Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Resumo Análise de sedimento, Sedimentoscopia

Pré-visualização | Página 1 de 1

Análise do sedimento 
 – presença de hemácias na urina -> presente em casos de 
cálculos renais, glomerulonefrite, pielonefrite, tumores, traumas etc. 
– presença de hemoglobina na amostra de urina -> 
presente em reações transfusionais, anemia hemolítica, queimaduras graves, etc. 
– presença de leucócitos na urina -> infecção do trato urinário. 
Sedimentoscopia 
-> Análise do sedimento urinário. 
- Detectar e identificar os elementos não-solúveis: hemácias, leucócitos, cilindros, 
cristais, células epiteliais, bactérias, leveduras, parasitas e possíveis artefatos na 
amostra de urina. Esses artefatos podem ser resquícios de talco, cremes vaginais, 
medicamentos, etc. 
Equipamentos necessários: centrífuga, microscópio óptico, micropipetadores, 
câmara de Neubauer -> também é possível fazer a contagem com lâmina e 
lamínula. 
 
- Hemácias e leucócitos: conta-se os quatro quadrantes laterais x 250 = céls/mL. 
- Para análise qualitativa: ausente, raros, alguns ou numerosos. 
- Células epiteliais: são frequentes pois fazem parte do revestimento do sistema 
urogenital. 
- Células pavimentosas: frequentes tanto em homens quanto em mulheres, 
provenientes de células da vagina e das porções inferiores da uretra. 
- Células do túbulo renal: sua presença indica lesão tubular. 
 
Leucócitos: aparecem em infecções do trato urinário e em processos 
inflamatórios. 
Hemácias: aparecem em diversas situações, tais como lesões no parênquima 
renal, lesões de trato urinário e alterações hematológicas e outras causas. 
Cristais: frequentemente achados na análise do sedimento urinário, têm ligação 
direta com o tipo de dieta e raramente possuem significado clínico. 
São formados pela precipitação dos sais da urina submetidos a alterações de 
pH, temperatura e concentração. 
Cristais não patológicos: 
Urina ácida – ácido úrico, oxalato de cálcio, urato amorfo. 
Urina alcalina – fosfato triplo (fosfato amoníaco-magnesiano), fosfato amorfo, 
carbonato de cálcio, fosfato de cálcio. 
Cristais patológicos: leucina, tirosina, cistina, colesterol, bilirrubina e 
hemossiderina. 
Cilindros: formam-se no interior do 
túbulo contorcido distal e ducto 
coletor e têm matriz primariamente 
composta de mucoproteínas de 
Tamm-Horsfall, sendo sua aparência 
influenciada pelos elementos 
presentes no filtrado durante a sua 
formação. 
 
