A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
vitamina B12

Pré-visualização | Página 1 de 3

Vitamina b12
· O que é a B12?
· Quem produz? 
· O organismo humano é preparado para a receber?
· Qual a importância para o organismo? 
· O que acontece se a pessoa tiver deficiência?
· Qual a associação do B12 com o câncer?
· Por que o ser humano não tem acesso a B12 como os animais (supondo que só se encontra B12 neles)? 
· Por que as plantas não têm B12?
· Quais os níveis saudáveis de B12? 
· Notas importantes
· Referências 
O que é a b12? 
A vitamina B12, ou cianocobalamina, faz parte de uma família de compostos denominados genericamente de Cobalaminas. Vitaminas são compostos orgânicos e nutrientes essenciais (dieta) de que o organismo necessita em pequenas quantidades para o normal funcionamento do seu metabolismo. Em 1945, um princípio ativo, efetivo como antianêmico, foi concentrado a partir de tecido hepático. Lester Smith e Folkers, em 1947, cristalizaram o princípio ativo do extrato hepático envolvido na regressão da anemia e o denominaram de vitamina B12.
Quem produz? 
Os artigos pesquisados estão em consenso afirmando que a B12 é sintetizada exclusivamente por microrganismos e é encontrada em praticamente todos os tecidos animais, estocada primariamente no fígado na forma de adenosilcobalamina. Segundo a maioria dos artigos, a fonte natural de vitamina B12 na dieta humana restringe-se a alimentos de origem animal, especialmente leite, carne e ovos. (Outros artigos colocam em cheque essa afirmação)
Sabe-se que cerca de 60% a 75% da população tem intolerância à lactose (o organismo é incapaz de digerir o açúcar existente no leite e seus derivados). O ser humano, ao contrário de todos os animais da natureza, tenta continuar incluindo leite (de outros animais) na sua dieta, mesmo o período normal de amamentação já ter passado e sabendo que esse leite é inadequado para o organismo humano. 
	Propriedades
	Leite humano
	Leite de vaca
	Anti-infecciosas
	Presente
	Ausente
	Fatores de crescimento
	Presente
	Ausente
	Proteínas
	Quantidade adequada com fácil digestão
	Quantidade excessiva com difícil digestão 
	Lipídeos
	Suficiente com lipases para digestão
	Deficiente sem lipases para digestão
	Minerais
	Quantidade correta/equilibrada
	Quantidade excessiva/desequilibrada
	Ferro
	Pouca quantidade com boa absorção
	Pouca quantidade com má absorção
	Vitaminas
	Quantidade suficiente
	Deficiente em vit. A e C
OMS/CDR/93.6
Segundo a OMS, carnes defumadas, curadas, salgadas, processadas, ou às quais foram adicionados conservantes, tais como bacon, presunto, linguiça, salsichas, carne enlatada e carne seca, inclusive preparações e molhos à base de carne, foram incluídas na categoria I de potenciais carcinógenos, no mesmo patamar que tabaco, arsênio e fumaça de diesel. Já a carne vermelha - cortes in natura de bovino, suíno, caprino, ovino e equino - foi incluída no grupo 2A, que corresponde a produtos capazes de provocar câncer. Seria possível adquirir B12 por outras formas?
O organismo humano é preparado para receber B12? 
· A vitamina B12 é capturada por uma proteína que é produzida na saliva e no estômago.
· Absorvida no íleo terminal, onde se liga a um transportador e é lançada na circulação.
· No plasma, a vitamina B12 circula ligada às proteínas transportadoras denominadas transcobalaminas.
· A holo-Hc é uma glicoproteína de transporte, e, embora represente a maior fração de vitamina B12 circulante (70 a 90%), é considerada inerte porque não existem receptores celulares para holo-Hc nas células e por sua função no organismo ser pouco conhecida.
· A holo-Tc, uma proteína produzida por fígado, macrófagos e íleo, contém a fração biologicamente ativa, pois promove a entrada específica da cobalamina nas células do corpo.
· Distribui-se para as células que expressam receptores específicos, os quais internalizam a vitamina na forma de complexo Tc-vitamina B12.
· O organismo apresenta sistemas complexos para receber a vit. B12.
