A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Antidepressivos e estabilizadores de humor

Pré-visualização | Página 1 de 1

Antidepressivos e estabilizadores de humor 
Pollyana Santos – Odontologia 2019.1 – UFPE 
 
 
 
 Doença multifatorial que tem várias teorias. 
1. Teoria monoaminérgica clássica: 
Depressão seria deficiência de serotonina e/ou 
de noroadrenalina (monoaminas). O fármaco 
antidepressivo iria aumentar essas monoaminas.. 
Mas o antidepressivo não tem ação imediata, 
então a teoria está errada. 
O fármaco chega no sangue, atravessa a barreira 
hematoencefálica e eleva as monoaminas, mas 
só vai ter efeito 3-4 semanas de uso. Não 
depende só disso. 
2. Teoria da dessensibilizarão dos receptores 
 
3. Participação e envolvimento do eixo HPA. 
O eixo do estresse. Consequência de 
hiperestimular esse eixo e o córtex da adrenal 
liberar o hormônio do estresse – cortisol, que 
fica alto na corrente circulatória. 
 
O cortisol vai no cérebro, atravessa a barreira 
hematoencefalica e começa a matar neurônios 
do hipocampo e isso leva a depressão. 
 
A demora é porque precisam de um prazo para 
aumentar a produção de NTF (neurotrofinas). 
 
Categorias 
1. Antidepressivo de primeira geração 
(tricíclicos – ATC). 
Imipramida e Amitriptilina 
MA: Neurônio libera serotonina (5HT) na fenda 
sináptica que vai atuar no receptor pós- 
sináptico. Depois a serotonina é recaptada por 
proteína da membrana pré sináptica. A proteína 
é a SERT (que transporta serotonina) eles vão 
bloquear ela e a NAT (que transporta 
noradrenalina). Fazendo que fique por mais 
tempo serotonina e noradrenalina. 
OPS! Para disfunção na ATM receita amitriptilina 
que tem efeito analgésico. 
EA: Ganho de peso (bloqueia receptor de 
histamina H1 – vigília e saciedade), Xerostomia, 
visão turva, retenção urinaria, constipação, 
hipotensão postural/ortostática. Altas doses: 
Bloqueio dos canais de sódio, arritimia cardíaca e 
disfunção sexual. 
2. Inibidores da MAO. 
Tranilcipromina 
MAO A – metaboliza preferencialmente 
serotonina e noradrenalina 
MAO B- Metaboliza dopamina. 
Inibidores da MAO irreversíveis – ligação muito 
forte. 
EA: tricíclicos menos sedação e ganho de peso. 
Agora tem muitos com interação 
medicamentosa com substancias 
simpaticomiméticas. 
OPS! Reação do queijo: Alimentos com tiramina 
como queijos e vinhos Aumento da pressão 
arterial gerando crise hipertensiva. 
OPS! Moclobeminda é inibidor seletivo da 
MAO A. Chance de crise hipertensiva é menor. 
3. Antidepressivo de segunda geração (IRSS). 
 
Fluoxetina e Claroxetina 
Tem menos efeitos colaterais. Mais usados. 
MA: São inibidores seletivos da recaptaçao de 
serotonina, só inibem SERT. 
EA: primeiras semanas de tratamento o paciente 
pode ficar ansioso, como ter crise de pânico, 
insônia, náusea e vômitos, cólicas e diarreias, 
disfunção sexual, peso depende. 
OPS! Usar esse fármaco por conta própria pode 
causar Sindrome serotoninérgica (pois tem muita 
serotonina). Altera estado mental e a PA fica 
oscilando, além de alterações neuromusculares 
que da tremor na musculatura esquelética. 
 
OPS! Inibidores da receptação de serotonina e 
noradrenalina: 
Pollyana Santos – Odontologia 2019.1 – UFPE 
 
Venlafaxina e Duloxetina 
MA: Bloqueia SERT e NAT, mas tem estrutura 
química diferente dos tricíclicos são mais 
parecidos em EA com os ISRS. 
EA: parecidos com os da fluoxetina, mas pode 
ter uma crise hipertensiva. Aumento de 
noradrenalina faz vasoconstricção e aumenta PA. 
4. Antidepressivo atípicos. 
 
Miirtazapina e trazodona 
 MA: elevam as monoaminas. 
Mirtazapina bloqueia o receptor alfa 2 
adrenérgico e esse receptor normalmente inibe 
a liberação de noradrenalina. Ou seja, vai 
aumentar a quantidade de noradrenalina. 
Trazodona tem vários mecanismos, pode inibir a 
receptação de serotonina, ação anti-histamínica. 
Bloqueia recepto H1. 
OPS! Os estabilizadores de humor e o lítio. Em 
relação ao segundo, aumenta a captação 
neuronal de criptofano.