Cilindros celulares -> hemáticos, leucocitários, epiteliais. 
Cilindros acelulares -> hialinos, granulosos, céreos, lipoídico. 
Cilindros pigmentares -> hemoglobínicos e bilirrubínicos. 
Outros elementos: 
Microrganismos – bactérias, fungos e parasitas. 
Outros elementos – muco, contaminantes e espermatozoides. 
Podem ou não ser relatados na dependência da padronização de cada 
laboratório. 
‘’Armadilhas’’ do exame de urina: água, guaraná, chá, cerveja, troca proposital 
de amostras. 
- Observe a amostra 
- Considere todos os itens de análise física e análise química 
- Correlacione dados dos pacientes com os observados na amostra 
- Libere apenas aquilo que você vê 
- Não siga critérios e padrões de liberação sem fundamentos teóricos 
Caso clínico 
1. Pacientes com poliúria e polidipsia realizou exame de Urina tipo I 
com os seguintes parâmetros diagnosticados: 
Cor: Amarela Clara 
Densidade: < 1,005 
Proteinúria: Ausente 
Glicose: negativa 
Corpos Cetônicos: negativo 
Os resultados apresentados são sugestivos de qual doença? 
R: Poliúria (urina mais que o normal) e polidipsia (sede em excesso) são 
sugestivos de diabetes insípidos, por haver baixa produção de ADH, além da 
densidade baixa. 
2. O teste de β-HCG urinário é muito utilizado para triagem de pacientes 
com suspeita de gestação. Os níveis deste hormônio são diferentemente 
detectados durante o processo gestacional. Desta forma, qual a melhor 
amostra de urina para a realização do teste de gravidez urinário, 
evitando resultados falso-negativos? 
R: Primeira urina da manhã pois está mais concentrada – é o produto de uma 
noite inteira de concentração. 
3. Cerca de 70% das condutas médicas são tomadas com base nos resultados 
de exames laboratoriais. O Laboratório de Uroanálise tem a 
obrigatoriedade de trabalhar com excelência e garantia da qualidade. O 
conhecimento da terminologia médica no diagnóstico de doenças renais é 
extremamente importante para que o biomédico realize com eficiência a 
relação clínico-laboratorial. Neste contexto, defina os termos Oligúria, anúria 
e nictúria. 
R: Oligúria: baixo volume urinário. 
Anúria: ausência de urina. 
Nictúria: aumento da excreção da urina noturna. 
4. Cite e explique uma causa de: 
a. Glicosúria renal: problema na reabsorção renal da glicose. 
b. Glicosúria pré-renal: diabetes mellitus. 
c. Proteinúria renal: nefropatia diabética. 
d. Proteinúroa pré-renal: mieloma múltiplo. 
5. Criança com 8 anos deu entrada no Pronto-Socorro com ardência ao 
urinar e febre. Dê o provável resultado do teste de Urina tipo I e 
Urocultura. 
R: Febre é um dos sinais de processos inflamatórios/infecciosos. Odor fétido, 
cor escura, densidade elevada, turvação, nitrito positivo, leucócitos 
presentes, hemoglobinúria, sangue positivo, leucocitúria, piócitos 
(leucócitos degenerados), bacteriúria. Urocultura será positivo pela 
infecção bacteriana. 
6. Homem, 42 anos, deu entrada no Pronto-Socorro com dor em região lombar 
e abdominal. Ao Ultrassom apresentou cálculos renais. Como poderemos 
encontrar o Exame de Urina tipo I para confirmação do diagnóstico de 
litíase renal? 
R: Litíase renal é cálculo renal. Há cristais presentes, urina turva e escura, 
podendo estar até vermelha por conta das lesões causadas pelas 
espículas. 
7. Paciente do sexo feminino, obesa, diabética deu entrada no pronto-
socorro. Como o exame de Urina tipo I se apresentaria, caso o médico o 
tivesse solicitado, com teste de glicemia: 
a. De 300 mg/dL – Urina positiva para glicosúria, densidade elevada, 
turvação, levedura, corpos cetônicos. 
b. De 120 mg/dL? – Urina negativa para glicosúria (glicose dentro do limiar de 
reabsorção, que é até 180 mg/dL) 
8. Paciente deu entrada no Pronto-Socorro com Icterícia e suspeita de 
obstrução biliar. Qual o provável resultado do teste de UI? 
R: Bilirrubinúria alta, urobilinogênio (produto do metabolismo da bilirrubina) 
normal. 
9. A reabsorção de bicarbonato pelos capilares é fator essencial para a 
manutenção do pH sanguíneo e consequentemente manutenção da vida. 
Neste contexto, os rins possuem papel importante para o equilíbrio ácido-
básico e na normalização de seus distúrbios. Explique o processo de 
reabsorção de bicarbonato, a partir do filtrado glomerular. 
R: O filtrado glomerular tem bicarbonato, a célula deposita íons H+ no filtrado, 
que se associa com o bicarbonato, formando H2CO3, que se dissocia em 
CO2 e H2O, o CO2 retorna para a célula, sofrendo ação da anidrase 
carbônica, formando novamente H2CO3, que se dissocia em bicarbonato 
e H+, que retorna para o filtrado e o bicarbonato se associa ao sódio, 
voltando para o sangue. 
10. O exame de urocultura tem por finalidade diagnosticar o agente 
etiológico dos processos de infecção urinária e, associado ao 
antibiograma nos casos de cultura positivas, permite ao médico decidir a 
melhor estratégia terapêutica para condução do tratamento do 
paciente. Assim responda as questões propostas: 
a) Cite duas amostras de urina mais recomendadas para a 
realização de cultura? R: primeira amostra da manhã (jato 
médio) e a punção supra púbica. 
b) Justifique as condições para que o médico escolha de cada 
uma delas. R: Suspeita de infecção urinária.