Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Carrapatos

Pré-visualização | Página 1 de 1

• “carrapatos moles” – são
carrapatos que não possuem
escudo
• Dimorfismo sexual dificil
• Escudo ausente em ninfas e
adultos
• Nesta família estão
principalmente os carrapatos
das aves.
“Carrapatos Duros”
•Dimorfismo sexual-
morfologia do escudo
• Órgão de Heller:
quimiorreceptores para
localização do hospedeiro. -
Secreções salivares contendo
anticoagulantes são
largamente produzidas
(transmissão de doenças)
Carrapatos
Morfologia
Características gerais
Família Ixodidae• Ectoparasitas obrigatórios
de vertebrados,
particularmente de mamíferos
e aves, mas também
podem ser encontrados em
anfíbios e répteis
• Vida longa: alguns anos
• Trocam de hospedeiro entre
as fases da vida – maior
parte da vida no vertebrado
• Preferência por espécie -
na ausência, podem
parasitar outras.
• Ambiente: grande para
atender as diversas formas
de vida e com alta umidade.
Família argasidae
Rhipicephalus microplus, Dermacentor
nitens
O carrapato só tem vida livre quando:
- Fêmea grávida e ovipositando
- -Larva a procura do hospedeiro
- R. sanguineus, Amblyomma spp.,
Ixodes spp., Haemaphysalis spp.
O carrapato só tem vida livre quando:
- Fêmea grávida e ovipositando
- Larva a procura do hospedeiro
- Ninfa a procura do hospedeiro
- Adulto a procura do hospedeiro
Carrapatos
Ciclo evolutivo
Possuem 3 fases:
- Ovo – Larva (hexápode) –
Ninfa – Adulto (octópode)
Fase parasitária: carrapato
está diretamente associado ao
hospedeiro.
Fase de vida livre: carrapato
encontra-se fora do organismo
hospedeiro, buscando um novo
Fases do ciclo de vida
Ciclo monóxeno
Ciclo
Parasitaria
Sobre o hospedeiro 
Vida livre
No solo
Ciclo trionóxenico
• Ciclo de vida dura cerca de 1 ano
• Tem baixa especificidade
parasitaria em todas as fases,
comumente ataca o homem
• É o principal vetor de Rickettsia
rickettsii (Febre Maculosa
Brasileira) no Brasil
• Sua saliva tóxica provoca feridas
na pele de seu hospedeiro
• Consideradas de importância
médico-veterinária, por
participarem da cadeia
epidemiológica de antropozoonoses
• Apresenta ciclo heteróxeno com três
hospedeiros.
• Parasitam cães doméstico de áreas
urbanas
• Carnívoros silvestres em cativeiro
ou em áreas se m cães domésticos
• Se alojam em frestas ou buracos,
entre os tijolos da parede, nas
telhas e também nas vigas de
sustentação – possuem atração por
lugares altos
• Escalam os muros das casas
vizinhas
• Não é comum em humanos
• Vetores de Babesia spp.
• Apresenta ciclo heteróxeno com mais
de um hospedeiro
Carrapatos
Dermacentor nitens
• Parasita primariamente de
equinos
• Um dos principais vetores de
Babesia equi e B. caballi –
agentes da Babesiose equina
• O nome “carrapato da orelha do
cavalo”deve-se ao fato de que
todo o ciclo biológico se
desenvolve no pavilhão auricular
e no conduto auditivo do
hospedeiro
• Apresenta ciclo monóxeno (um
único hospedeiro).
• Podem causar anemia, devido a
perda de sangue
• Parasitam bovinos, mas podem
infestar também outros animais
domésticos
• Possui grande importância
econômica  compromete o
couro do bovino
• Causadora da Tristeza
Parasitária Bovina –
transmissores de Babesia bovis,
B. bigemina e Anaplasma
marginale
• Perda na produtividade animal
(ganho de peso, produção de
leite)
• Apresenta ciclo monoxeno com
um único hospedeiro
R. Boophilus microplus
Amblyomma spp 
Rhipicephalus sanguineus