A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Apostila micro e parasito - protozoarios

Pré-visualização | Página 1 de 2

INSTITUTO DE ENSINO JOSÉ RODRIGUES DA SILVA pag 1 
 
 
Turma: 
Data: 
Nome: 
Professora Leilane Morais Lopes 
 
Protozoários 
 
Nessa aula, vamos falar desses seres unicelulares, eucariotos, que 
causam muitas doenças e são, de certa forma, difíceis de se livrar! 
Mas para entendermos o que são os protozoários, devemos entender 
primeiro sobre as células eucariotas! 
Só para lembrar! As céluas eucariotas são aquelas celulas que possuem o 
seu material genético (DNA) separado do citoplasma por uma membrana, essa 
membrana é chamada de Carioteca ou membrana nuclear! Graças a essa 
modificação, as celulas passaram a compartimentalizar as suas funções, o que 
permitiu maior evolução dessas celulas. Por isso elas são altamente especializadas, e 
possuem muitas organelas! Vocês se lembram quais essas organelas? Escrevam ai 
embaixo, quais as organelas vocês se lembram! 
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________ 
Vimos essas organelas nas aulas de fungos! Por isso se não estiver 
lembrando de nenhuma, só voltar a aula de fungos para relembrar! 
Mas voltando a falar dos protozoários, uma das caracteristicas principais 
deles, são a presença de váculos contráteis ou pulsáveis, essas organelas realizam a 
regulação osmótica, agindo como um mini sistema urinário, acho que mini foi exagero, 
agindo como um micro sistema urinário! 
Os protozoários, são seres bem espertinhos, eles possuem duas formas 
de reprodução, a assexuada, por fissão binária, onde uma celula se torna duas celulas 
exatamente iguais, que pode ser multipla, como no caso do Paramecium que quase 
fica multicelular, pois ele fica com vários nucleos, mas não com várias celulas. E a 
reprodução sexuada, que é a troca de partes do DNA, chamadas micronucleos, esses 
micronucleos se assemelham aos plasmídeos das bacterias, eles ficam soltos no 
citoplasma, e também são capazes de conferir habilidades e caracteristicas melhores 
para os protozoários que os possuem! Essa reprodução sexuada ocorre por meio da 
conjugação, assim como a das bacterias. Mas lembrando, mesmo a forma de 
reprodução sendo igual a das bacterias, os protozoários não são bactérias!!! 
Os protozoários são divididos de acordo com a sua forma de locomoção 
(Fig1), em: 
 INSTITUTO DE ENSINO JOSÉ RODRIGUES DA SILVA pag 2 
 
 
 Sarcodíneos/ Rizópodos – esses protozoários utilizam prolongamentos do 
citoplasma, denominados pseudopódes, pois agem como falsos pés, para sua 
locomoção. Como por exemplo as Amebas. 
 
 Ciliados – se locomovem por meio do batimento dos cílios, exemplo são os 
Paramecium. Esses protozoários ainda são muito espertinhos, eles só realizam a 
reprodução sexual sabiam? Eles são dioícos, eles possuem sexos separados! 
Protozoários são seres muito espertinhos! ^_~ 
 
 
 Flagelados/Mastigóforos – se locomovem por meio de flagelos, como por exemplo o 
Tripanossoma cruzi e o Leishmannia spp. 
 
 Esporozoários – esse não possuem estruturas locomotoras, são em sua totalidade 
espécies parasitas intracelulares obrigatórias e sua reprodução é alternada, em um 
momento realiza reprodução assexuada, com produção de espóros (resistentes ao 
meio) e uma fase sexuada, geralmente dentro do organismo hospedeiro. Temos 
como exemplo o Plasmodium falciparum, causador da malária. 
 
 
Figura 1 – Tipos de protozoários de acordo com suas estruturas de locomoção. a) Rizópodes, 
locomoção por pseudopódes; b) Cíliados, locomoção por cílios; c) Flagelados, locomoção por flagelos; e 
d) Esporozóarios, ausência de estruturas de locomoção. 
 INSTITUTO DE ENSINO JOSÉ RODRIGUES DA SILVA pag 3 
 
