A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
ADM 2 II

Pré-visualização | Página 1 de 2

PROVIMENTO 
- ato pelo qual o servidor é investido no cargo, emprego ou função 
- Provimento originário: vincula inicialmente o servidor ao cargo. Ocorre por nomeação 
(estatutário) ou contratação (CLT) 
- salvo os casos previstos em lei, depende de concurso 
- 30 dias para tomar posse (com a posse ocorre a investidura) 
- 15 dias para começar a trabalhar. Se não, ocorre a desinvestidura, a exoneração é de oficio 
- Provimento secundário: depende de um vinculo anterior com a Administração. É mudança 
dentro da carreira, podendo ocorrer no mesmo plano e na mesma estrutura 
 
VACÂNCIA 
- ato administrativo pelo qual o servidor é destituído do cargo 
- cargo publico fica sem titular 
- vacância com extinção de vinculo: exoneração; demissão; morte; aposentadoria 
- vacância sem extinção de vinculo: promoção; readaptação; recondução (posse em outro 
cargo) 
 
ARTIGOS DESSAS BOSTA 
- Art. 6o O provimento dos cargos públicos far-se-á mediante ato da autoridade competente de 
cada Poder. 
- Art. 7o A investidura em cargo público ocorrerá com a posse. 
- Art. 10. A nomeação para cargo de carreira ou cargo isolado de provimento efetivo depende 
de prévia habilitação em concurso público de provas ou de provas e títulos, obedecidos a 
ordem de classificação e o prazo de sua validade. 
- Art. 12. O concurso público terá validade de até 2 (dois) anos, podendo ser prorrogado uma 
única vez, por igual período. 
- Art. 13. A posse dar-se-á pela assinatura do respectivo termo, no qual deverão constar as 
atribuições, os deveres, as responsabilidades e os direitos inerentes ao cargo ocupado, que 
não poderão ser alterados unilateralmente, por qualquer das partes, ressalvados os atos de 
ofício previstos em lei. 
- Art. 14. A posse em cargo público dependerá de prévia inspeção médica oficial. 
- Art. 15. Exercício é o efetivo desempenho das atribuições do cargo público ou da função de 
confiança. 
- Art. 19. Os servidores cumprirão jornada de trabalho fixada em razão das atribuições 
pertinentes aos respectivos cargos, respeitada a duração máxima do trabalho semanal de 
quarenta horas e observados os limites mínimo e máximo de seis horas e oito horas diárias, 
respectivamente. 
- Art. 20. Ao entrar em exercício, o servidor nomeado para cargo de provimento efetivo ficará 
sujeito a estágio probatório por período de 24 (vinte e quatro) meses, durante o qual a sua 
aptidão e capacidade serão objeto de avaliação para o desempenho do cargo, observados os 
seguinte fatores: 
I - assiduidade; 
II - disciplina; 
III - capacidade de iniciativa; 
IV - produtividade; 
V- responsabilidade. 
- Art. 21. O servidor habilitado em concurso público e empossado em cargo de provimento 
efetivo adquirirá estabilidade no serviço público ao completar 2 (dois) anos de efetivo 
exercício. 
- Art. 22. O servidor estável só perderá o cargo em virtude de sentença judicial transitada em 
julgado ou de processo administrativo disciplinar no qual lhe seja assegurada ampla defesa. 
 
DIREITOS / VANTAGENS 
- Art. 40. Vencimento é a retribuição pecuniária pelo exercício de cargo público, com valor 
fixado em lei. 
- Art. 41. Remuneração é o vencimento do cargo efetivo, acrescido das vantagens pecuniárias 
permanentes estabelecidas em lei. 
- Art. 42. Nenhum servidor poderá perceber, mensalmente, a título de remuneração, 
importância superior à soma dos valores percebidos como remuneração, em espécie, a 
qualquer título, no âmbito dos respectivos Poderes, pelos Ministros de Estado, por membros do 
Congresso Nacional e Ministros do Supremo Tribunal Federal. 
- Art. 49. Além do vencimento, poderão ser pagas ao servidor as seguintes vantagens: 
I - indenizações; 
II - gratificações; 
III - adicionais. 
- Art. 51. Constituem indenizações ao servidor: 
I - ajuda de custo; 
II - diárias; 
III - transporte. 
 IV - auxílio-moradia. 
 
