A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
29 pág.
AULA 1 - Introdução e Células Gliais (2)

Pré-visualização | Página 1 de 1

INTRODUÇÃO 
AO ESTUDO DO SISTEMA NERVOSO
E CÉLULAS GLIAIS
LETÍCIA DE ABREU
MORFÔLOGIA DO NEURÔNIO
CLASSIFICAÇÃO DOS NEURÔNIOS
CLASSIFICAÇÃO ESTRUTURAL
 Neurônios Multipolares: Possuem diversos dendritos e um axônio. (Encéfalo e Medula Espinhal).
 Neurônios Bipolares: Possuem um dendrito principal e um axônio. ( retina, orelha interna e região
olfatória).
 Neurônios Unipolares: Possuem dendritos e um axônio que se fundem para formar um processo
continuo que emerge do corpo celular. ( neurônios sensoriais – toque, pressão, dor e temperatura).
CLASSIFICAÇÃO DOS NEURÔNIOS
ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA NERVOSO
ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO CENTRAL
 ENCÉFALO: ( cérebro, tronco encefálico e cerebelo)
 Cérebro –Telencéfalo e diencéfalo.
 Tronco encefálico – Mesencéfalo, ponte e bulbo.
 MEDULA ESPINHAL
TELENCÉFALO
DIENCÉFALO 
• Tálamo: Estrutura chave para transmissão de informações aos hemisférios
cerebrais.
• Hipotálamo: Função do S.N.A e controla a liberação de hormônios endócrinos
da hipófise, sono e vigília.
TRONCO ENCEFÁLICO
• Mesencéfalo: Papel central no controle dos movimentos oculares.
• Bulbo e Ponte: Mecanismos essenciais de regulação da pressão sanguínea e da
respiração.
CEREBELO 
• Regula os movimentos dos olhos e membros na manutenção da postura e
equilíbrio.
MEDULA ESPINHAL
• Assegura condução do fluxo de informações SENSITIVAS e MOTORAS ao encéfalo.
• Organização segmentária (como no desenvolvimento).
ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO
 SISTEM NERVOSO SOMÁTICO: Nervos Cranianos e Raquidianos.
 SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO: Simpático e Parassimpático.
LETÍCIA DE ABREU
CÉLULAS GLIAIS
CÉLULAS GLIAIS
 Célula Neuroglial
(Glia): Providencia
suporte estrutural e
metabólico para os
neurônios.
 *Maior quantidade.
CÉLULAS GLIAIS
 Metade de todo volume do SN;
 Vem do grego cola;
 Tumores malignos.
CÉLULAS GLIAIS
 Células gliais do SNC
 Astrócitos
 Suporte para neurônios;
 Barreira hematoencefálica;
CÉLULAS GLIAIS
 Células gliais do SNC
 Oligodendrócitos
 Manutenção e formação da bainha 
de mielina do SNC;
 Cada célula mieliniza vários 
axônios. 
ESCLEROSE MÚLTIPLA
 Inflamatória crônica e progressiva;
 Afeta SNC;
 De origem auto-imune;
 Etiologia desconhecida;
 Desmielinizante;
 Não tem cura.
SINAIS E SINTOMAS
 Neurite óptica (uma inflamação do 
nervo óptico);
 Formigamento nos membros por 
perda sensitiva;
 Alteração do equilíbrio;
 Perda ou diminuição de força;
 Fadiga excessiva;
 Disfunção esfincteriana;
 Alteração da coordenação;
 Espasticidade.
CÉLULAS GLIAIS
 Células gliais do SNC
 Micróglia
 Removem fragmentos do 
tecido nervoso danificado;
CÉLULAS GLIAIS
 Células gliais do SNC
 Células Ependimárias
 Revestem os ventrículos
celebrais e o canal da medula
espinhal;
 Produzem, monitoram e
auxiliam a circulação do líquor.
CÉLULAS GLIAIS
 Células gliais do SNP
 Células Schwann
 Manutenção e formação da
bainha de mielina do SNP;
 Cada célula mieliniza um
axônio.
GUILLAIN-BARRÉ
 Desmielinizante do SNP;
 Inflamatória;
 Aguda – Reversível ;
 Etiologia desconhecida;
 Viral;
INFECÇÕES PRECEDENTES E OUTROS FATORES 
PRECIPITANTES DA SGB
Infecções virais
Hepatites
HIV
Influenza
Fatores precipitantes
Cirurgia
Gravidez
Imunização
SINAIS E SINTOMAS
 Perda de reflexos em braços e
pernas;
 Diminuição da força que começa nas
pernas e sobe para braços forma
aguda;
 Dormência;
 Alterações da sensibilidade;
 Dor muscular (cãibra);
 Diminuição do tônus;
 Comprometimento do nervos
cranianos;
CONSIDERAÇÕES - DESMIELINIZAÇÃO
 SNC
 Propagação continua - lenta;
 Regeneração mais lenta;
 Disposição de uma célula para vários axônios;
 Quase não possuem nós de ranvier.
 SNP
 Propagação saltatória - rapida;
 Regeneração mais rápida;
 Disposição de uma célula para cada axônio;
 Possuem muitos nós de ranvier.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.