A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
15 pág.
Farmacologia 2 - Anticonvulsivantes

Pré-visualização | Página 4 de 5

a canais de Ca2+). 
Ele sempre age primeiro nos canais AMPA, pois os NMDA possuem um átomo de magnésio que impede a entrada de 
Ca2+, além de dificultar a ligação do glutamato. O glutamato só se liga aos receptores NMDA de forma considerável 
após a despolarização inicial promovida pelos receptores AMPA, acoplados aos canais de Na+. 
Fenobarbital 
Bloqueia os receptores AMPA, reduzindo o influxo de Na+, além de ser um agonista alostérico dos canais de Cl-
, o que também aumenta a hiperpolarização. 
Topiramato 
Fármaco sulfonamídicos (possui grupo sulfonamida), derivado de monossacarídeos. 
Mecanismo de ação: 
• Bloqueia a descarga repetitiva de neurônios, por provável inibição dos canais de Na+ voltagem-
dependentes. 
• Há evidencias de que potencializa os efeitos inibitórios do GABA, embora em sítio diferente dos BZDs e 
barbitúricos. 
• Deprime a ação excitatória do glutamato (AMPA) 
Farmacocinética: 
• Biodisponibilidade: 80% 
• Ligação a proteínas plasmáticas: 15% 
• T ½: 19-23h 
• Metabolismo hepático (30%) 
• Metabolização 70% renal, sem metabólitos ativos 
Usos Clínicos: 
O topiramato pode ser utilizado no tratamento de transtorno bipolar e crises de enxaqueca. 
Toxicidade: 
• Sonolência 
• Fadiga 
• Redução da capacidade cognitiva 
Página 9 
@pedrojorgeantunes 
• Nervosismo 
• Confusão 
Felbamato 
É um carbamato, sendo utilizado apenas em casos refratários aos outros medicamentos. 
Mecanismo de ação: 
• Ainda não foi bem estabelecido 
• Evidências de antagonismo ao sítio de glicina do receptor NMDA 
Farmacocinética: 
• Biodisponibilidade: >90% 
• T ½: 20h 
Toxicidade: 
• Amnésia aplásica 
• Hepatite grave 
Por causar os dois efeitos listados em uma taxa consideravelmente alta, este fármaco foi relegado à terceira 
linha, uma vez que é pouco seguro. 
Perampanel 
Mecanismo de ação: 
• Antagonista não-competitivo de AMPA 
• Reduz a sinalização excitatória rápida 
Farmacocinética: 
• Ligação a proteínas plasmáticas: 95% 
• T ½: 105h 
• Metabolização pela CYP3A4 
É um indutor enzimático, podendo diminuir a concentração plasmática de: contraceptivos orais, carbamazepina, 
clobazam, lamotrigina e valproato. 
Toxicidade: 
• Sonolência 
• Confusão 
• Ansiedade 
• Tonteira 
• Visão turva 
Sinapses GABAérgicas 
O receptor ionotrópico GABA-A é acoplado a canais de Cl-, promovendo a hiperpolarização do neurônio 
enquanto GABA estiver ligado entre as subunidades alfa e beta. Infelizmente, o tipo de receptor GABA-A responsável 
pelo efeito anticonvulsivo é o que possui as subunidades alfa1, sendo o mesmo responsável por gerar: sedação, 
amnésia e dependência. 
Progabida 
É um pró-fármaco gabamimético, inativo até ser metabolizado, formando GABA. 
Usos clínicos: 
É utilizado também para doença de Parkinson, esquizofrenia, depressão e ansiedade. 
Farmacocinética: 
• Biodisponibilidade: 60% 
Página 10 
@pedrojorgeantunes 
• Ligação a ptn: 95% 
• t ½: 4h 
• Excreção renal 
Vigabatrina 
É um potencializador do GABA, atuando como inibidor irreversível da GABA transaminase, o que aumenta a 
quantidade de GABA nas sinapses. 
Farmacocinética: 
• Biodisponibilidade: 80-90% 
• Ligação a ptn: Nenhuma 
• t ½: 5-8h em adultos e 12-13h em idosos 
• Excreção renal, sem metabólitos ativos 
Toxicidade: 
• Sonolência 
• Tonteira 
• Ganho de peso 
• Agitação 
• Confusão 
• Psicose 
Tiagabina 
Outro fármaco potencializador do GABA, dessa vez agindo como inibidor da recaptação de GABA, através do 
transportador de ácido glutâmico (GAT), tanto em neurônios, como em glias, o que aumenta os níveis extracelulares 
de GABA no prosencéfalo e no hipocampo. 
Farmacocinética: 
• Biodisponibilidade: 90-100% 
• Ligação a ptn: 96% 
• t ½: 7-9h 
• Excreção renal e fecal 
• Metabolizada pela CYP3A4 
Toxicidade: 
• Nervosismo 
• Tonteira 
• Tremor 
• Dificuldade de concentração 
• Depressão 
Outros Anticonvulsivantes 
Gabapentina 
