A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
14 pág.
RECURSOS NO PROCESSO DO TRABALHO

Pré-visualização | Página 1 de 3

RECURSOS NO PROCESSO DO TRABALHO 
Provocação do reexame de decisão proferida pela autoridade hierarquicamente 
superior ou pela própria autoridade prolatora da decisão, que objetiva sua reforma ou 
modificação. 
Remédio processual concedido às partes para que a decisão judicial impugnada seja 
submetida a novo julgamento, seja pela autoridade superior ou pela que proferiu a 
decisão. 
Natureza jurídica: duas correntes, a minoritária sustenta que é uma ação autônoma, 
já a majoritária afirma que seria o prolongamento do exercício da jurisdição dentro 
do mesmo processo. 
JUÍZO DE ADMISSIBILIDADE 
 O apelo é submetido para análise de dois juízos de admissibilidade: 
• Juízo a quo: prolator da decisão impugnada 
• Juízo ad quem: competente para julgar o recurso 
O Objetivo é verificar a presença dos pressupostos recursais, também chamados 
de requisitos de admissibilidade, se estiverem presentes o recurso será conhecido. 
O juízo ad quem poderá conhecer o recurso que não foi conhecido pelo juízo a quo 
e vice e versa. 
PRESSUPOSTOS PROCESSUAIS INTRÍNSECOS E EXTRÍNSECOS 
1. EXTRÍNSECOS- OBJETIVOS 
• Recorribilidade do ato: o ato deve ser recorrível. 
• Adequação: a parte deve utilizar o recurso adequado. 
• Tempestividade: Deve ser interposto dentro do prazo legal. 
Quanto a tempestividade existem diferentes questões, principalmente quanto á 
contagem de prazo para pessoas jurídicas de direito público e MP. Outra 
questão é o recesso forense e feriados em que se suspende o expediente além 
de feriados locais onde a parte está obrigada a comprovar a exist~encia. 
• Preparo: O recorrente deve recolher as custas e depósito recursal. 
As custas devem ser pagas pelo vencido, após trânsito em julgado da decisão, 
art. 789, § 1º, da CLT, em caso de recolhimento insuficiente o recorrente deverá 
ser intimado para complementar no prazo de 5 dias (art. 1007, §2º do CPC. O 
valor será estipulado entre 2% e no máximo 4 vezes o valor máximo do limite 
do benefício do RGPS. 
O depósito recursal objetiva garantir o juízo para o pagamento de futura 
execução, portanto só será realizado pelo empregador ou tomador dos 
serviços, o valor a ser depositado deve ser o da condenação, no entanto 
limitado ao teto estabelecido pelo TST, quais sejam: Para Recurso Ordinário o 
valor de R$ 9,189,00 e pra Recurso de Revista, REXT e Recurso Ordinário em 
Ação Rescisória o valor de R$ 18.378,00. Para Agravo de Instrumento o valor 
será de 50% do valor efetuado referente ao recurso que não foi conhecido (art. 
899, §7 º, CLT). O depósito recursal deve ser realizado quando houver decisão 
condenatória de pagar quantia, sendo devido também em caso de Recurso 
Adesivo. O Art. 899, §§ 9 e 10 da CLT prevê a isenção para os beneficiários da 
justiça gratuita e redução á metade para entidades sem fins lucrativos. Uma 
vez depositado integralmente o valor da condenação, não precisará de outro 
depósito, salvo se for majorada a condenação. 
• Regularidade de representação: o Recurso dede ser subscrito pelo advogado 
com procuração nos autos ou portador de mandato tácito (compareceu em 
audiência e requereu verbalmente que constasse em ata a sua constituição 
como procurador) ou pela própria parte (jus postulandi) salvo se for dirigido ao 
TST. Só será admitido advogado sem procuração para evitar a preclusão, 
decadência ou prescrição ou ainda, para praticar ato urgente. 
Em caso de ausência de procuração a parte será intimada para regularização 
no prazo de dias. 
 
2. INTRÍNSECOS- Subjetivos 
• Legalidade: art. 996, CPC, O recurso deve ser interposto pela parte vencida, 
terceiro prejudicado ou MP. 
• Capacidade: No momento da interposição do recurso deverá ser plenamente 
capaz de praticar o ato processual, se estiver incapaz poderá ser representado 
com base no Código Civil. 
• Interesse: O recurso deve ser necessário para a parte, não deve recorrer de 
algo que lhe foi favorável. 
 
