A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
TRAUMATO 1

Pré-visualização | Página 1 de 1

Disc.: FISIOTERAPIA EM ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA 
Aluno(a): PAULA PEREIRA FERRAZ Matríc.: 201708185445
Acertos: 0,4 de 0,5 03/04/2020 (Finaliz.)
 
 
1a Questão (Ref.:201710588329) Pontos: 0,1 / 0,1 
Uma paciente com 24 anos de idade, vítima de acidente automobilístico com fratura cominutiva exposta da tíbia direita,
deu entrada no hospital e foi tratada cirurgicamente com fixador externo do tipo Iliziarov. Em face desse quadro clínico,
assinale a opção incorreta correspondente à intervenção fisioterapeutica para o período pós-operatório dessa paciente:
Nenhuma alternativa está incorreta
 Realizar exercícios de fortalecimento somente após a retirada do fixador.
Realizar mobilizações cuidadosas das articulações e orientar quanto ao posicionamento correto.
Iniciar exercícios de contrações isométricas para a musculatura da coxa e perna.
Instituir medidas para o controle da dor e do edema.
Respondido em 03/04/2020 15:20:38
 
 
Compare com a sua resposta: Teste de Patte
 
2a Questão (Ref.:201710588338) Pontos: 0,1 / 0,1 
É uma fratura da extremidade inferior do rádio com deslocamento palmar do fragmento radial distal e deslocação da
articulação radiocubital distal. A fratura é provocada por uma queda no dorso do punho flexionado. O mecanismo é
indireto, sendo produzida por queda sobre a mão.
ESCAFÓIDE
 SMITH
COLLES
METACARPO
FRATURA DA CABEÇA DO RÁDIO
Respondido em 03/04/2020 15:29:47
 
 
Compare com a sua resposta: Paciente com hipotonia muscular, edema, dor, e diminuição de ADM, Tratamento inicial:
eletrotermofototerapia, drenagem linfatica do membro superior, inibições musculares, manipulações passivas leves,
ativação da musculatura estabilizadora Tratamento avançado: cinesioterapia progressiva principalmente do manguito
rotador e bíceps
 
3a Questão (Ref.:201710588415) Pontos: 0,1 / 0,1 
Existe uma comunicação entre a fratura e a pele. Ela pode ocorrer devido ao deslocamento das extremidades ósseas,
ocasionando a perfuração da pele. Esse tipo de fratura é uma causa adicional de preocupação por causa da possibilidade
de infecção. Na prática clínica, o fisioterapeuta fica apenas responsável por avaliar a fratura após a cirurgia, para
observar, por meio de exames, a cicatrização. Referente ao texto, assinale a alternativa que apresenta, respectivamente,
o tipo de lesão ocorrido e o exame complementar mais adequado.
Fratura oblíqua/exame de ultrassonografia.
Fratura espiral/exame de radiografia convencional
http://simulado.estacio.br/alunos/inicio.asp
javascript:voltar();
Fratura fechada/tomografia computadorizada
 Fratura exposta/exame de radiografia convencional.
Fratura patológica/exame de sangue.
Respondido em 03/04/2020 15:31:00
 
 
Compare com a sua resposta: Tendão do supraespinal e Bursa subacromial
 
4a Questão (Ref.:201710588452) Pontos: 0,0 / 0,1 
São locais de palpação do escafóide, EXCETO
 base do primeiro metacarpo
 distal ao tubérculo de Lister
tabaqueira anatomica
base do segundo metacarpo
tubérculo do escafoide
Respondido em 03/04/2020 15:31:15
 
 
Compare com a sua resposta: GABARITO: Teste de Lasègue: AVALIAR LESÃO DE NERVO CIÁTICO Teste de Compressão
de Apley: AVALIAR LESÃO DE MENISCO Teste de Gaveta Anterior: AVALIAR LESÃO DE LCA Teste de Phalen: AVALIAR
LESÃO DE NERVO MEDIANO Teste de Compressão Foraminal: AVALIAR COMPRESSÃO DE RAIZ NERVOSA
 
5a Questão (Ref.:201710588377) Pontos: 0,1 / 0,1 
A deformidade clássica em dorso de garfo corresponde à fratura:
 Colles
Supracondiliana
transtocantérica
Neer em 3 partes - cabeça, colo e tubérculo maior do úmero
Fratura clavicular
Respondido em 03/04/2020 15:34:07
 
 
Compare com a sua resposta: O nervo mediano que inerva a face ventral do primeiro, segundo, terceiro e metade do
quarto dedo.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
javascript:abre_colabore('34544','184551854','3683595176');

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.