A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Adequação do meio Bucal

Pré-visualização | Página 1 de 1

Pré-Clínica – Adequação Bucal 
04/03/2021 
Nome: Jemerson Santos do Monte Curso: Odontologia Matrícula: 20.1.001008 
Semestre: 3º semestre Turno: Noturno Sede: Parque Ecológico 
 
Relembrando que a cárie é uma doença multifatorial, o cirurgião dentista deve 
ter a sensibilidade em perceber a situação socioeconômica de seus pacientes, 
saneamento básico, condição de comprar materiais de limpeza bucal, dieta 
cariogênica. 
 
 
Como agir em casos que o nosso diagnóstico foi de uma cárie inativa, mas 
a cor incomoda o paciente? 
Primeiramente informar que é uma lesão normal, que está mineralizada, que se 
for feito uma reabilitação/restauração, em algum momento ela precisará de 
manutenção, ao contrário do material biológico do dente. Caso insista, ele 
precisa assinar um termo de responsabilidade confirmando que ele foi 
esclarecido e se responsabiliza pelos procedimentos, por motivos 
pessoais/estéticos. 
 
Adequação do meio bucal: 
Exame clínico inicial (diagnóstico) 
Conjunto de medidas para recuperação do equilíbrio biológico perdido, baseado 
na filosofia atual (minimamente invasiva) de promoção à saúde. Compreendendo 
medidas de prevenção e controle direcionadas às doenças cárie e doença 
periodontal, a fim de reintegrar a cavidade oral as condições de normalidade e 
reduzir a possibilidade de aparecimento de novas enfermidades. 
 
- Conscientização do paciente sobre a doença cárie 
- Controle dos fatores etiológicos 
- Eliminar fatores retentivos - controle de placa bacteriana 
- Criar condições para o paciente controlar a higiene bucal 
- Reeducação do paciente previamente ao tratamento restaurador (acompanhar 
o paciente semanalmente, depois mensalmente, trimestralmente e por fim 
semestralmente) 
- Proservação (observações periódicas de um tratamento Odontológico para o 
acompanhamento da evolução de estados clínicos) 
 
Adequação do meio bucal - Tratamento Integrado 
- Raspagem supra gengival 
- Profilaxia 
- Escavação em massa 
- Extração de restos radiculares 
- Recontorno e repolimento das restaurações 
 
Raspagem Supragengival 
• Deixar a superfície lisa e polida 
• Facilita a remoção de placa 
• Reduz quantidade de bactérias 
 
Instrumental utilizado 
• Curetas tipo Gracey 
• Foices 
• Ultrassom 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Profilaxia profissional 
 
Instrumental utilizado 
• Canetas de baixa rotação (contra ângulo + micromotor) 
• Brocas (Escova de Robson e Taça de borracha) 
Essas brocas são descartáveis 
• Pasta profilática/Pedra Pomes 
 
 
Curetas tipo Gracey Foice 
Ultrassom 
Contra Ângulo + Micromotor 
 
Pasta profilática Pedra-Pomes 
Antes de fazer um exame clínico Antes de restaurações 
Depois de raspagens Mais abrasiva 
Tem componentes gordurosos que 
podem interferir na restauração 
Não tem componentes gordurosos 
Já vem como pasta 
Necessário misturar o pó com água 
para virar uma pasta 
 
Profilaxia do paciente: 
- Escova de dente (controle mecânico, com maior número de cerdas, cerdas 
macias, de cabeça pequena) 
- Fio dental 
Faces oclusal Faces livres 
(Pois é menos agressiva com os 
tecidos periodontais) 
 
- Escova interdental 
- Escova unitufo 
- Instrução de higiene oral (atenção diferente para crianças, adultos e idosos) 
- Orientações sobre mamadeira e alimentos açucarados 
- Chupeta até no máximo 2 anos de idade para não decorrer em problemas de 
má oclusão 
- Mordedores auxiliam na manutenção da dor na erupção dos dentinhos de leite 
- Higienização da prótese para idosos 
- Diário alimentar para jovens 
 
Escavação em massa 
Devemos fechar as cavitações para reduzir a infecção cardiogênica e o número 
de colônias presentes na cavidade bucal (a escavação necessita de anestesia). 
Todas as cavidades abertas devem ser restauradas provisoriamente na 1ª 
sessão, após a remoção da maior quantidade possível de tecido cariado através 
da escavação em massa, retirando tecido cariado e restaurando com ionômero, 
depois passa para o próximo dente. 
 
Importante: Usar materiais provisórios até que a higiene oral do paciente 
seja estabelecida (não tenha uma higiene ruim, cálculo, restos radiculares ou 
cavidades abertas), pois o material definitivo é mais demorado de se realizar, e 
não temos tempo a perder pelo fato de haver diversas lesões de cárie, assim 
como as lesões cariosas que sobrarem de um atendimento para o outro (que 
pode levar semanas), podem infectar as restaurações definitivas. 
Em casos em que o problema é apenas uma cárie em um único dente, pode-se 
partir direto para a restauração definitiva. 
 
Instrumental utilizado 
• Colher/Cureta de dentina 
• Broca multilaminada em baixa rotação/Carbide 
(CA), que tem vários tamanhos. 
• Cimento de ionômero de vidro convencional 
(restaurador) 
 
 
Cureta de dentina Broca Multilaminada 
 
 
 
 
 
 
 
Manipulação do CIV 
 
 
 
 
 
 
 
Cimento de ionômero de vidro convencional 
Vantagens Desvantagens 
adesividade a estrutura Baixa resistência ao desgaste 
Liberação de flúor Estética inferior / opaco 
Biocompatibilidade Baixa resistência a pressão / tração 
Coeficiente de expansão térmica 
similar ao dente 
 
CIV restaurador 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Óxido de zinco e Eugenol (IRM) 
- Material restaurador (cheiro do 
dentista) 
- Deixou mais de ser utilizado pois é 
incompatível com resina composta, 
porque o Eugenol inibe a polimerização 
da resina 
 
Vantagens: fácil manipulação, baixo 
custo, eugenol tem características anti-
inflamatórias e analgésicas. 
 
Desvantagens: estética opaca, sem 
adesividade, em contato direto irrita a 
polpa. 
 
Espátula Suprafill 
(acomodação) 
Maior complexidade 
Menor complexidade 
Aplicação Tópica de flúor 
- Gel ou Verniz fluoretado 
- Verniz fluoretado tem cerca de 
22.600 ppm de flúor, para efeito de 
comparação na pasta dental tem 
cerca de 1.500 ppm. 
- Aplicação com: moldeira, 
algodão ou gaze. 
 
PH crítico da boca: abaixo de 5,5 
 
Os passos de tratamento de um paciente são sempre individualizados, porém 
temos que estabelecer prioridades. Nossa maior prioridade é fazer cessar a dor 
do paciente e depois tratar as demais complicações na ordem das mais 
complexas para as mais simples. 
 
Ordem de prioridades de tratamento: 
 
E – Emergência/urgência (dor) 
A – Adequação bucal (Escavação em massa, restos radiculares, raspagem supra) 
P – Periodontia (raspagem subgengival) 
C – Cirurgia (dente incluso) 
E – Endodontia 
D – Dentística (material definitivo) 
 
O – Ortodontia 
R 
 
P – Prótese 
R 
O

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.