A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
101 pág.
EBOOKApostilaPatologiasColuna

Pré-visualização | Página 1 de 15

PILATES NAS PATOLOGIAS
DA COLUNA
VERTEBRAL
Material desenvolvido pelo Grupo Voll.
PILATES NAS PATOLOGIAS DA COLUNA VERTEBRAL
VOLL PILATES GROUP 
Pilates Avançado 
Ft. Érika Barroso Batista
“O Pilates desenvolve um corpo uniforme, corrige posturas erradas, restaura a 
vitalidade física, vigora a mente e eleva o espírito”. 
Joseph Pilates
PILATES NAS PATOLOGIAS DA COLUNA VERTEBRAL
Sumário
Apresentação ..............................................................................................................................................................................................................01 
Introdução …………………………………..............................................................................................................................................................................01
Anatomia e biomecânica da coluna vertebral ....................................................................................................................................03
Cervicalgia .....................................................................................................................................................................................................................07
Hipercifose ..................................................................................................................................................................................................................10
Escoliose .......................................................................................................................................................................................................................12
Hiperlordose ...............................................................................................................................................................................................................15
Dor lombar crônica inespecífica ...................................................................................................................................................................17
Espondilólise e espondilolistese ................................................................................................................................................................19
Referências bibliográficas ..............................................................................................................................................................................16
Exercícios ......................................................................................................................................................................................................................17
Dinâmica de casos ..................................................................................................................................................................................................74
 ........................................................................................................................................................74Anexos: Questionários de avaliação
O curso de Pilates Avançado nas patologias da coluna vertebral do Voll Pilates Group tem como objetivo 
capacitar e habilitar o instrutor do método Pilates para o tratamento das patologias da coluna com alta 
prevalência na prática clínica, como as cervicalgias e as lombalgias crônicas inespecíficas. O conteúdo teórico 
e prático foi baseado nas atuais evidências científicas, de modo que o profissional da saúde 
contextualize os conhecimentos adquiridos durante este curso para sua aplicabilidade nos estúdios, 
atentando para quando fazer, por quê fazer e como fazer o exercício considerando a individualidade de cada 
aluno, paciente e/ou cliente.
Nós do grupo Voll desejamos a você um curso de excelente qualidade.
A postura ideal é definida como individual onde os critérios biomecânicos e fisiológicos determinam o mínimo 
de consumo energético e não origina sintoma de desconforto, por meio da sustentação máxima (Gardiner, 
1995; Amandio, 1996). A postura é o arranjo relativo das partes do corpo para cumprir uma atividade 
específica. Postura e o movimento estão intimamente relacionados, de modo que alterações na postura 
provocam alterações de movimentos e vice-versa. Tribastone (2001) considera a postura como resultado da 
interação recíproca de um tripé formado pelos seguintes fatores:
Apresentação
01
Introdução
�Anátomo-mecânico;
� 
Neuromusculoesquelético funcional; e
� Psicomotor.
>
>
>
Na avaliação postural nos casos de dor, é importante diferenciar a contribuição das estruturas inertes e 
dinâmicas. As estruturas inertes ou estáticas são: ligamentos, fáscias, ossos e articulações. Já as estruturas 
dinâmicas são os músculos e suas inserções tendíneas, que mantém o corpo em uma postura ou movem o 
corpo de uma postura à outra.
A avaliação postural pode ter duas vertentes: a primeira com tendência mais tradicional que avalia a etiologia 
(causa primária) da disfunção vertebral e a segunda, uma tendência mais contemporânea, avalia as deficiências 
apresentadas pelo aluno independente da sua patologia (Deliberato, 2007). Por meio das técnicas orientais que 
visam o relaxamento, a respiração, a concentração, o controle e a flexibilidade, somadas à técnica ocidental, que
enfatizam a força e resistência muscular, surgiu então a essência do método Pilates. Centrado em seis os 
princípios: centralização, concentração, controle, respiração, precisão e fluidez (Di Lorenzo, 2011).
Os exercícios do método Pilates envolvem as contrações isotônicas (concêntricas e excêntricas) e isométricas, 
com ênfase no que Joseph Pilates denominou de powerhouse ou casa de força, composto pelos músculos 
diafragma, transverso do abdome, multífidos e assoalho pélvico. Estes músculos são responsáveis pela 
estabilização estática e dinâmica do corpo, de modo que os exercícios são facilmente transferidos para as 
atividades do dia a dia, dando funcionalidade ao aluno. De acordo com Silva e Mannrich (2009), durante os 
exercícios do Pilates a expiração é associada à contração do powerhouse e, durante a inspiração ocorre a 
ativação do diafragma.
02
O Pilates enfatiza a estabilidade lombopélvica, a precisão de movimento, a mobilidade segmentada da coluna, 
a coordenação, o equilíbrio e o alinhamento dos segmentos (Smith e Smith, 2005). Durante os exercícios do 
Pilates é primordial a estabilização estática através da manutenção da coluna neutra, principalmente para os 
alunos portadores de disfunções na coluna vertebral, sem esquecer do crescimento axial que promove a 
ativação dos músculos multífidos. As curvaturas primárias (cifoses torácica e sacral) e secundárias (lordoses 
cervical e lombar) atuam como uma mola dissipando forças compressivas e absorvendo choques (Comerford e 
Mottram, 2001). Durante as aulas de Pilates alguns fundamentos devem ser preconizados como a mobilização 
articular, com ênfase na coluna vertebral, o crescimento axial durante a execução dos movimentos e então o 
fortalecimento dos músculos estabilizadores locais.
A coluna vertebral constitui um eixo ósseo que oferece resistência como um pilar de sustentação, 
favorecendo a eficiência estática, mas também a flexibilidade necessária para a movimentação do tronco. 
Joseph Pilates disse: “Se aos 30 anos você está sem flexibilidade e fora de forma, você é um velho. Se aos 60 
anos você é flexível e forte, você é um jovem”.
ANATOMIA E BIOMECÂNICA DA COLUNA
03
As estruturas ósseas dão estabilidade e mobilidade à coluna e protegem a medula espinal. A coluna vertebral 
é constituída de 33 ou 34 peças esqueléticas, sendo 7 vértebras cervicais, 12 vértebras torácicas, 5 
vértebras lombares, 5 vértebras sacrais (fundidas em uma peça única) e 4 ou 5 coccígenas (Figura 1). A porção
anterior, composta pelos corpos vertebrais tem a função de suportar peso, aumentando de tamanho e 
volume distalmente.