A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
Direito processual trabalhista

Pré-visualização | Página 1 de 3

UNIDADE I 
- conceito de direito processual trabalhista: é o conjunto de normas que objetivam 
regulamentar a solução dos conflitos individuais e coletivos de trabalho 
- princípios constitucionais: devido processo legal; inafastabilidade da jurisdição; 
contraditório; publicidade dos atos processuais; duplo grau de jurisdição; duração razoável do 
processo 
- princípios do direito processual civil: dispositivo mitigado; oralidade; imediação; economia 
processual; instrumentalidade das formas; imparcialidade; cooperação; proibição da decisão 
surpresa 
- processo do trabalho possui: autonomia; poder normativo; execução de oficio; jus 
postulandi; formalismo mínimo 
- jus postulandi: capacidade que se faculta a alguém de postular perante as instancias 
judiciarias as suas pretensões na justiça 
- principio da irrecorribilidade das decisões interlocutórias: em regra, as decisões 
interlocutórias não permitem que recorram 
- principio da proteção: proteger a parte mais frágil no processo 
- Art. 15. Na ausência de normas que regulem processos eleitorais, trabalhistas ou 
administrativos, as disposições deste Código lhes serão aplicadas supletiva e 
subsidiariamente. 
- Art. 769 - Nos casos omissos, o direito processual comum será fonte subsidiária do direito 
processual do trabalho, exceto naquilo em que for incompatível com as normas deste Título. 
 
UNIDADE II 
- Art. 111-A. O Tribunal Superior do Trabalho compor-se-á de vinte e sete Ministros, 
escolhidos dentre brasileiros com mais de trinta e cinco anos e menos de sessenta e cinco 
anos, de notável saber jurídico e reputação ilibada, nomeados pelo Presidente da República 
após aprovação pela maioria absoluta do Senado Federal, sendo: 
I um quinto dentre advogados com mais de dez anos de efetiva atividade profissional e 
membros do Ministério Público do Trabalho com mais de dez anos de efetivo exercício, 
observado o disposto no art. 94; 
II os demais dentre juízes dos Tribunais Regionais do Trabalho, oriundos da magistratura da 
carreira, indicados pelo próprio Tribunal Superior. 
6 ministros do quinto constitucional + 21 ministros de carreira = 27 ministros 
- § 2º Funcionarão junto ao Tribunal Superior do Trabalho: 
I a Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados do Trabalho, cabendo-lhe, 
dentre outras funções, regulamentar os cursos oficiais para o ingresso e promoção na carreira; 
II o Conselho Superior da Justiça do Trabalho, cabendo-lhe exercer, na forma da lei, a 
supervisão administrativa, orçamentária, financeira e patrimonial da Justiça do Trabalho de 
primeiro e segundo graus, como órgão central do sistema, cujas decisões terão efeito 
vinculante. 
 
Tribunais regionais de trabalho 
- Art. 113. A lei disporá sobre a constituição, investidura, jurisdição, competência, garantias e 
condições de exercício dos órgãos da Justiça do Trabalho. 
- designados pelo termo “região” 
- 24 TRT’s no Brasil 
- magistrados nomeados pelo presidente 
- observância do quinto constitucional 
- demais vagas preenchidas pela promoção dos juízes do trabalho 
 
Juízes do trabalho 
- concurso publico 
- acesso pelo cargo de juiz substituto 
- organização em varas do trabalho 
- promoção para cargo de juiz titular 
 
