A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Fisiologia do Tecido Muscular

Pré-visualização | Página 1 de 1

Tecido Muscular – Fisiologia
· Formado por células alongadas FIBRAS
· Caracteriza-se pela contratibilidade e excitabilidade.
· Origem mesodérmica 
1. Tecido muscular liso
2. Tecido muscular estriado esquelético
3. Tecido muscular estiado cardíaco
É responsável por: 
· Movimentos do esqueleto
· Batimentos cardíacos
· Circulação sanguínea
· Movimento dos órgãos
· Fibra: célula muscular
· Sarcoplasma: citoplasma
· Sarcolema: membrana plasmática
· Miofibrilas: fibrilas contráteis (actina e miosina, troponina e tropomioosina).
Tecido Muscular Liso
Presente nos vasos sanguíneos e nos órgãos vicerais, atuando no controle autônomo do organismo.
· Fusiformes e mononucleadas;
· Contração involuntária, fraca e lenta;
Tecido Muscular Estriado Esquelético
É constituído de células estriadas. Tais células caracterizam-se por serem bastante compridas e polinucleadas. Os núcleos são localizados sob o sarcolema. 
Um típico músculo esquelético é formado por numerosos conjuntos de fibras contráteis imersos no sarcoplasma miofibrilas (Dentro delas: actina e miosina).
Fibra muscular se contrai filamentos finos de actina deslizam sobre os grossos de miosina.
· Contração rápida, forte e voluntária.
· Em geral, 1 neurônio para cada fibra.
· Transforma energia química (ATP) em mecânica.
· Gera o calor corporal.
· Células multinucleadas.
· Fibra coberta por endomísio.
· Feixe coberto por perimísio.
· Músculo coberto por epimísio.
· Proteínas contráteis ficam nos sarcômeros 
· cada miofibrilas é dividida em sarcômeros, que são limitados pela linha Z.
Linhas claras: filamentos finos de actina Banda I (sempre dividida em sarcômeros).
Linhas escuras: filamentos finos de actina e filamentos grossos de miosina sobrepostos.
· ATP: energiza miosina (na morte falta ATP, por isso o músculo fica enrijecido).
· Miosina só se liga à actina em pontos específicos. 
 Tropomiosina cobre para evitar contração permanente. Troponina se liga para movimentar.
Cálcio se liga – contrai troponina – leva junto tropomiosina – miosina se liga à actina – acaba o cálcio – troponina e tropomiosina voltam.
 
Complexo da Troponina
· I: Afinidade pela actina
· C: Afinidade pelo cálcio
· T: Afinidade pela tropomiosina
Final da Contração
· Ligamento do ATP
· Bombeamento do cálcio para o interior do retículo sarcoplasmático
· Bomba de cálcio: libera e depois volta para o retículo.
Recomeço do ciclo
· Quebra do ATP para recomeçar o ciclo
 LONGITUDINALMENTE
Teoria da “catraca”
· Cabeça da miosina interage com ATP – atividade APPásica – acúmulo de energia
· Efeito troponina – tropomiosina inibido pelo cálcio
· Interação actina – miosina
· Deslocamento (gasto de energia)
· Sai ADP + Pi, liga novo ATP
· Recomeça o ciclo
Eventos:
1. Despolarização do elemento pré-sináptico
2. Liberação do neurotransmissor – acetilcolina
3. Reconhecimento do receptor – nítico
4. Resposta – contração
Unidade motora: todas as fibras musculares inervadas por um mesmo nervo motor
· Todas as células musculares da unidade contraem sincronicamente quando um nervo motor dispara um potencial de ação.
Fontes de energia para o músculo
Consumo de ATP
· Deslizamento de microfilamentos 
· Liberação de pontes cruzadas
· Bombeamento de cálcio
Fonte de ATP
· Fibra muscular
· Refosforilado pela fosfocreatina (ADP + Pi = ATP)
· Glicogênio do músculo
· Metabolismo oxidativo de carboidratos, gordura e proteínas.
Classificação:
Contração rápida ou lenta
Tipos de fibras
1. Fibras lentas: menores, inervadas por fibras delgadas, amplamente vascularizadas, muitas mitocôndrias (fosforilação oxidativa) – demoram a 
fadigar, presença de mioglobina, retículo pouco desenvolvido.
2. Fibras rápidas: maiores, maior força de contração, maior retículo sarcoplasmático, energia proveniente da glicólise, fadigam mais rápido, menor vascularização, poucas mitocôndrias (menor metabolismo oxidativo).
Fadiga muscular
· Provocada por contração prolongada
· Ocorre pela depleção de glicogênio ou redução de sinal neural após atividade muscular intensa.
· Outra situação: diminuição do fluxo sanguíneo.
* Miastenia grave
Contração da Musculatura lisa
· Mantém a forma dos órgãos internos
· Fibras menores que as esqueléticas
· Multiunitário ou unitário
· Fibras operando inde-pendentemente
· Fibras contraem juntas
· Controle neural
· Membranas unidas por junções abertas
· Deslizamento de actina e miosina
· Consome menos ATP
· Não forma sarcômeros e não possui t-t
· Corpúsculos densos – mesma função que a linha Z (ancorar os filamentos finos).
· Pontes cruzadas da miosina podem tracionar os filamentos de actina de um lado a outro
· Contração prolongada e tônica
· Ciclagem (ligação, desligamento e nova ligação) lenta das pontes cruzadas de miosina.
· Cabeça da miosina -ATPase 1 molécula de ATP por ciclo
INÍCIO LENTO E CONTRAÇÃO PROLONGADA!
· Mecanismo do Trinco do músculo liso: fenômeno da trava:
· Atividade das enzimas miosinas cinase e fosfatase – maior contato entre miosina e actina- consumo de ATP
· Membrana celular do músculo liso
· Canais de cálcio e de sódio
· Fontes de cálcio: meio extracelular e retículo sarcoplasmático
 Esquelético: Túbulos T 
 Liso: cavéolos 
· Transmitem o P.A. para todo o músculo
BOMBA DE CÁLCIO
Bombeia íons de cálcio para fora da fibra muscular
Fenômeno de estresse-relaxamento
· Retorna a sua força de contração original segundos à minutos após ser alongado ou encurtado
· Permite que os órgãos ocos mantenham sempre a mesma pressão no seu interior
TRIDIMENSIONAL