Embora o nome possa indicar, a gabapentina não age sobre a sinalização GABAérgica, seu mecanismo de ação 
é diminuição do influxo de Ca2+, através da ligação seletiva à subunidade alfa-2-delta de canal de cálcio voltagem-
dependente, reduzindo a exocitose de neurotransmissores excitatórios (glutamato). 
Farmacocinética: 
• Biodisponibilidade: 90% 
• Ligação a ptn: <3% 
• t ½: 5-7h 
• Não é metabolizado 
• Não induz metabolismo hepático 
Página 11 
@pedrojorgeantunes 
Pregabalina 
Molécula derivada da Gabapentina, com o mesmo mecanismo de ação. 
Farmacocinética: 
• Biodisponibilidade: 90% 
• t ½: 5-6,5h 
• Maior absorção, maior potência e ação mais duradoura do que a Gabapentina 
Obs: Mais caro que a Gabapentina, pois o genérico é de mais difícil acesso. 
Toxicidade: (Gabapentina tem praticamente os mesmos efeitos) 
• Sonolência 
• Vertigem 
• Distúrbios gastrointestinais 
• Edema periférico 
Usos Clínicos: 
Pregabalina e Gabapentina também são utilizadas no tratamento da dor neuropática, por inibirem canais de 
cálcio, o que inibe a sinalização da dor. 
Barbitúricos 
Fenobarbital 
O fenobarbital é o único barbitúrico utilizado como anticonvulsivante. A estrutura dos barbitúricos conta com 1 
anel benzênico e um anel de 6 membros, formado por 4 carbonos e 2 nitrogênios. 
Mecanismo de ação: 
• Modula o receptor ionotrópico GABA-A, aumentando o tempo de abertura dos canais de cloreto 
• Bloqueia as respostas excitatórias induzidas pelo glutamato no receptor AMPA 
• Em concentrações elevadas, bloqueia os canais de Na+ voltagem-dependentes 
• Em concentrações terapêuticas, inibe as descargas repetitivas de alta frequência dos canais de Na+ 
• Em concentrações elevadas, bloqueia algumas correntes de Ca2+ (tipos L e N) 
Farmacocinética: 
• Biodisponibilidade: >95% 
• Ligação a ptn: 20-45% 
• T ½: 50-120h 
• Excreção aumentada na urina alcalina (pois é uma molécula ácida) 
• É excretado de forma inalterada (não sofre metabolização) 
Toxidade: 
• Sonolência 
• Diminuição da capacidade motora 
• Depressão do SNC, ainda mais se associado com álcool ou outro depressor do SNC 
Primidona 
É um desoxibarbitúrico, sendo a “mãe” do Fenobarbital, uma vez que ele é derivado dessa molécula. Embora a 
Primidona seja convertida em Fenobarbital, seu mecanismo de ação é semelhante ao da Fenitoína (bloqueio dos canais 
de Na+). 
Farmacocinética: 
• Biodisponibilidade: 100% 
• Ligação a ptn: 25% 
• T ½: 5-18h, mais 16h do metabólito ativo (PEMA) 
Página 12 
@pedrojorgeantunes 
• Tempo para atingir o equilíbrio dinâmico (tss) = 2-3 dias (Primidona) e 1-4 semanas (PEMA) 
Toxicidade: 
Semelhante ao Fenobarbital. 
. 
Novos Anticonvulsivantes 
Imepitoína 
Derivado imidazolínico (ELB138). Atua como agonista parcial de baixa afinidade no sítio dos BZD no receptor 
GABA-A. Mostrou espectro amplo de atividade anticonvulsivante em vários modelos de convulsão e epilepsia, com 
baixa tendência à intolerância e dependência. Foi aprovada na Europa para tratar convulsões em cães. 
Ezogabina 
Mecanismo de ação: 
• Aumenta as correntes de K+, gerando hiperpolarização 
• Estudos in vitro mostraram aumento nas correntes mediadas pelo GABA 
Farmacocinética: 
• Rapidamente absorvido por via oral 
• Alimentos não interferem na absorção 
• 80% de ligação à albumina 
• T ½: 7-11h 
Toxicidade: 
• Tonteira 
• Sonolência 
Figura 1: Locais de ação dos anticonvulsivantes. 
Página 13 
@pedrojorgeantunes 
• Fadiga 
• Confusão 
• Visão turva 
Levetiracetam 
É um análogo do Piracetam, com mecanismo de ação ainda não definido. Acredita-se que ele se ligue a 
glicoproteína da vesícula sináptica e iniba o canal de Ca2+ pré-sináptico. 
Farmacocinética: 
• Biodisponibilidade: 100% 
• Alimentos não interferem na absorção 
• Ligação a ptn: <10% 
• 2/3 do fármaco é excretado inalterado na urina 
• t ½: 6-8h 
Toxicidade: 
• Sonolência 
• Astenia 
• Tonteira 
Quando utilizar cada tipo? 
Convulsões Parciais Simples ou Complexas 
Anticonvulsivantes convencionais: 
• Carbamazepina • Fenitoína

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.