RESPONSABILIDADES 
- Art. 122. A responsabilidade civil decorre de ato omissivo ou comissivo, doloso ou culposo, 
que resulte em prejuízo ao erário ou a terceiros. 
- Art. 123. A responsabilidade penal abrange os crimes e contravenções imputadas ao 
servidor, nessa qualidade. 
- Art. 124. A responsabilidade civil-administrativa resulta de ato omissivo ou comissivo 
praticado no desempenho do cargo ou função. 
- Art. 125. As sanções civis, penais e administrativas poderão cumular-se, sendo 
independentes entre si. 
- Art. 126. A responsabilidade administrativa do servidor será afastada no caso de absolvição 
criminal que negue a existência do fato ou sua autoria. 
 
IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA 
- sanções aplicáveis aos agentes públicos em caso de enriquecimento ilícito 
- não há normas de cunho penal 
- sujeito ativo: qualquer agente publico em qualquer nível da administração 
- elemento subjetivo: a conduta delitiva improba não exige necessariamente culpa e dolo, basta 
a vontade do agente 
- categorias: 
I- Enriquecimento ilícito do agente ou terceiros: auferir qualquer tipo de vantagem patrimonial 
indevida em razão do exercício do cargo, função, emprego ou atividade 
II- Prejuizo ao erário: qualquer ação ou omissão, dolosa ou culposa, que enseje perda 
patrimonial, desvio, apropriação, malbaratamento ou dilapidação dos bens ou haveres 
III- Atentado aos princípios da Administração Pública: qualquer ação ou omissão que viole os 
deveres de honestidade, imparcialidade, legalidade e lealdade às instituições. Ocorre no 
desprestigio 
- Penas: 
I- Enriquecimento ilícito: 
1. Perda de bens e valores 
2. Ressarcimento integral do dano 
3. Perda de função 
4. Pagamento de multa até 3x o valor do acréscimo patrimonial 
5. Proibição de contratar com o poder publico por 10 anos 
6. Proibição de receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios por 10 anos 
II- Prejuizo ao erário: 
1. Ressarcimento integral do dano 
2. Perda de bens ou valores acrescidos 
3. Perda da função 
4. Suspensão dos direitos políticos de 5 a 8 anos 
5. Pagamento de multa até 2x o valor do dano 
6. Proibição de contratar com o poder publico por 5 anos 
7. Proibição de receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios por 5 anos 
III- Atentado aos princípios da Administração Pública: 
1. Ressarcimento integral de danos 
2. Perda de função 
3. Suspensão dos direitos políticos de 3 a 5 anos 
4. Pagamento de multa até 100x o valor da remuneração 
5. Proibição de contratar com o poder publico por 3 anos 
6. Proibição de receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios por 3 anos 
 
CLASSIFICAÇÃO DOS BENS PUBLICOS 
- Uso comum: rios, mares, estradas, ruas e praças 
- Uso especial: edifícios ou terrenos destinados a serviço ou estabelecimento da administração 
federal, estadual, territorial ou municipal, inclusive os de suas autarquias 
- Dominicais: constituem o patrimônio das pessoas jurídicas de direito público, como objeto de 
direito pessoal, ou real, de cada uma dessas entidades. 
 
AFETAÇÃO E DESAFETAÇÃO 
- Afetação: consiste em conferir ao bem público uma finalidade pública, transformando-o em 
indisponível, em inalienável. Uma casa doada onde é instalada uma biblioteca infantil 
- Desafetação: consiste em retirar do bem aquela destinação anteriormente conferida a ele, 
transformando-o em disponível e inalienável, nas condições da lei. Uma operação urbanística 
que torna inviável o uso de uma rua como via de circulação 
 
CARACTERÍSTICAS DE BENS PÚBLICOS 
I- Inalienabilidade: 
- em regra, os bens públicos não podem ser alienáveis (vendidos, permutados ou doados) 
- preenchidas algumas condições, é possível 
- exige-se autorização legislativa quando o bem for imóvel e pertencer a uma pessoa jurídica 
de direito publico, uma declaração de interesse publico 
- avaliação prévia e licitação, sendo essa dispensada em algumas hipóteses expressas 
II- Imprescritibilidade: 
- impede que os bens públicos sejam adquiridos por usucapião 
- os imóveis públicos, urbanos ou rurais,