A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
ESTUDO DE CASO - DIREITO PENAL

Pré-visualização|Página 1 de 1

ESTUDO DE CASO

Mévio atropela Tício em um local ermo. Mévio vai socorrer Tício e identifica-o como um antigo desafeto e o abandona à própria sorte. Tício vem a falecer por omissão de socorro. Isso posto, solucione o caso omissão própria – Art. 135 do CP ou omissão imprópria – 13 §2º do CP e por quê?

“A omissão somente existe se for associada a um dever jurídico, que é o dever de agir.” (BRANDÃO, Cláudio, 2010, p. 145)

No relato acima do estudo do caso, a omissão será imprópria, na qual o Direito brasileiro diz que “os crimes comissivos por omissão só podem ser realizados nas hipóteses do §2º do art. 13 do Código Penal” - (BRANDÃO, Cláudio, 2010, p. 146). A alínea “c” cita a criação do risco, onde dispõe:

“Relevância da omissão

§ 2º A omissão é penalmente relevante quando o omitente devia e podia agir para evitar o resultado. O dever de agir incumbe a quem:

c) com seu comportamento anterior criou o risco da ocorrência do resultado.”

Não houve omissão de socorro, pois é considerado homicídio doloso, por abandonar a vítima após o atropelamento. Há três condições para que seja classificado:

a)     Conduta precedente antijurídica

O a gente causador agiu de forma contrária à lei.

 

b)    Criação de um perigo adequado e idôneo para a produção do resultado

A criação de um perigo capaz de produzir o resultado.

 

c)     Não sobrevir com a conduta o dano de imediato, porque nesse caso o crime será comissivo

Não vir a acontecer em seguida (em relação ao caso, a morte do atropelado), o crime terá sido por omissão.