A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Educação e Diversidade - Dicas de estudo para prova

Pré-visualização | Página 1 de 2

Anhanguera Licenciatura Pedagogia – 1º Período 
Matéria: Educação e Diversidade 
Dicas para prova Temas 1 ao 8 
 
 
GOSTOU DO MATERIAL? Então não se esqueça de curtir! 
 
1. Como a questão multiculturalista contribui para educação? 
A questão multiculturalista contribui com elementos para se superar a crise 
pela qual passa a educação brasileira, já que esta deixará de padronizar o ensino 
e os alunos para se tornar uma escola que atenta nas diferenças e que leva em 
consideração a multiplicidade de costumes e práticas. 
 
2. O que é a Declaração Universal dos Direitos Humanos ? 
Conhecer direitos e deveres é essencial na formação do indivíduo, e a própria 
educação surge como um direito humano fundamental para a tomada de 
consciência e o exercício da cidadania. 
❖ É um dos documentos básicos das Nações Unidas e foi assinada em 
1948. 
❖ A partir dela, tem-se a base dos principais direitos humanos 
reconhecidos. 
❖ Nela, são enumerados os direitos que todos os seres humanos 
possuem, servindo como guia instrumental na educação para os 
direitos. 
 
3. O que é a escola no pensamento crítico da educação para diversidade nos 
mostra? 
❖ as relações sociais que envolvem os ambientes escolares não 
podem mudar tudo nem podem mudar a si mesmas, sozinhas. 
❖ Isso ocorre porque estão em um espaço intimamente ligado ao ser 
humano, à sociedade e à sua própria natureza pedagógica, 
demonstrando que os indivíduos nela inseridos são seres 
inacabados e em processo de formação. 
 
 
 
 
 
GOSTOU DO MATERIAL? Então não se esqueça de curtir! 
 
 
2 Anhanguera – Pedagogia – Educação e Diversidade 
4. Na perspectiva da Educação e Diversidade, quais são as cinco premissas 
fundamentais para ressignificação dos direitos humanos? 
❖ 1. A superação do debate entre o universalismo e o relativismo 
cultural. 
❖ 2. Todas as culturas possuem concepções da dignidade humana. 
❖ 3. Todas as culturas são incompletas e problemáticas nas suas 
concepções de dignidade humana. 
❖ 4. Nenhuma cultura é monolítica. Todas as culturas comportam 
versões diferentes da dignidade humana, algumas mais amplas do 
que outras, algumas mais abertas a outras culturas do que outras. 
❖ 5. Todas as culturas tendem a distribuir as pessoas e os grupos 
sociais entre dois princípios competitivos de pertença 
hierárquica: princípio da igualdade e princípio da diferença. 
 
5. O que é necessário para a busca de uma sociedade democrática que considere 
sua diversidade cultural, étnica e sexual? 
❖ Compreender as categorias de gênero, sexualidade e diversidade 
como expressões dos sujeitos no espaço escolar. 
❖ Problematizar as presenças, silêncios e ausências sobre os 
marcadores de gênero, sexualidade e diversidade na sala de aula 
numa perspectiva interdisciplinar. 
❖ Analisar a concepção de heteronormatividade difundida na 
sociedade, além de problematizar os estigmas e estereótipos. 
 
6. O que significa a palavra “Queer”? 
Segundo a autora Guacira Lopes Louro (2000) a palavra Queer pode ser traduzida 
incialmente por estranho, talvez ridículo, excêntrico, raro e extraordinário. 
❖ Por outro lado, o termo também se constitui na forma pejorativa 
com que são designados homens e mulheres homossexuais. 
 
 
 
GOSTOU DO MATERIAL? Então não se esqueça de curtir! 
 
 
3 Anhanguera – Pedagogia – Educação e Diversidade 
❖ Louro (2000) usa o argumento de Judith Butler para descrever a 
força de uma invocação sempre repetida, como por exemplo, um 
insulto que ecoa e reitera os gritos de muitos grupos homófobos, 
ao longo do tempo, e que, por isso, adquire força, conferindo um 
lugar discriminado e abjeto àqueles a quem é dirigido. 
❖ A pesquisadora Louro (2000) descreve que este termo, com toda 
sua carga de estranheza e de deboche, é assumido por uma 
vertente dos movimentos de lésbicas e gays precisamente para 
caracterizar sua perspectiva de oposição e de contestação. 
❖ Para esses grupos, Queer representa colocar-se contra a 
normalização - venha ela de onde vier. 
❖ Seu alvo mais imediato de oposição é, certamente, a 
heteronormatividade compulsória da sociedade, mas não escapa 
de sua crítica a normalização e a estabilidade propostas pela 
política de identidade do movimento homossexual dominante. 
 
