A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
CONTROLADORIA JURÍDICA E INOVAÇÃO- aula 5

Pré-visualização | Página 1 de 1

CONTROLADORIA JURÍDICA 
E INOVAÇÃO 
AULA 5 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Profª Tatiana Rodrigues 
 
 
2 
CONVERSA INICIAL 
Agora que já sabemos o que é a Controladoria Jurídica, como ela se 
posiciona dentro de um escritório, ou de um departamento jurídico, sabemos 
quem são os colaboradores que fazem parte deste “departamento”, suas rotinas, 
cabe avançarmos para a aplicação destes conceitos da melhor forma, 
objetivando o melhor fluxo de processos e procedimentos, com a melhor eficácia, 
produtividade e segurança. Vale lembrar que esta aula tem como objetivo 
principal despertar no profissional o método. Com a noção do método, o 
profissional sempre se utilizará dos fluxos para desenhar a operação jurídica, 
evitando retrabalho e focando na produtividade. E os exemplos apresentados, 
tanto no material quanto na aula gravada, são somente modelos para que cada 
profissional entenda o método de gestão da operação jurídica. 
TEMA 1 – MODELO DE GESTÃO POR FLUXOGRAMA 
A gestão da produção jurídica por meio de fluxos nasceu da mesma 
utilização em outros modelos de negócios, como na indústria e em outros tipos 
de corporações. Neste modelo, principalmente por ser confeccionado de forma 
departamentalizada, consegue-se visualizar quando existe retrabalho na 
produção, por exemplo. 
Dentro de uma organização jurídica ocorre da mesma forma. Podemos 
desenhar os procedimentos de toda a operação com as melhores técnicas, 
tomando as decisões estratégicas ao longo do processo. 
Desta forma, nesta aula iniciaremos alguns exemplos de procedimentos 
que fazem parte do dia a dia jurídico, sempre visando à produtividade e 
segurança. 
TEMA 2 – FLUXO – CASO NOVO 
Independentemente se você atuar em uma banca, um departamento 
jurídico ou órgão jurisdicionado, é salutar para a gestão criar um fluxo de 
“chegada de demanda”. 
Neste fluxo, quando o desenhamos conseguimos desenvolver, ou ao 
menos “pensar” em desenvolver técnicas que transformem a chegada de uma 
demanda, ou um simples atendimento jurídico em um procedimento que 
realmente cumpra a sua finalidade. 
 
 
3 
2.1 O exemplo de chegada da demanda 
Vamos observar o fluxo a seguir, que é somente um exemplo para ilustrar 
o que o profissional deve fazer para despertar a importância da criação de um 
fluxo da chegada de qualquer tipo de demanda. 
Figura 1 – Fluxo da chegada 
 
TEMA 3 – FLUXO – AUDIÊNCIA 
Da mesma forma como no caso da demanda nova, vale mencionarmos a 
importância do “desenho” do fluxo de procedimentos a serem tomados quando 
da ciência de uma audiência. 
Neste caso, a Controladoria Jurídica exerce um papel fundamental, 
muitas vezes no agendamento da audiência, no aviso às partes, testemunhas, 
verificação de documentos necessários para o comparecimento nesta audiência, 
contratação de correspondentes, dentre outras atividades. 
Vale lembrar que cada escritório, ou departamento jurídico, possui sua 
maneira, seu método de controle destas informações e tarefas. Alguns de forma 
mais centralizada, outros, de forma mais descentralizada. 
Contudo, é importante definir um fluxo para os procedimentos, visando 
sempre a segurança e a efetividade. 
 
 
4 
3.1 Exemplo de fluxo de procedimentos preparatórios para a audiência 
Vale lembrar que o fluxo a seguir é somente um exemplo e serve para 
despertar no profissional a curiosidade de desenhar o fluxo da sua própria 
operação. 
No caso de audiências, os procedimentos podem variar muito, vai 
depender se for um escritório, um departamento jurídico, se for de conciliação, 
de instrução, se for autor, réu, se existe alçada para acordo, se existem reuniões 
com testemunhas antes da audiência etc. 
O que queremos mostrar com o desenho do fluxo é a importância da sua 
construção, que culmina em agilidade e segurança, diminuindo inclusive a 
ansiedade da equipe, muitas vezes. 
Figura 2 – Fluxo de operação 
 
TEMA 4 – FLUXO – PUBLICAÇÃO 
O tratamento que se dá na chegada de uma publicação, seja ela uma 
intimação ou uma citação, seja em um escritório ou em um departamento 
jurídico, seja a publicação de natureza judicial ou administrativa, vai depender 
muito do modelo de Controladoria Jurídica, se ela é centralizada ou 
descentralizada. 
4.1 Exemplo do fluxo de publicação 
Da mesma forma, como mencionado nos fluxos anteriores, o desenho a 
seguir é somente um exemplo, que tem como objetivo despertar no profissional 
 
 
5 
que lê este material a necessidade da criação de um fluxo para a operação em 
que ele atua. O grande objetivo é centralizar alguns procedimentos na 
Controladoria Jurídica, evitando que existam inúmeros procedimentos diferentes 
para o mesmo objeto. Visando sempre a produtividade, e a segurança. 
Figura 3 – Fluxo de publicação 
 
TEMA 5 – VANTAGENS 
As principais vantagens da utilização dos fluxos nos procedimentos dentro 
da Controladoria Jurídica de forma integrada com toda a organização é 
inicialmente a visualização dos gargalos e do retrabalho. Trata-se de uma 
excelente ferramenta de gestão que proporciona melhoria contínua no controle 
dos métodos, trazendo eficiência e segurança. 
NA PRÁTICA 
Assim, a constante utilização de fluxos pré-definidos nas organizações 
jurídicas é uma das ferramentas práticas mais eficientes, trazendo de forma 
visual o que, por muitas vezes, a organização esboçou em manuais que 
certamente estão guardados nas gavetas com pouca ou nenhuma adesão. 
FINALIZANDO 
Agora que já sabemos como desenvolver fluxos otimizados dentro das 
nossas organizações, podemos avançar para a criação de relatórios dentro da 
Controladoria Jurídica. 
 
 
6 
REFERÊNCIAS 
ORLANDO, P. J.; SCUCUGLIA, R. Mapeamento e gestão de processos – 
BPM. São Paulo: M. Books, 2011.