A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
TED TECIDO ÓSSEO

Pré-visualização | Página 1 de 2

TED: TECIDO ÓSSEO
1. O TECIDO ÓSSEO E O TECIDO CARTILAGINOSO SÃO VARIEDADES DO TECIDO CONJUNTIVO E TÊM FUNÇÃO DE SUSTENTAÇÃO. COMPARE O TECIDO ÓSSEO E TECIDO CARTILAGINOSO EM RELAÇÃO AOS SEGUINTES ASPECTOS:
a) TIPOS CELULARES E CÉLULAS ADULTAS:
O tecido ósseo é um tipo de tecido conjuntivo especial que tem como uma das suas principais características a presença de material extracelular calcificada (matriz óssea). Este tecido apresenta três tipos de células especializadas: os osteócitos, osteoblastos e osteoclastos.
Os osteoblastos são células cuboides ou ligeiramente alongadas que são responsáveis pela síntese da porção orgânica da matriz óssea.
Os osteócitos são células mais achatadas que possuem prolongamentos citoplasmáticos e que se destacam por serem o tipo celular mais abundante no tecido ósseo. Eles estão relacionados à manutenção da matriz óssea, apesar de não serem responsáveis por uma produção rápida de matriz.
Os osteoclastos são células grandes multinucleadas, ramificados e móveis. Estão associados ao processo de reabsorção óssea. 
Já o tecido cartilaginoso é um tipo especializado de tecido conjuntivo originado do mesênquima e é constituído por dois tipos celulares: condrócitos e condroblastos. Também possui um material extracelular denominado matriz, que é constituída por colágeno, macromoléculas de proteoglicanos, ácido hialurônico e glicoproteínas. 
Os condroblastos são células precursoras dos condrócitos e secretoras da matriz cartilaginosa. Eles se originam a partir de células mesenquimáticas e começam a secretar matriz cartilaginosa, uma vez rodeados por essa matriz são chamados de condrócitos.
Os condrócitos são células arredondadas com função principal de sustentação, além de permitirem movimentos e desenvolvimento de ossos longos. O tecido cartilaginoso pode ser encontrado na orelha externa, epiglote, anéis da traquéia e brônquios, nariz e em algumas porções da laringe.
b) CAPACIDADE DE REGENERAÇÃO
Quando ocorre uma fratura, há rompimento dos vasos sanguíneos no interior do osso, o que demanda a ação de coagulação. A região onde houve fratura fica cheia de fragmentos de osso e tecidos mortos que são fagocitados pelos osteoclastos, também existe ação dos angioblastos, que atuam na formação de novos vasos sanguíneos. A medula óssea também começa a se regenerar dentro do canal medular do osso. O processo de reconstituição óssea se deve principalmente por duas membranas bastante vascularizadas: o periósteo e o endósteo, que realizam o processo de regeneração externa e internamente respectivamente produzindo osteoblastos que vão atuar na regeneração da matriz óssea. A deposição de osteoblastos no local da fratura leva à formação de um calo ósseo que une as duas extremidades da fratura e a porção intacta do osso, finalizada essa parte vem a consolidação do osso, que é quando ocorre a calcificação, conferindo a resistência óssea através do cálcio que chega através da circulação sanguínea recém estabelecida. 
Já o tecido cartilaginoso não é tão efetivo quando se trata de regeneração. Sua renovação é constante e muito lenta, além de apresentar certa dificuldade e frequentemente de modo incompleto. Havendo fratura de peça cartilaginosa, células derivadas do pericôndrio invadem a área da fratura e originam tecido cartilaginoso.
c) VASCULARIZAÇÃO
A vascularização do tecido ósseo é constituída pelo chamado tecido ósseo secundário, maduro ou lamelar, que é caracterizado por fibras organizadas em lamelas paralelas ou dispostas de forma concêntrica em torno de canais, formando os sistemas de Havers.
Os sistemas de Havers são constituídos por um cilindro longo em cujo interior está presente um canal contendo vasos e nervos, os canais de Havers. Esses que se comunicam com a cavidade medular e com a superfície externa do osso por meio de canais perpendiculares à eles, os canais de Volkmann.
