A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Fisiologia da contração muscular

Pré-visualização | Página 1 de 2

MARÍLIA ARAÚJO – P1 
 
Fisiologia da contração muscular 
Fáscia muscular: 
• Interposto entre a pele e o músculo 
• Feita de colágeno (tecido conjuntivo) 
• Função: envolver todos os músculos estriados 
esqueléticos superficiais 
• Dar estabilidade durante a cinese 
• Proteção mecânica 
• Evita hérnia muscular: que é a saída do músculo do 
lugar (devido a força exacerbada), e o não retorno 
a posição anatômica. Comuns na região do 
abdômen e da perna 
OBS: Distensão muscular – estiramento com 
dor/inflamação 
Tipos de tecido muscular: 
• Músculo estriado esquelético – fixados aos ossos 
por meio dos tendões 
OBS: Fusos musculares – receptores que protegem 
o músculo contra estiramentos e rupturas. 
Corpúsculos de Golgi – receptores que protegem o 
tendão contra avulsão/descolamento e 
rompimento 
• Músculo estriado cardíaco – revestem o coração 
(parede dos átrios e parede dos ventrículos) 
• Músculo liso – fazem parte da formação de órgãos 
(inclusive as paredes de artérias e veias) 
 
• As células musculares esqueléticas são do 
tamanho do músculo (longas), são multinucleadas, 
o núcleo é periférico e possuem estrias transversas 
(perpendiculares à célula/ uma faixa clara e outra 
escura), que atravessam a célula simetricamente 
OBS: O diafragma possui músculo esquelético. 
Porém contrai de forma voluntária e involuntária 
(inervação dupla) 
OBS: Célula muscular, fibra muscular e miócito são 
sinônimos 
• O músculo cardíaco apresenta células pequenas, 
suas células são anastomosadas (se ramificam e 
misturam-se umas com as outras por possuírem 
limites parciais), possuem 1 ou 2 núcleos, que 
podem ser centrais (maioria) ou periféricos 
OBS: Discos intercalares são um contato 
diferenciado que as células possuem, com sinapses 
elétricas 
• As células musculares lisas são fibras fusiformes, 
possuem células pequenas e apenas 1 núcleo 
(centralizado) 
Divisão do músculo estriado esquelético: 
• Para ter acesso ao músculo, é necessário retirar a 
fáscia 
• Todo músculo esquelético terá um revestimento, 
chamado de epimísio (tecido conjuntivo), que 
possui características semelhantes à fascia 
• Por dentro do músculo existem várias estruturas 
organizadas por feixes musculares (fascículos). 
• Cada fascículo possui um revestimento 
membranoso chamado de perimísio (tecido 
conjuntivo semelhante ao epimísio e à fáscia). Os 
vasos sanguíneos entram no músculo junto com o 
perimísio 
• Por dentro do feixe, em cada fascículo, são 
formadas fibras musculares. A proteção dessas 
fibras/células é o endomísio (tecido conjuntivo 
rico em fibras de colágeno) 
OBS: O endomísio não é a membrana plasmática da célula 
muscular. Rente ao endomísio fica a membrana 
fosfolipídica. 
• O citoplasma da célula muscular é chamado de 
sarcoplasma (possui muitas proteínas) 
• O conjunto de proteínas internas ao músculo são 
chamadas de miofibrilas – actina e miosina 
• O sarcômero é formado pelo conjunto de actina e 
miosina 
• Os três tecidos possuem mesma origem 
embrionária (mesoderme) 
• O sarcolema é a membrana da célula muscular. 
Possui sensibilidade grande à corrente elétrica e 
també a conduz. Ele é perfurado 
• O Sarcoplasma é o citoplasma da célula muscular 
• O músculo em geral possui dificuldade de 
regeneração 
• Os músculos são muito vascularizados 
• O fígado possui células especiais (hepatócitos) e 
sua regeneração acontece graças a elas 
MARÍLIA ARAÚJO – P1 
 
*Músculo braquio-radial 
• Várias células embrionárias (mioblastos) se juntam 
e formam a célula adulta (miócitos) do músculo 
estriado esquelético 
• Células satélites fazem reparos na célula muscular 
(ficam do lado do sercolema sem fazer fusão) 
Miofibrilas: 
• Actina – filamento delgado, formado sempre 
pelas proteínas actinas (que se juntam em 
dupla hélice, participam do movimento junto 
com a miosina), troponinas (estão em tríades : 
TnI – liga as 3 troponinas na actina, TnC – 
podem se ligar ao cálcio, TnT – liga a 
troponina na tropomiosina) e as 
tropomiosinas (estão em cordões e 
“escondem” a actina da miosina devido a sua 
atração para gerar contrações). Sem os 3 
juntos o filamento fica incompleto e 
afuncional 
 
