A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
RESUMO ADMINISTRAÇÃO - Processo Decisório

Pré-visualização | Página 1 de 2

PROCESSO DECISÓRIO
TIPOS DE DECISÕES
	Estruturadas / Programadas
	Não-Estruturadas / Não-Programadas / DESCRITIVAS
	Problemas conhecidos / rotineiros
	Problemas novos / pontuais
(não resolvidos por decisões programadas)
	Solução segue a mesma lógica
Certeza
	Soluções específicas
	Não variam pra cada Gerente
	Avaliação complexa de cada caso
	*Não precisa mais:
- Fazer diagnóstico
- Criar alternativas
- Escolher ação original
	Incerteza
Racionalidade limitada
D.Programadas = “Quando um algoritmo é aplicado
em um curso de ação predefinido”
ETAPAS DA DECISÃO
• Identificação do problema ou oportunidade
• Diagnóstico
• Criação de alternativas
• Comparação e classificação dos riscos de cada alternativa
• Escolha da melhor alternativa
• Execução e Avaliação
*Processo + rápido pras Decisões Programadas
“um problema cuja solução não dispõe de alternativas já está, por si só, resolvido.”
(se não tem o que fazer, não tem o que fazer)
FATORES QUE INFLUENCIAM
 Decisões são sempre limitadas por algum ou alguns desses fatores:
(algumas mais, outras menos)
- Disponibilidade de informações
- Conhecimento do assunto
- Experiência
- Interesses
- Recursos
- Tempo pra decidir (pouco tempo pode gerar decisões ruins)
“A gestão do risco associado à tomada de decisão se baseia no nível de informação disponível
sobre a probabilidade de ocorrência de eventos futuros,
a partir do qual gestores distintos podem tomar decisões diferentes.Parte superior do formulário
”
CARACTERÍSTICAS DE BOAS ALTERNATIVAS DE DECISÃO
- abrangentes
- genuínas
- exequíveis
- numerosas
ESTILOS DECISÓRIOS
• Quanto ao uso da informação
	Maximizadores = analisa a maior quantidade de informação possível
	Satisfacientes = filtra as informações mais relevantes (chega a uma ou duas soluções possíveis)
• Quanto ao foco em alternativos p/ decisão
	Unifoco = planeja um único curso de ação
	Multifoco = considera diferentes alternativas pra solução
• Estilos
	DECISIVO = pouca informação + lida com um problema por vez
(satisfaciente + unifoco)
	FLEXÍVEL = pouca informação + busca diferentes alternativas
				(satisfaciente + multifoco)
	HIERÁRQUICO = planeja em longo prazo + análise completa dos dados + busca única solução
(maximizador + unifoco)
	INTEGRATIVO = muita informação + muitas alternativas
(maximizador + multifoco)
	SISTÊMICO = (maximizador + unifoco OU multifoco)
ELEMENTOS DO PROCESSO DECISÓRIO
	O Tomador de decisão
	Quem decidirá
	Objetivos
	O que ele pretende com a decisão
	Sistema de Valores
	Critérios de preferência do tomador
	Cursos de Ação / Estratégias
	Diferentes sequências de ação
que podem ser escolhidas
	Estados de Natureza
	As condições de incerteza, risco ou certeza
que existem no ambiente
que o tomador de decisão deve enfrentar
• Certeza = 100% (sei tudo)
• Risco = 0 a 100% (sei alguma coisa)
• Incerteza/Ignorância = ? (não sei nada)
• Turbulência/Ambiguidade (não sabe nada, nem os objetivos)
	Resultados / 
Consequências
	Efeitos de um determinado
curso de ação e de um estado de natureza
	