Quanto ao tecido cartilaginoso, este não possui vasos sanguíneos ou sequer nervos, por não apresentar essas estruturas, o tecido cartilaginoso precisa de um tecido anexo para suprir as necessidades através de difusão. Esse tecido anexo é o pericôndrio, que é um tecido conjuntivo que envolve a cartilagem, auxilia na obtenção de nutrientes trazidos pelo sangue a penetrar na matriz e chegar nas células.
d) INERVAÇÃO
O tecido ósseo apresenta pouquíssimo espaço medular, por essa razão ele possui um conjunto de canais que são percorridos por nervos e vasos sanguíneos, que são os canais de Volkmann e canais de Havers, Por serem uma estrutura inervada e irrigada, os ossos têm sensibilidade, alto metabolismo e capacidade de regeneração.
Conforme já mencionado, o tecido cartilaginoso não apresenta nervos ou vasos sanguíneos, diferentemente da maioria dos tecidos conjuntivos. A nutrição do tecido é realizada pelo pericôndrio. 
2. APESAR DE O OSSO SER UM ÓRGÃO DURO E RESISTENTE, ELE É RELATIVAMENTE FLEXÍVEL E CAPAZ DE SER REMODELADO EM RESPOSTA À FORÇAS OU TRAÇÃO, CONFORME VERIFICADO NO USO DE APARELHOS ORTODÔNTICOS E ORTOPÉDICOS. CONSIDERE AS CARACTERÍSTICAS DO TECIDO ÓSSEO PARA RESOLVER OS ITENS: 
a) EXPLIQUE AS CARACTERÍSITICAS MORFOLÓGICAS QUE PERMITEM DIFERENCIAR OSTEOBLASTOS E OSTEÓCITOS.
Os osteoblastos são células de forma cuboide que estão diretamente relacionadas com a síntese da porção orgânica da matriz óssea. Além disso, são responsáveis por produzir osteonectina e osteocalcina, duas proteínas não colágenas. A osteonectina atua na deposição de cálcio e a osteocalcina controla o processo de mineralização do osso, estimulando a atividade dos osteoblastos. 
Quando um osteoblasto fica preso na lacuna após a síntese da matriz óssea, ele passa a ser um osteócitos. Os osteócitos são células achatadas com prolongamentos citoplasmáticos e são o tipo mais abundante no tecido ósseo. Ficam no interior da matriz óssea, mais precisamente no interior das lacunas. Dessas lacunas partem os canalículos que garantem as trocas de substâncias entre os osteócitos e os capilares sanguíneos. São portanto, essenciais para a nutrição dos osteócitos, uma vez que a matriz calcificada impede a difusão de substâncias. Os osteócitos são essencialmente responsáveis pela manutenção da matriz óssea, apesar de não serem responsáveis por uma produção rápida dessa matriz. 
b) DESCREVA AS CARACTERÍSTICAS MOROFOLÓGICAS E FUNCIONAIS DOS OSTEOCLASTOS.
Os osteoclastos se destacam por serem células grandes, apresentarem vários núcleos (multinucleares), serem muito ramificados e móveis na matriz óssea. Essas células estão associadas à reabsorção óssea. Tal função é possível devido à liberação, por essas células, de enzimas que garantem a quebra dos sais minerais e da porção proteica. 
c) EXPLIQUE A COMPOSIÇÃO DA MATRIZ ÓSSEA (PARTE ORGÂNICA E INORGÂNICA)
A matriz óssea é composta por uma parte orgânica equivalente a 35% que representa a flexibilidade do osso, e uma parte inorgânica equivalente a 65% que representa a rigidez e resistência do osso, cuja composição é basicamente íons de fosfato e cálcio, formando cristais de hidroxiapatita; A matriz orgânica é composta em sua maioria por colágeno tipo I.
Mais especificamente, a porção inorgânica da matriz óssea é formada por cálcio, fósforo, citrato, magnésio, sódio e principalmente por cristais de hidroxiapatita ao longo das fibras colágenas. 
d) O QUE É PERIÓSTEO E ENDÓSTEO. QUAL TECIDO CONSTITUI E QUAIS SUAS FUNÇÕES?
Periósteo, é a membrana de tecido conjuntivo denso, vascularizado e fibroso que reveste exteriormente os ossos, exceto articulações cartilaginosas. Possui fibroblastos e fibras colágenas dispostas paralelamente entre si e paralelamente à superfície do osso. Suas principais funções são: proteção, fixação dos músculos servindo como pontos de origem e inserção dos mesmos, produção de novas células e envolver nervos e vasos sanguíneos que participam da inervação e nutrição do osso.
Endósteo, é uma camada fina constituída por tecido conjuntivo frouxo que tem função de revestimento da superfície interna do tecido ósseo que forma a cavidade medular dos ossos longos. 
3. UMA