 
Agora vamos conhecer as doenças causadas por protozoários. Essas 
doenças possuem ciclos bem específicos de reprodução, como vocês verão a seguir. 
Amebiase é causada pelo rizópode, Entamoeba histolytica. Sua transmissão é por 
meio da ingestão de água ou alimentos contaminados com seus cistos (formas 
resistentes). Seus principais sintomas são dores abdominais, gases, cólicas intensas, 
náuseas, vômito e diarreia. Seu ciclo de contaminação está representado na figura 2. 
Figura 2 – Ciclo reprodutivo da Entamoeba. Onde temos a ingestão do cisto maduro, a eclosão do cisto, 
sua multiplicação que ocorre no colón intestinal, e uma parte se torna cisto e saí nas fezes e outra 
mantem-se parasitando o hospedeiro e se multiplicando. 
Sua profilaxia é a ingestão apenas de água tratada, saneamento básico e 
lavar bem as mãos e os alimentos, no caso, bons hábitos de higiene. 
 
Giardíase, causada pela Giardia lambia (o protozoário mais fofo que vocês irão ver!). 
Sua transmissão é similiar a da amebíase com a ingestão de água contaminada. Seus 
principais sintomas são diárreia, cólicas abdominais, náuseas, gases, fezes 
gordurosas e fétidas e perda de peso. Seu ciclo é simples e está representado na 
figura 3. 
 INSTITUTO DE ENSINO JOSÉ RODRIGUES DA SILVA pag 4 
 
 
Figura 3 – Representação do ciclo de infeção da Giardia. Onde vemos a ingestão de cistos, no estomago, 
por causa do suco gastrico, os cistos eclodem na forma de trofozoito e ocorre a reprodução assexuada. 
Algumas formas entram em estado de enquistamento (retornam a fase de cisto) outras não, no entanto 
ambas as formas são eliminadas nas fezes, no entanto apenas as formas de cisto sobrevivem no 
ambiente. 
Sua profilaxia é similar a da amebiase. 
 
Toxoplasmose, doença causada pelo Toxoplasma gondii, seus hospedeiros finais são 
os ratos, os gatos, assim como nós somos os hospedeiros intermediários, e também 
podemos transmitir o protozoário. Seus principais sintomas são febre alta, exantema 
(manchas vermelhas pelo corpo), miocardite (inflamação do musculo cardiáco), 
acometimento pulmonar, hepático e cerebral, podendo ocasionar lesão ocular. Nas 
grávidas o toxoplasma pode atravessar a barreia placentária e atingir o feto em 
desenvolvimento, implicando em problemas neonatais como ictericia, miocardite, 
maculoma ocular, encefalite (inflamação cerebral) e baixo peso. As formas de 
contaminação são pela ingestão de cistos resistentes que são liberados pelos 
infectados. Esses cistos estão presentes em feses e podem ficar no ambiente. Seu 
ciclo possuiu uma fase zoonótica (no animal) e outra no hospedeiro intermediário, 
assim como fase assexuada e sexuada, e está representado na figura 4. 
 
 
 INSTITUTO DE ENSINO JOSÉ RODRIGUES DA SILVA pag 5 
 
 
 
Figura 4 – Respresentação do ciclo do toxoplasma. Em 1 temos a transmissão do rato para o 
gato/cachorro, por meio das fezes; Em 2 temos a reprodução do toxoplasma, em sua fase bradizoíta, 
onde sua reprodução é sexuada, tendo liberação de cistos nas fezes. Em 8 esses cistos sofres 
esporulação, na forma taquizoíta, tornando-se mais resistentes ao ambiente, nesse momento eles podem 
ser ingeridos tanto por outros mamiferos quando pelo ser humano. Em 10, temos a reprodução 
assexuada da forma taquizoíta (como se fossem meias luas) nesses hospedeiros intermediários, que 
depois liberam eles na forma de cistos, pelas fezes, no ambiente. 
Sua profilaxia é não entrar em contato com as feses de ratos, gatos, cães 
e passaros. E se entrar em contato, lavar as mãos. Uma das mais comuns formas de 
infecção pelo toxoplasma é por latinhas mal armazenadas em supermercados, onde 
ratos caminham. Por isso é impressindível lavar as latas antes de abri-las, sejam elas 
de refrigerante, sucos, cerveja e até mesmo as latas de conservas alimentícias. 
Crianças se contaminam ao entrar em contato com areia contaminada com feses de 
animais contaminados, por isso cuidados com crianças na fase-oral fecal em locais 
com terra deve ser redobrado. Mulheres grávidas devem realizar exames de rotina 
para saber sobre a presença ou infecção