviço público ao completar 2 (dois) anos de efetivo exercício.

(Prazo: 3 anos - Vide EMC nº 19) 

Art. 22. O servidor estável só perderá o cargo em virtude de sentença judicial transitada em julgado ou de processo administrativo disciplinar no qual lhe seja assegurada ampla defesa. 

Aqui o que vale é a regra do artigo 41º da Constituição Federal. 

Art. 41. São estáveis após três anos de efetivo exercício os servidores nomeados para carga de provimento efetivo em virtude de concurso público. 



HTML image 1

Instagram / Facebook / Telegram / Reddit