UNIDADE III 
- competência interna: em razão da matéria; em razão do lugar; em razão do valor; funcional 
- A competência das Juntas de Conciliação e Julgamento é determinada pela localidade 
onde o empregado, reclamante ou reclamado, prestar serviços ao empregador, ainda 
que tenha sido contratado noutro local ou no estrangeiro; 
- A competência das Juntas de Conciliação e Julgamento, estabelecida neste artigo, 
estende-se aos dissídios ocorridos em agência ou filial no estrangeiro, desde que o 
empregado seja brasileiro e não haja convenção internacional dispondo em contrário. 
- Quando for parte de dissídio agente ou viajante comercial, a competência será da Junta 
da localidade em que a empresa tenha agência ou filial e a esta o empregado esteja 
subordinado e, na falta, será competente a Junta da localização em que o empregado 
tenha domicílio ou a localidade mais próxima. 
- Em se tratando de empregador que promova realização de atividades fora do lugar do 
contrato de trabalho, é assegurado ao empregado apresentar reclamação no foro da 
celebração do contrato ou no da prestação dos respectivos serviços. 
- relação de emprego está contida na relação de trabalho 
- compete a justiça do trabalho processar e julgar: 
1. as ações oriundas da relação de trabalho, abrangidos os entes de direito publico externo 
(internacionais) da administração pública direta e indireta da Uniao, dos Estados, do DF e dos 
municípios (servidores públicos regidos pela CLT; no âmbito do trabalho privado, qualquer um) 
2. as ações que envolvam exercício de direito de greve (privados também; ações possessórias 
especialmente a interdito proibitório) 
3. as ações sobre representação sindical, entre sindicatos, entre sindicatos e trabalhadores, e 
entre sindicatos e empregadores 
4. os mandados de segurança, habeas corpus e habeas data, quando o ato questionado 
envolver matéria sujeito à sua jurisdição 
5. as ações de indenização por dano moral ou patrimonial, decorrentes da relação de trabalho 
6. as ações relativas às penalidades administrativas (poder de policia) impostas aos 
empregadores pelos órgãos de fiscalização das relações de trabalho (multas etc) 
7. a execução, de oficio, das contribuições sociais previstas no art 195 e seus acréscimos legais, 
decorrentes das sentenças que proferir 
8. outras controvérsias decorrentes da relação de trabalho, na forma da lei 
 
- Art. 804 - Dar-se-á conflito de jurisdição: 
a) quando ambas as autoridades se considerarem competentes; 
b) quando ambas as autoridades se considerarem incompetentes. 
Art. 66. Há conflito de competência quando: CPC 
III - entre 2 (dois) ou mais juízes surge controvérsia acerca da reunião ou separação de 
processos. 
 
UNIDADE IV 
- partes do processo: juiz, autor e réu 
- capacidade processual: capacidade de ser parte (tenha personalidade jurídica); de estar em 
juízo (praticar os atos da vida civil); postulatória (aptidão para atuar nos atos processuais) 
- capacidade material: capacidade de direito ou de gozo; de fato ou de exercício 
- honorários contratuais são decididos pelas partes 
- situações que precisa de advogado: recursos ao TST; processos de natureza cível, como 
mandato de segurança, ação rescisória, tutela provisória; 
- Art. 8º É livre a associação profissional ou sindical, observado o seguinte: 
III - ao sindicato cabe a defesa dos direitos e interesses coletivos ou individuais da categoria, 
inclusive em questões judiciais ou administrativas; 
 
- caracterização de litigância de má fé: 
1. deduzir pretensão ou defesa contra texto expresso da lei ou fato incontroverso 
2. alterar a verdade dos fatos 
3. usar do processo para conseguir objetivo ilegal 
4. opuser resistência injustificada ao andamento do processo 
5. proceder de modo temerário em qualquer incidente ou ato do processo 
6. provocar incidente manifestamente infundado 
7. interpuser recurso com intuito manifestamente protelatório 
- processo do trabalho não precisa de advogado, este precisará de uma procuração pra 
atuar 
- mandato tácito: atuação para o cliente sem documento escrito 
- procuração apud acta: procuração expressa e oral 
 
- consequências da litigância de má fé: 
1. multa entre 1 e 10% 
2. indenização pelos prejuízos causados 
3. honorários advocatícios 
4. aplicação das penalidades às testemunhas 
 
- honorários advocatícios na justiça do trabalho: 
1. entre 5 e 15% 
2. honorários na sucumbência reciproca (ambas as partes perdem) 
3. grau de zelo do profissional; lugar de prestação do serviço; natureza e importância da causa; 
o trabalho realizado pelo advogado e o tempo exigido para o seu serviço 
4. limites da concessão da gratuidade judiciaria