A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
APRESENTAÇÃO FETAL

Pré-visualização | Página 1 de 1

ESTÁTICA FETAL 
❖ ATITUDE 
 
 Relação das diversas partes fetais entre si 
 Depende da disposição dos membros e da coluna vertebral 
 Maioria das vezes → atitude fletida durante toda gestação e parto 
(aspecto oval com duas extremidades representadas pelos polos 
cefálico e pélvico) 
 Em situações anômalas → extensão da coluna com deflexão do polo 
cefálico (apresentação defletida 1º, 2º e 3º grau) 
 
❖ SITUAÇÃO 
 
 Relação entre maior eixo da cavidade uterina e maior eixo fetal 
 
o Longitudinal 
o Transversal 
o Oblíqua 
 
❖ APRESENTAÇÃO 
 
 Região fetal que ocupa a área do estreito superior e nela vai se insinuar 
 
o Cefálica 
o Pélvica 
o Córmica 
 
 Procidência ou prolapso → Quando parte fetal menor (ex.: 
membros) se antepõe à apresentação durante parto, 
ocupando a vagina. 
 
 Apresentação composta ou laterocidência → pequena parte 
fetal desce junto com polos fetais (ex.: mão na cabeça) 
 
 
 
 
A. Apresentação cefálica fletida 
B. Apresentação cefálica defletida de 1º grau 
C. Apresentação cefálica defletida de 2º grau 
D. Apresentação cefálica defletida de 3º grau 
E. Apresentação pélvica completa 
F. Apresentação pélvica incompleta 
G. Apresentação córmica dorsoanterior 
H. Apresentação córmica dorsoposterior 
 
atitude normal (fletida) 
 
 Apresentação cefálica completa → Cabeça flexionada, 
com o mento no es terno (consegue palpar lâmbida) 
 
 Apresentação cefálica defletida → Pode ocorrer que a 
cabeça se apresente com afastamento do mento em 
relação ao esterno, de graus variados: 
o 1º grau: bregma 
o 2º grau: glabela (apresentação de fronte) 
o 3º grau: mento (apresentação de face) 
 
 Apresentação pélvica completa → coxas fletidas no 
abdome e pernas fletidas nas coxas. 
 
 Outras apresentações pélvicas 
o Modo de nádegas ou agripina: os membros inferiores 
apresentam.se estirados e rebatidos de encontro à 
parede ventral do feto. 
o Modo de joelhos e de pés: os joelhos e pés, por se tratarem de pequenas panes fetais, 
não são capazes de comprimir o colo uterino durante o trabalho de parto e, portanto, 
são considerados procidências ou procúbitos. 
 
❖ POSIÇÃO 
 
 Determinada pela relação do dorso (costas) do feto com lado do abdome materno 
 Pode ser direita ou esquerda (esquerda são mais frequentes – 2/3) 
 Finalidade de buscar melhor localização de ausculta cardíaca fetal 
 
❖ NOMENCLATURA DEFINIDORA DE APRESENTAÇÃO E POSIÇÃO 
 
❖ Primeira letra: ponto de referência da 
apresentação fetal 
O = Occípito 
B = Bregma 
N = Naso 
M = Mento 
S = Sacro 
A = Acrômio 
 
❖ Segunda letra: lado materno para o qual está 
localizado o ponto de referencia 
D = Direito 
E = Esquerdo 
 
❖ Terceira letra: variedade na posição, conforme o 
feto esteja voltado para o ponto de referência 
ósseo da bacia materna 
A = anterior – eminência ileopectínea 
T = Transversa – extremidade do diâmetro 
transverso 
P = Posterior ou púbis 
S = Sacro – materna