A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Plantas tóxicas (pequenos animais)

Pré-visualização | Página 1 de 6

Fatores que influenciam a toxicidade
Idade do Animal•
Condições de Habitat•
Habito do proprietário•
Espécie•
Parte ingerida•
Maturidade da planta•
Variações genéticas•
Plantas que causam estomatite e glossite 
Comigo ninguém pode (Dieffenbachia picta)
Partes tóxicas: todas •
Princípio ativo: cristais de oxalato de cálcio•
Mecanismo de ação: degranulação de mastócitos e liberação de histamina.•
Sintomas: edema labial e cavidade oral, desconforto, diarréia, vômitos, sialorréia e edema 
de glote
•
Costela de Adão (Monstera sp.)
Partes tóxicas: folhas•
Princípio ativo: cristais de oxalato de cálcio•
Filodendron (Philodendron sp)
Partes tóxicas: folhas•
Princípio ativo: cristais de oxalato de cálcio•
Copo de leite (Zantedeschia aethiopica)
Partes tóxicas: todas•
Princípio ativo: oxalato de cálcio •
Sintomas: queimação, edema labial e cavidade oral, náuseas/vômitos, diarréria, sialorréia, 
edema de glote 
•
Exposição tópica: irritação lesão de córnea •
Tratamento: administração de líquidos frios, controle da dor e edema (Diuréticos e corticóides)
Plantas que causam gastrite e estomatite
Azalea (Rhododendron indicum)
Partes tóxicas: folhas e flores•
Princípio ativo: andromedotoxina•
Contaminante do mel- grayanotoxina•
Sintomas: se iniciam 6 horas após a ingestão, aumento da motilidade gástrica, irritação da 
mucosa gástrica, hipotensão, bradicardia, depressão respiratória 
•
Tratamento: sintomático •
Bico de papagaio (Euphorbia pulcherrima)
Partes tóxicas: todas•
Princípio ativo: látex irritante•
Sintomas: lesão cutânea, dermatite de contato, edema da cavidade oral, desconforto 
abdominal, êmese, diarréia. Se houver contato ocular pode causar irritação, edema de 
pálpebras, lacrimejamento e dificuldade visual. 
•
Tratamento: sintomático, uso de colírios com corticoides e anti-histamínicos •
Alamandra (Allamanda cathartica)
Partes tóxicas: todas •
Sintomas: gastroenterite, aumento da temperatura, erupções cutâneas, sede •
Ação SNC
Mamona (Ricinus communis)
Partes tóxicas: sementes •
Princípio ativo: ricina•
Sintomas: náuseas, queimação na garganta, êmese, diarréias, cólicas abdominais, 
sonolência, torpor, coma. 
•
Tratamento: sintomático, esvaziamento gástrico, uso de carvão ativado e fluidoterapia•
Plantas de ação cardiotóxica 
Oleandro (Nerum oleander)
Partes tóxicas: todas•
Princípio ativo: oleandrina •
Mecanismo de ação:•
Sintomas: dermatite de contato, sialorréia, náuseas e vômitos, distúrbios gastrointestinais, 
distúrbios visuais, neurite periférica, taquiarritmia, óbito.
•
Tratamento: remoção da toxina do TGI, manutenção hemodinâmica•
Plantas com ação radiomimética
Samambaia do campo (Pteridium aquilinum)
Partes tóxicas: todas•
Princípio ativo: ptaquilosídeo•
Mecanismo de ação:•
Sintomas: perda de peso, perda de apetite, diarréia sanguinolenta, febre, 
hemorragia/anemia, aplasia medular
•
Tumores: orofaringe, bexiga, TGI•
Tratamento: não há. •
Plantas com ação anticolinérgica 
Lírio (Datura arborea)
Partes tóxicas: todas•
Princípio ativo: alcalóides tropânicos (escopolamina e atropina)•
Mecanismo de ação•
Sintomas: midríse, boca seca, taquicardia, oligúria, constipação intestinal, alucinações, 
hipertermia, convulsões. 
•
Tratamento: inibidores de acetilcolinesterase, sedação e fluidoterapia•
Ingestão de gramíneas
Gatos (remoção de pelos)
Sorgo ○
Aveia ○
Milheto○
Azevém (preparações comerciais)○
•
Cães
Fome○
Desequilíbrio nutricional○
Distúrbios do sistema digestório○
Instinto de caça○
•
Catnip (Nepeta cataria)
Efeitos excitatórios: cheirar, mastigar, lamber, balançar a cabeça e queixo, bochecha e o 
corpo se esfregando no chão ou qualquer superfície que contenha o cheiro da erva e ou a 
própria erva.
•
Reações adicionais: alongamento, babas, pulos, agressividade, hiperatividade e 
relaxamento. Essas reações costumam ter uma duração que vai de cinco a dez minutos.
•
Não causa dependência •
Não tem efeito em filhotes •
Mediado através do sistema olfativo •
Resposta é herdada por um gene autossômico dominante. •
Oleandrina
Glicosídeo cardioativo IP3
Actina e miosina Aumento do Ca intracelular
Aumento da contração de músculo liso cardíaco 
Ptaquilosídeo 
Composto instável pH alcalino
Nucleosídeos, nucleotídeos e DNA dienona
Tumores 
Alcalóides 
Afetam as sinapses colinérgicas bloqueiam a acetilcolina 
 bloqueio da despolarização
 