OBS: No paciente com infarto agudo do miocárdio as 
células do músculo estriado cardíaco são destruídas, 
então é preciso que sua troponina seja dosada (está 
aumentada), pois ela vai para a corrente sanguínea. O 
filamento de actina e de miosina do coração é igual ao 
do músculo esquelético 
OBS: A actina desliza sobre a miosina 
• Miosina – filamento grosso formado por duas 
cadeias pesadas que formam a cauda (dupla 
camada de cadeia pesada com cabeça e duas 
cabeças que formam cadeias leves). Quatro 
cadeias leves que formam as cabeças. Cada 
cabeça possui 2 mitocôndrias (utilizam ATP – 
processo ativo) 
 
 
Outros componentes da célula muscular: 
• Túbulo T: leva o potencial de ação para dentro 
da célula muscular. Possui o mesmo material 
que a membrana (é uma continuação dela) 
parte amarela 
• Cisternas terminais: armazenam e podem 
liberar cálcio no sarcoplasma (meio 
intracelular). Parte verde 
• Retículos sarcoplasmáticos: formam uma 
rede fina e pequena, ficam entre uma cisterna 
e outra, armazenam e sequestram cálcio do 
sarcoplasma. Redes verdes 
• Canal de cálcio: quando ele se abre, permite 
que o cálcio saia de dentro da cisterna e entre 
no sarcoplasma, é dependente de voltagem 
(potencial de ação). Só abrem durante o 
estímulo nervoso, se o cálcio não sai o 
músculo fica relaxado 
• Bomba de cálcio: proteína que fica no retículo 
sarcoplasmático. Pega o cálcio de onde ele 
está menos concentrado para onde ele está 
mais concentrado (dentro do retículo). 
Quebra o ATP e faz transporte ativo primário 
MARÍLIA ARAÚJO – P1 
 
 
OBS: No músculo cardíaco as cisternas e os retículos são 
pequenos. Por isso ele precisa receber cálcio tanto do 
retículo quanto de fora da célula 
OBS: O músculo esquelético é muito denso 
OBS: Tétano - O neurônio motor estimula o músculo a ficar 
hiperexcitado 
 
Sarcômero 
• Unidade funcional da célula muscular. Na 
contração, o sarcômero diminui de tamanho, pois 
os discos Z se aproximam e a faixa clara some 
• Dentro da miofibrila, a actina e miosina ficam bem 
organizadas 
• Mesmo o músculo relaxado existe uma pequena 
sobreposição. 
• Entre o disco Z e a miosina, existe titina (proteína 
elástica). No estiramento, a titina aproxima o 
sarmômero e faz volta-lo à posição fisiológica 
• A nebulina ajuda a actina a ficar posicionada 
geometricamente na estrutura espacial do 
sarcômetro 
• Para cada miosina é rodeada por 6 actinas 
OBS: Se o músculo sofre estiramento, a actina se afasta 
totalmente da miosina, é necessário repouso e 
fisioterapia 
 
*Faixa escura: miosina / Faixa clara: actina 
 
• Quando o músculo recebe o estímulo, o sarcômero 
se contrai (se encurta). 
• Faixa ou banda I: há actina, titina e o disco Z, 
diminui ou some durante a contração (faixa clara) 
• Faixa ou banda A: há miosina e actina (faixa 
escura), zona de sobreposição 
• Zona H: há miosina se o sarcômero estiver no 
comprimento de repouso, se o sarcômero estiver 
contraído, veremos miosina e actina 
 
• Distrofina: proteína que está na parede do 
sarcolema (membrana plasmática). Dá resistência 
ao sarcolema durante a contração 
• Distrofias musculares: ausência ou pequena 
quantidade de distrofina. Sempre que ocorrer 
defeitos nessa proteína, a expectativa do indivíduo 
é muito pequena 
*A de Duchenner é mais severa que de Becker 
Mecanismos de contração e relaxamento 
• CONTRAÇÃO: A acetilcolina é estimulada pelo 
neurônio e chega no músculo (placa motora). 
Quando ela se liga no receptor da membrana, gera 
o potencial de ação no sarcolema. Quando a 
corrente elétrica chega no sarcolema, entra no 
MARÍLIA ARAÚJO – P1 
 
túbulo T e reflete na cisterna, que possui canais de 
cálcio (dependentes de voltagem),