A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
SUSTENTABILIDADE DA RECICLAGEM DE RESÍDUOS ORIUNDOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL

Pré-visualização | Página 1 de 1

SUSTENTABILIDADE DA RECICLAGEM DE RESÍDUOS ORIUNDOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL
A reciclagem de resíduos pela indústria da construção civil vem se consolidando como uma prática importante para a sustentabilidade, seja atenuando o impacto ambiental gerado pelo setor ou reduzindo os custos. O processo de P&D de novos materiais reciclados precisa ser feito de forma cautelosa e criteriosa para garantir o sucesso destes produtos no mercado. Este artigo aborda os benefícios e os impactos que a reciclagem de resíduos pode gerar, além de analisar os principais resíduos reciclados atualmente pelo setor da construção civil. Discute critérios julgados como essenciais no processo de P&D de produtos reciclados, indicando diretrizes para o desenvolvimento de uma metodologia que direcione este processo.
Os resíduos da construção civil que são reciclados é o popularmente conhecido entulho. Em termos técnicos entulho é o conjunto de fragmentos ou restos de tijolo, concreto, argamassa, aço, madeira, etc., provenientes do desperdício na construção, reforma e/ou demolição de estruturas, como prédios, residências e pontes, ou seja, o Resíduo da Construção Civil (RCC) é todo resíduo gerado no processo construtivo, de reforma, escavação e/ou demolição.
 Desde os primórdios da humanidade a Construção é uma das atividades mais antigas que se tem registro, e executada de forma artesanal, gerando grandes quantidades de entulho. O primeiro registro da utilização desses resíduos na construção civil foi na edificação das cidades do império romano, entretanto, apenas em 1928 que as primeiras pesquisas de forma mais sistemáticas foram realizadas, tendo sua primeira aplicação após a segunda guerra mundial na reconstrução das cidades européias, sendo a data de 1946, considerada o início do desenvolvimento da tecnologia de reciclagem de entulho da construção civil.
 Uma das principais vantagens fornecida pela reciclagem do entulho é a sustentabilidade. Ser sustentável significa que, no processo como um todo, não se utiliza, em nenhuma hipótese, recursos naturais, como pedreiras, cascalhos, terra ou material congênere. A reciclagem dos resíduos da construção civil além de contribuir com a limpeza da cidade poupa os rios, represas, terreno baldio, o esgotamento sanitário, alivia o impacto nos aterros sanitários e lixões e até ameniza alagamentos e enchentes, uma vez que, não vai parar em bueiros e não impermeabiliza o solo.
 A reciclagem do entulho necessita de uma seleção rigorosa, já que em meio aos resíduos pode se encontrar materiais que não são recicláveis, como também materiais que podem ser reaproveitados ou reciclados em para outros fins, deste modo os Resíduos da Construção Civil são separados em três grupos sendo que apenas dois desses grupos possui material que pode ser reciclado para a produção de agregados. Os grupos são: 
· Grupo I - Materiais compostos de cimento, cal, areia e brita: concretos, argamassa, blocos de concreto.
· Grupo II - Materiais cerâmicos: telhas, manilhas, tijolos, azulejos.
· Grupo III - Materiais não-recicláveis: solo, gesso, metal, madeira, papel, plástico, matéria orgânica, vidro e isopor. Desses materiais, alguns são passíveis de serem selecionados e encaminhados para outros usos. Assim, embalagens de papel e papelão, madeira e mesmo vidro e metal podem ser recolhidos para reutilização ou reciclagem.
 O entulho recolhido nas obras é encaminhado para uma usina de reciclagem onde é selecionado e transformado, as possibilidades de uso do material reciclado é imensa, e independente do uso que a ele for dado representa vantagens econômicas, sociais e ambientais, tais como: economia na aquisição de matéria-prima, diminuição da poluição gerada pelo entulho e de suas conseqüências negativas como enchentes e assoreamento de rios e córregos e preservação das reservas naturais de matéria-prima.