7. Quais as razões para o sucateamento da educação pública no Brasil? 
❖ estão associadas à falta de investimentos, aos baixos salários e à 
falta de planos de carreira, decorrentes da má gestão da máquina 
pública ou de iniciativas políticas. 
❖ As políticas públicas educacionais no contexto neoliberal 
assumiram um caráter social-democrata, atribuindo 
responsabilidades de atuação na sociedade à escola privada. 
❖ O Estado assumiu a responsabilidade de educar, entretanto, ao 
adotar políticas neoliberais, aos poucos se exime das 
responsabilidades de incentivos diretos na área social e se abre à 
iniciativa privada, com parcerias e subvencionados direta ou 
indiretamente. 
❖ O sucateamento da educação pública por parte do Estado foi 
abrindo espaço para a ampliação da educação privada, ao mesmo 
tempo em que ocorre o encolhimento da educação pública no 
Brasil, sobretudo nos níveis médios e superior. 
 
 
 
GOSTOU DO MATERIAL? Então não se esqueça de curtir! 
 
 
4 Anhanguera – Pedagogia – Educação e Diversidade 
8. Qual o conceito de Ensino religioso? 
❖ Segundo o preceito legal, o ensino religioso é de caráter 
obrigatório para as escolas públicas de ensino fundamental, mas 
de matrícula facultativa para o aluno. 
❖ A LDBEN, no seu art. 33, apresenta esse componente curricular 
como “parte integrante da formação básica do cidadão”, 
enunciando, ao mesmo tempo, que o “respeito à diversidade 
religiosa do Brasil” deve ser assegurado e que deve ser proibida 
“toda forma de proselitismo”. 
❖ Isso implica no respeito às diversas tradições religiosas, presentes 
na escola por meio dos seus praticantes, mas, ao mesmo tempo, 
proíbe que o espaço escolar seja usado para a catequização ou 
promoção de uma determinada doutrina religiosa. 
 
9. Qual o conceito de multiculturalismo? 
No âmbito dessas discussões sobre o tema, Praxedes (2004) citando 
Stuart Hall (2003), identifica pelo menos seis concepções diferentes de 
multiculturalismo na atualidade: 
❖ 1. Multiculturalismo conservador: compreende-se como aqueles 
em que os dominantes buscam assimilar as minorias diferentes 
às tradições e costumes da maioria; 
❖ 2. Multiculturalismo liberal: concebido como os diferentes 
devem ser integrados como iguais na sociedade dominante. A 
cidadania deve ser universal e igualitária, mas no domínio 
privado os diferentes podem adotar suas práticas culturais 
específicas; 
❖ 3. Multiculturalismo pluralista: entende-se como aqueles em que 
os diferentes grupos devem viver separadamente, dentro de uma 
dinâmica de política federativa; 
❖ 4. Multiculturalismo comercial: a diferença entre os indivíduos e 
grupos deve ser resolvida nas relações de mercado e no consumo 
 
 
 
GOSTOU DO MATERIAL? Então não se esqueça de curtir! 
 
 
5 Anhanguera – Pedagogia – Educação e Diversidade 
privado, sem que sejam questionadas as desigualdades de poder e 
riqueza; 
❖ 5. Multiculturalismo corporativo (público ou privado): a 
diferença deve ser administrada, de modo a que os interesses 
culturais e econômicos das minorias subalternas não incomodem 
os interesses dos dominantes; 
❖ 6. Multiculturalismo crítico: questionam a origem das 
diferenças, criticando a exclusão social, a exclusão política, as 
formas de privilégio e de hierarquia existentes nas sociedades 
contemporâneas. Apoia os movimentos de resistência e de 
rebelião dos dominados. 
 
10. Qual o conceito de cultura? 
Clifford Geertz (1989) define a cultura como teias de significado