A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Necrose

Pré-visualização | Página 1 de 1

Necrose
Introdução
Se a morte celular ocorre em
um organismo vivo e é
seguida de autólise, o
processo recebe o nome de
necrose.
• Autólise: Degradação
enzimática dos componentes
da célula por enzimas da
própria célula liberadas dos
lisossomos
• Sofrimento/alteração
nuclear
• Picnose, cariorex e
cariólise
• Morte celular NÃO pode ser
entendida como sinônimo de
necrose (Necrose = morte
celular no indivíduo vivo
seguido de autólise
Alterações Citoplasmáticas
• Aumento da acidofília
citoplasmática
Desnaturação proteica 
aumenta a afinidade pela
eosina  perda do núcleo
 saída da basofilia
• Aspecto amorfo
dissolução da membrana
citoplasmática e liberação do
material intracelular,
formando uma massa
indistinta eosinofílica
homogênea, vista
principalmente nas necroses
de caseificação.
• Limites celulares
comprometidos
Perda dos limites
celulares/morfológicos.
Comprometimento da
membrana celular
• Aspecto vítreo, homogêneo
com a lise das organelas e
coagulação das proteínas
forma-se uma massa opaca
e acidófila, vista
principalmente nas necroses
coagulativas.
Necrose
Alterações Nucleares
1. Picnose: condensação da
cromatina
- O núcleo encolhe, fica
escuro, homogêneo e redondo,
diferente do núcleo
fragmentado denso e escuro
das células apoptóticas. A
picnose pode ser uma sequela
da condensação da cromatina
na degeneração inicial
2. Cariorexis: fragmentação
do núcleo.
- O envelope nuclear se rompe
e os fragmentos nucleares
escuros são liberados no
citoplasma celular.
3. Cariólise: dissolução do
núcleo, imagem negativa.
- O núcleo fica extremamente
pálido devido à dissolução
de cromatina, provavelmente
pela ação de RNAases e
DNAases.
• Ausência de núcleo: esse é
um estágio posterior à
cariólise, no qual o núcleo
dissolve-se e é
completamente lisado.
Necrose
Tipos de necrose
• Necrose de Coagulação ou
necrose isquêmica
- Acomete todos os tecidos,
exceto Sistema Nervoso
- Mais de 90% causada por
isquemia/hipóxia do local
(obstrução local).
- Aspecto macro:
Início:Palidez
Tardio:
escurecido/hemorrágico
- Aspecto micro:
Aumento da acidofilia, perda
dos limites celulares e
preservação da arquitetura
tecidual
- Há perda da nitidez dos
elementos nucleares e
manutenção do contorno
celular devido à
permanência de proteínas
coaguladas no citoplasma,
sem haver rompimento da
membrana celular.
• Necrose de Liquefação
- Afeta principalmente o sistema
Nervoso (isquemia)
Outros: associado a infiltrado
inflamatório
- Causada por isquemia (SN)
Infecções bacterianas/piogênicas
Aspecto macro
Zona necrosada adquire
consistência mole, semifluida ao
corte drena líquido do tecido
liquefeito
- Aspecto micro:
o tecido necrótico fica limitado a
uma região, geralmente
cavitária, havendo a presença de
grande quantidade de neutrófilos
e outras células inflamatórias
(os quais originam o pus). .
Inflamações purulentas 
também ocorre necrose por
liquefação  ação de enzimas
lisossômicas liberadas pelos
leucócitos
- Diminui acidofilia, perda de
limites celulares, perda da
arquitetura tecidual, tecido sem
retenção tecidual
Necrose
• Necrose Caseosa
- Ocorre em todos os tecidos
- Tecido esbranquiçado,
granuloso, amolecido, com
aspecto de "queijo friável".
Microscopicamente o tecido
exibe uma massa amorfa
composta predominantemente
por proteínas.
- Causadas por bactérias
relacionadas a tuberculose
- Aspecto micro:
Branco amarelado, friável,
esfararelento, seco e
endurecido (cálcio)
- Aspecto macro:
Aumento da acidofilia, perda
dos
limites celulares e arquitetura
tecidual com retenção de
tecido; frequente calcificação
Decorre de mecanismos
imunitários de agressão
envolvendo macrófagos e
Linfócitos T.
• Esteatonecrose
- Afeta o tecido adiposo
- Pode ter causa:
Traumática: subcutâneo
Enzimática: enzimas
pancreáticas, tec. Adiposo
 ocorre quando há liberação
de enzimas nos tecidos (mais
comum pancreático); Há
intensa liberação de lipases
nesse órgão, as quais podem
atingir o próprio tecido
adiposo pancreático,
destruindo-o
- Aspecto macro
Subcutaneo: áreas
escurecidas
Enzimatico: Depósitos
esbranquiçados ou manchas
com aspecto de pingo de
vela”.
- Aspecto micro:
Inicialmente aumento de
acidofilia, com manutenção
da arquitetura, tardiamente
deposição de cálcio e perda
da arquitetura

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.