 Alguns exemplos de reciclagem para os resíduos que mais são utilizados são: Brita corrida utilizada para pavimentação, agregados para concreto não estrutural, agregados para confecção de argamassas de assentamento e revestimento, utilizados como reforço de subleito, sub-base, ou base de pavimentação, cascalhamento de estradas, preenchimento de vazios em construções, preenchimento de valas de instalações, reforços de aterros (taludes).
 Ainda com todos os benefícios que a reciclagem de resíduos da construção civil pode oferecer o Brasil ainda é iniciante no ramo. Comparado a países de primeiro mundo a reciclagem no Brasil é mínima, “Para se ter idéia, os Estados Unidos reciclam 140 milhões de toneladas dos resíduos de concreto, enquanto o Brasil sequer chega a 5%”, palavras de Hewerton Bartoli presidente da ABRECON (Associação Brasileira para Reciclagem de Resíduos da Construção Civil e Demolição). 
 Contudo o Brasil tem avançado no ramo, Desde 2002 diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil estão disciplinados pela resolução 307 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), órgão consultivo e deliberativo do Sistema Nacional do Meio Ambiente (Sisnama). Legislações mais recentes, como Lei 10.522, de 24 de agosto de 2012, do município de Belo Horizonte, e a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), Lei 12.305, de 02 de agosto de 2010, incorporam as diretrizes gerais desta resolução e procuraram inovar. “A prática ainda precisa avançar, mas a legislação existente foi um importante catalisador. No caso da PNRS, por exemplo, a determinação de substituição dos lixões pelos aterros sanitários, mesmo com prazo prorrogado até 2018, ajudou na conscientização de muitos municípios. Já Belo Horizonte, ao instituir legislação específica, se coloca à frente de muitos municípios na questão ambiental”, assegura Hewerton Bartoli.
Conclusão 
Analisando todas as informações apresentadas nota-se que a reciclagem dos resíduos da construção civil é de extrema importância no quesito sustentabilidade e economia. O Brasil apensar de apresentar falhas no processo, tem aos poucos implantado resoluções, normas, etc, com intuito de conscientizar o estado e todos os órgãos envolvidos na construção civil, da importância da reciclagem. Deve-se investir em pesquisas e desenvolvimento e na implantação de novas tecnologias que torne o processo mais ágil e econômico, despertando ainda mais o interesse de todos. 
Referências Bibliográficas
ÂNGULO S.C Desenvolvimento Sustentável e a Reciclagem de Resíduos da Construção Civil. São Paulo, 2001. 13p. Tese (Mestrado) – Departamento de Engenharia de Construção Civil da Escola Politécnica.
CURWELL, S.; COOPER, I. The implications of urban sustainability. Building Research and Information. V.26, nº1, 1998. p. 17-28.
	JOHN, V.M. Reciclagem de resíduos na construção civil – contribuição à metodologia de pesquisa e desenvolvimento. São Paulo, 2000. 102p. Tese (livre docência) – Escola Politécnica, Universidade de São Paulo.
Levy, S, M.; Helene, P.R.L.. Reciclagem de entulhos na construção civil e a solução política e ecologicamente correta. In: Simpósio Brasileiro de Tecnologias de Argamassa, 1º, Goiânia, Brasil. Agosto 1995 Anais. Goiânia, PP 315-325
MCT Consultoria jurídica. Portaria nº92, de 06 de agosto de 1998. http://www.mct.gov.br/conjur/POR92_98.htm. 22/05/99 17h 37 min.
SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE DO ESTADO DE SÃO PAULO. Governo do estado institui Selo Verde para produtos que respeitam a natureza. http://www.ambiente.sp.gov/not2105c.htm.
ABRECON. O Que é Entulho, História do Entulho, Mercado para o Entulho. http://www.abrecon.org.br/entulho/
CRAEA-MG. Gestão de resíduos garante benefícios na construção civil. http://www.crea-mg.org.br/publicacoes/Pages/Gestao-Residuos-na-Construcao-Civil.aspx. 04/05/2015.
INFRAROI. Recicladora de concreto reduz desperdício de água e reaproveita agregados. http://infraroi.com.br/recicladora-de-concreto-reduz-desperdicio-de-agua-e-reaproveita-agregados/. 28/08/2016.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.