Qual a importância para o organismo?
No organismo humano, funciona como um co-fator essencial para duas enzimas: metionina sintase e L-metilmalonil-coA mutase, ambas direta ou indiretamente envolvidas no metabolismo da homocisteína (Hcy).
A metionina sintetase promove a metilação da Hcy (metiolina) que serve para repor os estoques de S-adenosilmetionina (SAM) quando a metionina estiver em baixos níveis. A SAM é o único doador de grupamentos metil para numerosas reações de metilação, incluindo algumas essenciais para a manutenção da mielina.
Assim, a deficiência de vitamina B12 causará diminuição da SAM provocando defeitos desmielinizantes no sistema nervoso. Outro problema consequente à interrupção da conversão de Hcy em metionina é que haverá deficiências de metabólitos dos folatos, como o 5,10-metilenotetraidrofolato, co-fator fundamental na síntese do ácido desoxirribonucléico (DNA).
Em uma rota de eliminação do excesso de Hcy (A via de transulfuração) é que aparece a segunda enzima dependente de vitamina B12, a L-metilmalonil-coA mutase. A deficiência de vitamina B12 impede esta reação desviando o substrato para a formação de ácido metilmalônico (MMA), e de ácido propiônico (precursor do MMA), produzindo acidose metabólica. Uma redução completa desse fluxo é discutida por sua contribuição nos consequentes danos neurológicos associados à deficiência de vitamina B12. Entretanto, o aumento da Hcy (hiperhomocisteínemia), pode ser causada por outros fatores como deficiência de folatos e de vitamina B6, defeitos genéticos que afetam o funcionamento de algumas enzimas envolvidas nestes processos, insuficiência renal crônica e alguns fármacos.
Segundo outros artigos, ela tem papel sobre a maturação dos glóbulos vermelhos. Outras funções são encontradas quando se explora mais o conteúdo.
O que acontece se a pessoa tiver deficiência? 
A deficiência assintomática de vitamina B12 pode ocorrer por longos períodos antes do aparecimento de qualquer sinal ou sintoma clínico, desencadeando uma deficiência crônica de vitamina B12 que, se mantida durante anos, pode levar a manifestações neuropsiquiátricas irreversíveis.
De uma maneira geral, é uma desordem que se manifesta por um quadro clássico caracterizado por anemia megaloblástica associada a sintomas neurológicos com freqüente aparecimento da tríade fraqueza, glossite e parestesias. As alterações hematológicas típicas da deficiência de vitamina B12 são caracterizadas por diminuição de hemoglobina.
As manifestações neurológicas devem-se a danos progressivos dos sistemas nervosos central e periférico e tipicamente manifestam-se com polineurites. Além disso, são comuns relatos de déficits de memória, disfunções cognitivas, demência e transtornos depressivos.
A deficiência de vitamina B12 em gestantes aumenta o risco de malformação fetal, ocasionando defeito no tubo neural e constituindo-se numa das mais comuns alterações congênitas.
A sua deficiência contribui para a HHcy, um fator de risco independente para aterosclerose. Estudos in vitro e em animais sugerem que a HHcy não apenas lesa o endotélio vascular, mas também promove a síntese de várias citocinas pró-inflamatórias na parede arterial.
Qual a relação da b12 com o câncer?
Vale ressaltar que várias revisões da literatura sequer citam esse tópico extremamente importante e discutido no meio acadêmico. 
Os pesquisadores tentaram correlacionar a vitamina B12 com a malignidade desde que o papel multifuncional da cobalamina começou a ser entendido. Existem muitas hipóteses sobre o papel da vitamina B12 no crescimento de doenças malignas. Qual é a explicação para a elevação do nível de cobalamina (B12) em pacientes oncológicos? É um fator de risco ou uma indicação do desenvolvimento de neoplasias? Os autores discordam entre si discutindo se é um fator de risco ou se B12 é um aviso, mecanismo compensatório ou uma inibidora do câncer. (2)
O alto consumo de carne, a principal fonte alimentar de vitamina B12 é um componente importante da dieta ocidental, tem sido associado a um risco aumentado de câncer de próstata em alguns estudos. Os níveis plasmáticos de vitamina B12 podem,