A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Leucemias - Resumo Hematologia

Pré-visualização | Página 1 de 1

São patologias cuja origem corresponde a processos neoplásicos, envolvendo elementos da medula 
óssea. 
 
 
• Linfoide • Mieloide 
 
 
 
 
 
• Leucemias agudas: Infiltrado medular 
consiste predominantemente de blastos 
ou de células com evidência de 
diferenciação inicial; 
• Leucemia crônica: Infiltrado medular 
consiste em maior proporção de células 
diferenciadas. 
 
 
 
• Anemia; 
• Trombocitopenia; 
• Leucopenia/leucocitose ocorrendo insuficiência medular progressiva; 
• Esplenomegalia; 
• Hepatomegalia; 
• Linfadenopatia; 
• Dor óssea/articular; 
• Aumento da susceptibilidade à infecção por microrganismos oportunistas devido a imunidade 
celular alterada. 
• Citologia/Histologia: Avaliação do sangue periférico, mielograma e biópsia da medula óssea; 
 
• Imunofenotipagem: Proteínas expressas na membrana de cada célula hematopoiética 
diferenciada e madura, identificadas por anticorpos monoclonais; 
• Citoquímica: Marcadores químicas (enzimas, substratos) para identificação celular; 
 
• Citogenética: Avaliação cromossomial das células em divisão mitótica. 
 
 
 
Caracterizada pelo acúmulo de linfoblastos em numerosos órgãos e tecidos, notadamente na medula 
óssea e no sangue periférico. Apresentam certa capacidade de divisão, mas não se diferenciam até 
formas mais maduras e normais. 
 
• Características: 
o Neoplasia de precursores linfóides B 
ou T; 
o Fenótipo T ocorre em 2% dos casos 
(pior prognóstico); 
o Fatores químicos e ambientais tem 
sido associada com a etiologia; 
o É responsável por 20% das 
leucemias no adulto; 
o Representa 80% dos casos de 
leucemia na infância; 
o A incidência máxima é entre 3 e 5 
anos de idade; 
o O índice de cura na infância tem sido 
de 80% nos últimos anos; 
o Melhor prognóstico em crianças de 
1-10 anos. 
 
 
 
Doença clonal do tecido hematopoiético, caracterizada pela produção anormal de células progenitoras 
da linhagem mielóide, ocasionando produção insuficiente de células sanguíneas maduras normais. Tal 
infiltração medular normalmente é acompanhada de neutropenia, anemia e plaquetopenia. A ativação 
de proto-oncogenese e mutações em genes supressores que regulam o ciclo celular parecem estar 
envolvidos na patogênese das leucemias. 
• Características: 
o Mais comum em adultos (80%); 
o Representa cerca de 15-20% das 
leucemias agudas da infância; 
o É a leucemia mais comum entre os 
neonatos; 
o Apenas cerca de 40% dos pacientes 
com menos de 60 anos de idade têm 
sobrevida de cinco anos ou mais; 
o A etiologia está associada a certos 
fatores do meio ambiente. Porém 
fatores individuais e de herança 
também parecem estar envolvidos; 
o Há uma mutação genética com perda 
do código genético. 
 
• Classificação FAB: 
o LMA0: Sem diferenciação; 
o LMA1/2: Com diferenciação até 
promielócito; 
o LMA3: Promielocítica; 
o LMA4: Mielomonocítica; 
o LMA5: Monocítica; 
o LMA6: Eritroleucemia; 
o LMA7: Megacarioblástica. 
 
 
• Imunofenotipagem 
o LMA0: CD33, CD13 ou CD 11b; 
o LMA1: anti-MPO, CD13, CD33, CDw65 
ou CD 117; 
o LMA2: anti-MPO, CD13, CD33, CDw65 
ou CD 117; 
o LMA3: CD13 e CD33; 
o LMA4: CD13 e CD33, CD4, CD14, CD15 
e CD11b (percentagem variável); 
o LMA5: CD33, CD14 e CD15 e fraco 
para CD4; 
o LMA6: glicoforina; 
o LMA7: CD41, CD42 ou CD61. 
 
 
 
• Características: 
o Constitui um grupo heterogêneo de 
neoplasias, que têm em comum a 
origem a partir de células linfóides 
maduras; 
o As células linfóides infiltram órgãos 
linfóides (gânglios linfáticos e baço), 
também estão presentes na medula 
óssea e sangue periférico; 
o Quadro clínico com 
linfoadenomegalia e esplenomegalia; 
o Os critérios diagnósticos consideram 
as características morfológicas, 
imunofenotípicas, citogenéticas e as 
alterações moleculares; 
o Dividem-se em LLC de células B e 
de células T; 
o A LLC-B é a mais comum das 
doenças linfoproliferativas; 
o Nos países ocidentais, a LLC-B 
representa 30% de todas as 
leucemias, e é mais comum em 
homens; 
o A idade mediana dos pacientes ao 
diagnóstico é de 65 anos.
 
• Quadro clínico: 
o A maioria dos pacientes são assintomáticos, e a doença é 
diagnosticada em exames de rotina. 
o Sintomáticos: Comum: linfadenopatia generalizada, perda de 
peso e cansaço. 
 
 
• Sangue periférico é caracterizado por linfocitose persistente 
(linfócitos pequenos, núcleo redondo, cromatina densa e citoplasma 
escasso); 
• A medula óssea é infiltrada com mais de 30% de linfócitos; 
• A hipogamaglobulinemia é comum ( 60%) dos pacientes; 
• Características imunofenotípicas: CD5+ , CD19+ , CD20+ , CD23+ , CD22+ , FMC7- , CD79b- e 
mlg+/. 
 
 
 
• Características gerais: 
o Doença clonal da célula tronco 
progenitora hematopoética, 
traduzindo-se por hiperplasia 
mielóide, leucocitose, neutrofilia, 
basofilia; 
o A LMC constitui 14% de todas as 
leucemias; 
o A idade mediana do diagnóstico 
se encontra entre a quinta e a 
sexta década; 
o Radiação ionizante é o único 
fator de risco conhecido a se 
relacionar com o 
desenvolvimento da LMC; 
o O cromossoma Philadélfia é 
característico da doença: (t9;22) 
(q34;p11). 
 
 
• Fase crônica: 
o Sangue periférico: 
▪ Leucocitose (acima de 25.000 mm3); 
▪ Granulócitos em todas as fases de 
maturação; 
▪ Predominando os mielócitos e as 
formas maduras; 
▪ Basofilia é um achado comum; 
▪ Plaquetas normais ou aumentadas. 
o Medula óssea: 
▪ Intensa hiperplasia granulocítica; 
▪ O número de blastos é inferior a 10%; 
▪ Pode ser encontrada monocitose 
absoluta. 
o A fosfatase alcalina dos neutrófilos é sempre baixa. 
• Fase Acelerada: 
o Leucocitose progressiva 
o Basofilia (excede 20%); 
o Aumento do número de células blásticas e promielócitos (10%-20%); 
o Trombocitose ou trombocitopenia. 
• Crise Blástica: 
o Presença de células blásticas (superior a 30%- MO e SP); 
o Em 50% dos casos essas células imaturas são mieloblastos e em 25% dos casos são 
linfoblastos e no restante são células indiferenciadas.