 paralisia da musculatura lisa
Plantas tóxicas (pequenos animais)
quarta-feira, 8 de julho de 2020 10:55
Fatores que influenciam a toxicidade
Idade do Animal•
Condições de Habitat•
Habito do proprietário•
Espécie•
Parte ingerida•
Maturidade da planta•
Variações genéticas•
Plantas que causam estomatite e glossite 
Comigo ninguém pode (Dieffenbachia picta)
Partes tóxicas: todas •
Princípio ativo: cristais de oxalato de cálcio•
Mecanismo de ação: degranulação de mastócitos e liberação de histamina.•
Sintomas: edema labial e cavidade oral, desconforto, diarréia, vômitos, sialorréia e edema 
de glote
•
Costela de Adão (Monstera sp.)
Partes tóxicas: folhas•
Princípio ativo: cristais de oxalato de cálcio•
Filodendron (Philodendron sp)
Partes tóxicas: folhas•
Princípio ativo: cristais de oxalato de cálcio•
Copo de leite (Zantedeschia aethiopica)
Partes tóxicas: todas•
Princípio ativo: oxalato de cálcio •
Sintomas: queimação, edema labial e cavidade oral, náuseas/vômitos, diarréria, sialorréia, 
edema de glote 
•
Exposição tópica: irritação lesão de córnea •
Tratamento: administração de líquidos frios, controle da dor e edema (Diuréticos e corticóides)
Plantas que causam gastrite e estomatite
Azalea (Rhododendron indicum)
Partes tóxicas: folhas e flores•
Princípio ativo: andromedotoxina•
Contaminante do mel- grayanotoxina•
Sintomas: se iniciam 6 horas após a ingestão, aumento da motilidade gástrica, irritação da 
mucosa gástrica, hipotensão, bradicardia, depressão respiratória 
•
Tratamento: sintomático •
Bico de papagaio (Euphorbia pulcherrima)
Partes tóxicas: todas•
Princípio ativo: látex irritante•
Sintomas: lesão cutânea, dermatite de contato, edema da cavidade oral, desconforto 
abdominal, êmese, diarréia. Se houver contato ocular pode causar irritação, edema de 
pálpebras, lacrimejamento e dificuldade visual. 
•
Tratamento: sintomático, uso de colírios com corticoides e anti-histamínicos •
Alamandra (Allamanda cathartica)
Partes tóxicas: todas •
Sintomas: gastroenterite, aumento da temperatura, erupções cutâneas, sede •
Ação SNC
Mamona (Ricinus communis)
Partes tóxicas: sementes •
Princípio ativo: ricina•
Sintomas: náuseas, queimação na garganta, êmese, diarréias, cólicas abdominais, 
sonolência, torpor, coma. 
•
Tratamento: sintomático, esvaziamento gástrico, uso de carvão ativado e fluidoterapia•
Plantas de ação cardiotóxica 
Oleandro (Nerum oleander)
Partes tóxicas: todas•
Princípio ativo: oleandrina •
Mecanismo de ação:•
Sintomas: dermatite de contato, sialorréia, náuseas e vômitos, distúrbios gastrointestinais, 
distúrbios visuais, neurite periférica, taquiarritmia, óbito.
•
Tratamento: remoção da toxina do TGI, manutenção hemodinâmica•
Plantas com ação radiomimética
Samambaia do campo (Pteridium aquilinum)
Partes tóxicas: todas•
Princípio ativo: ptaquilosídeo•
Mecanismo de ação:•
Sintomas: perda de peso, perda de apetite, diarréia sanguinolenta, febre, 
hemorragia/anemia, aplasia medular
•
Tumores: orofaringe, bexiga, TGI•
Tratamento: não há. •
Plantas com ação anticolinérgica 
Lírio (Datura arborea)
Partes tóxicas: todas•
Princípio ativo: alcalóides tropânicos (escopolamina e atropina)•
Mecanismo de ação•
Sintomas: midríse, boca seca, taquicardia, oligúria, constipação intestinal, alucinações, 
hipertermia, convulsões. 
•
Tratamento: inibidores de acetilcolinesterase, sedação e fluidoterapia•
Ingestão de gramíneas
Gatos (remoção de pelos)
Sorgo ○
Aveia ○
Milheto○
Azevém (preparações comerciais)○