Vi numa questão:
Objetivos: fins ou resultados que o tomador de decisão deseja alcançar com suas ações
Preferências: critérios utilizados para fazer escolha
Estratégia: curso de ação para atingir objetivos
Situação: contextos ambientais, muitos dos quais fora do controle, conhecimento ou compreensão do decisor
EVOLUÇÃO DO PROCESSO DECISÓRIO
 Tradicional
	Muitas decisões programadas
	Processos padronizados
	Expectativa comum
	Canais de informação bem definidos
 Moderno
	Cada vez mais precisa-se tomar decisões não-programadas (problemas novos)
	Métodos quantitativos
	Sistemas computacionais
“a tomada de decisão acontece permanentemente, independente do nível hierárquico.”
PROCESSO RACIONAL X INTUITIVO X RACIONALIDADE LIMITADA
	Processo RACIONAL
ou TRADICIONAL
ou RACIONALIDADE PLENA
	• Conceito: Homem sabe claramente
o resultado de suas decisões
*na prática, não acontece
• Decisões Ótimas
• Melhor em situações, objetivos e critérios
claros e estáveis
*não exclui o uso da subjetividade
(nunca vai ter todas as informações)
	Processo INTUITIVO
	• Conceito: Homem não sabe exatamente o porquê,
mas algo de sua experiência diz que é o certo
• Melhor em situações turbulentas
	Processo de
RACIONALIDADE LIMITADA
	• Conceito: Decisões não são
ótimas maximizadoras, não existe uma
única solução melhor de todas, mas sim
Decisões Satisfatórias/Administrativas
Fatores cognitivos
Heurísticas = criação de novos modelos
Intuição + Razão
(modelo mais considerado atualmente)
O modelo racional de tomada de decisão exige que o gestor se apoie em informações consideradas perfeitas e que tome, com base nelas, decisões de forma totalmente imparcial.
Hebert Simon (rac.limitada) observou que, na realidade, as pessoas nem se baseiam inteiramente na razão nem se baseiam totalmente na intuição. Dessa forma, o autor indicou que temos limites à racionalidade. Que não conseguimos ser totalmente racionais. A realidade é muito complexa e, portanto, temos de usar a intuição em conjunto à razão.
DECORRÊNCIAS DA TEORIA DAS DECISÕES (CARACTERÍSTICAS DA RAC.LIMITADA)
O processo decisorial permite solucionar problemas ou defrontar-se com situações.
A subjetividade nas decisões individuais é enorme. Simon dá alguns recados:
a. Racionalidade limitada. Ao tomar decisões, a pessoa precisaria de um grande número de informações a respeito da situação para que pudesse analisá-las e avaliá-las. Como isso está além da capacidade individual de coleta e análise, a pessoa toma decisões por meio de pressuposições, isto é, de premissas que ela assume subjetivamente e nas quais baseia a sua escolha. As decisões relacionam-se com uma parte da situação ou com apenas alguns aspectos dela.
b. IMPERFEIÇÃO das decisões. Não existem decisões perfeitas: apenas umas são melhores do que outras quanto aos resultados reais que produzem. Para proceder de maneira racional nas suas ações, a pessoa precisa escolher dentre as diferentes alternativas as que se diferenciam pelos seus resultados; esses, por sua vez, devem estar ligados aos objetivos que a organização pretende atingir. O processo decisório racional implica a comparação de caminhos (cursos de ação) por meio da avaliação prévia dos resultados decorrentes de cada um e do confronto entre tais resultados e os objetivos que se deseja atingir. O critério norteador na decisão é a eficiência, isto é, a obtenção de resultados máximos com recursos mínimos.
C. RELATIVIDADE das decisões. No processo decisorial, a escolha de uma alternativa implica na renúncia das demais alternativas e a criação de uma seqüência de novas alternativas ao longo do tempo. A esses leques de alternativas em cada decisão dá-se o nome de árvore de decisão. Toda decisão é, até certo ponto, uma acomodação, pois a alternativa escolhida jamais permite a realização completa ou perfeita dos objetivos visados, representando apenas a melhor solução encontrada naquelas circunstâncias. A situação do meio ambiente limita as alternativas disponíveis, estabelecendo o nível que se pode atingir na consecução de um objetivo. Esse nível nunca é ótimo, mas apenas satisfatório
d. HIERARQUIZAÇÃO das decisões. O comportamento é planejado quando é guiado por objetivos e é racional quando escolhe as alternativas adequadas à consecução dos objetivos. Há uma hierarquia para distinguir o que é um meio e o que é um fim. Os objetivos visados pelas pessoas obedecem a uma hierarquia, na qual um nível é considerado fim em relação ao nível mais baixo e é considerado meio em relação ao de ordem maior.
e. Racionalidade ADMINISTRATIVA. Há uma racionalidade no comportamento administrativo, pois é planejado e orientado no sentido de alcançar objetivos da maneira mais adequada. Os processos administrativos são basicamente processos decisórios, pois consistem na definição de métodos rotineiros para selecionar e determinar os cursos de ação adequados, e na sua comunicação às pessoas por eles afetados
TÉCNICAS DE DECISÃO
• Grupo Focal
	Entrevista grupal/coletiva