PRINCÍPIOS RECURSAIS 
a) DUPLO GRAU DE JUSRISDIÇÃO 
Decorrente do direito das partes ao contraditório e a ampla defesa com os 
meios e recursos a ela inerentes, previsto no art. 5º, LV da CF. 
Exceção aos dissídios de alçada, que não ultrapassa a dois salários mínimos, 
a menos que se trate de matéria constitucional. 
b) UNIRRECORRIBILIDADE 
Também conhecido como singularidade ou unicidade recursal, esse princípio 
não permite a interposição de mais de um recurso contra a mesma decisão 
simultaneamente, os recursos devem usados sucessivamente. 
c) FUNGIBILIDADE OU CONVERSIBILIDADE 
O Juiz pode conhecer um recurso erroneamente interposto como se fosse o 
recurso cabível, tem como requisito: 
• Inexistir erro grosseiro; 
• Dúvida plausível quando ao recurso cabível; 
• O prazo deve obedecer ao do recurso cabível. 
d) VOLUNTARIEDADE 
O recurso é em regra voluntário, o julgador não poderá conhecer a matéria não 
suscitada no recurso, salvo questões de ordem pública. 
e) PROIBIÇÃO DE REFORMATIO IN PEJUS 
É vedado ao tribunal proferir decisão mais desfavorável ao recorrente do que 
aquela recorrida, não pode também agravar a condenação que não foi objeto 
do recurso 
 
PECULIARIDADES RECURSAIS 
• Irrecorribilidade imediata das decisões interlocutórias: as decisões 
interlocutórias são irrecorríveis de imediato, só cabe o recurso da 
decisão definitiva. 
A sumula 241, do TST prevê a possibilidade de exceções em caso que: 
o TRT dê decisão contrária a Sumula ou OJ do TST; decisão suscetível 
de impugnação ao mesmo tribunal; e decisão que acolhe exceção de 
incompetência territorial, com a remessa dos autos para o Tribunal 
Regional distinto daquele a que se vincula o juízo excepcionado. 
• Inexigibilidade de fundamentação: os recursos serão interpostos por 
simples petição, o art. 899 permite que os recursos sejam interpostos 
sem qualquer fundamentação, no entanto a fundamentação é 
necessária para assegurar o contraditório e a ampla defesa, mas a 
maioria exige fundamentação como o Recurso de Revista, Recurso 
Extraordinário e Agravo de Petição. A sumula 422 do TST caminha no 
sentido da obrigatoriedade da fundamentação. 
• Efeito devolutivo dos recursos: em regra os recursos têm efeito 
devolutivo, permite execução provisória e até penhora 
• Uniformidade de prazo para recursos: será de 8 dias o prazo para 
interpor e contra razoar qualquer recurso trabalhista, salvo Embargos de 
Declaração que o prazo é de 5 dias, e existem as exceções de prazo em 
dobro. 
• Instancia única para dissídios de alçada: somente é cabível Recurso 
Ordinário e Recurso de Revista em caso de violação á CF, ou recurso 
Extraordinário. 
EFEITOS DOS RECURSOS 
a) DEVOLUTIVO: os recursos, ordinariamente, têm apenas o efeito devolutivo. 
b) SUSPENSIVO: em regra, os recursos não têm efeito suspensivo. 
c) TRANSLATIVO: questões de ordem pública devem ser conhecidas de ofício, 
não se opera a preclusão, podendo o juiz ou tribunal decidir sobre elas ainda 
que não constem nas razões recursais, o que gera o efeito translativo dos 
recursos. 
d) SUBSTITUTIVO: o julgamento proferido pelo Tribunal substituirá a sentença ou 
decisão recorrida. 
e) EXTENSIVO: efeito aplicado em caso de litisconsórcio unitário, em que a 
decisão tenha que ser uniforme à todos os litisconsortes. 
f) REGRESSIVO: possibilidade de retratação ou reconsideração pela mesma 
autoridade prolatora da decisão. 
 
RECURSOS EM ESPÉCIE 
a) RECURSO ORDINÁRIO- art. 895, CLT prazo 8 dias 
 
O recurso ordinário visa à reforma da decisão ou a sua anulação. A reforma ocorre 
quando há errar in judicando e a anulação quando há errar in procedendo. Neste caso, 
a decisão será anulada e os autos retornarão ao juízo a quo, que proferirá uma nova 
decisão. 
 
Cabimento: 
• Sentenças terminativas ou definitivas prolatadas pela vara do trabalho ou pelo juiz 
de direito no exercício da jurisdição trabalhista; 
• Decisões definitivas ou terminativas prolatadas pelos TRTs em processos de sua 
competência