A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Resumo Aula 4 Banana (fenologia, área de cultivo, tratos culturais)

Pré-visualização | Página 1 de 2

AULA 4 
Fenologia da Bananeira 
A fenologia é o estudo do comportamento da cultura frente aos desafios ambientas, a 
temperatura, umidade, água, altitude e ventos são fatores importantes que podem 
comprometer a produtividade da bananeira 
Temperatura 
A temperatura ideal para a bananeira é com mínimas não inferiores a 18ºC e máximas 
não superiores a 34ºC. 
26ºC – promove o máximo crescimento dos frutos 
>15ºC - a atividade da planta é paralisada 
>35ºC – o desenvolvimento é inibido, principalmente devido à desidratação dos tecidos, 
especialmente das folhas 
<12ºC – ocorre o “chilling” (queimadura por causa do frio). Em baixas temperaturas 
também ocorre o esgasgamento, que consiste em o cacho que está desenvolvendo não 
cresce e ele explode dentro do pseudocaule. 
Por que o chilling é um problema? Ele promove a coagulação irreversível da seiva, pois 
ele apresenta muito tanino, então essa seiva oxida e se transforma em pequenos bastonetes 
escuros. 
A geada vai promover a queima, pois está em um ambiente saturado de água e com baixa 
temperatura então o bananal fica queimado. Quando acontece isso é feito o desbaste do 
bananal, e as plantas que já lançaram cachos vão morrer e as plantas menores com o 
tempo irão rebrotar. 
Existem locais que o clima não é o ideal para o cultivo de banana, então se faz o cultivo 
em ambiente protegido, e as plantas se desenvolverão de maneira excepcional. Ex: cultivo 
de banana Grande Naine na Turquia, com o cultivo protegido a planta se desenvolverá 
perfeitamente, com cachos grandes e número adequado de pencas. O lado negativo é que 
encarece a produção, porém o valor ainda é menor do que comprar o produto exportado. 
Umidade Relativa do Ar 
A umidade ideal é de 80%, ou seja, quase não haverá déficit de pressão de vapor e a folha 
se manterá sempre aberta e fazendo fotossíntese. Mas em um ambiente com alta umidade 
há o favorecimento de aparição de fungos, como a Sigatoka Negra e Amarela. 
Podemos perceber que em alguns bananais durante o período da manha as folhas estão 
abertas, e na hora do dia com mais luz solar essas folhas se fecham, pois os estômatos 
estão na parte abaxial da folha e então ela se fecha para criar um microclima entre os dois 
lados da folha e evita a perda de água, porém se compromete em relação a patógenos. 
Vento 
Pode causar prejuízos, e até a destruição do bananal. Mesmo com o vento em velocidade 
baixa, as folhas podem rasgar, assim perdendo área para fazer fotossíntese. E quando esse 
vento é frio, o fendilhamento causado provoca nas folhas secamento, com isso os cachos 
não vão crescer e vão amadurecer magros. 
Como técnica de manejo podem-se usar os quebra ventos, muitas vezes são usadas 
Gliricideas, capim elefante, cana. Mas a gliricidea demora a crescer e o capim elefante e 
cana são mais baixos que a bananeira, então deve-se usar a cultura que mais se adequar a 
vida e altura do bananal. 
Altitude 
Por mais que estejamos em condição de clima tropical, a altitude interfere no ciclo da 
cultura. Em altitudes a nível do mar, o subgrupo Cavendish, tem o seu ciclo completo de 
8 a 10 meses, e à 900m de altitude tem seu ciclo completo em 18 meses, então podemos 
perceber que a elevação da altitude interfere em vários fatores climáticos especialmente 
a temperatura e luminosidade, pois o amido presente nos frutos tem de ser acumulados 
em menor tempo possível. 
Em diferentes níveis de altitude a bananeira produzirá da mesma maneira, porém sabemos 
que a produtividade é medida em ciclo x tempo, então em altas altitudes a produtividade 
será menor. 
Precipitação 
Se a umidade do solo estiver baixa, é ruim e se estiver alagado é ruim, pois a bananeira 
não suporta solos saturados de água. As maiores produções de banana estão associadas a 
uma precipitação anual total de 1900mm (cerca de 150mm/mês), bem distribuída no 
decorrer do ano. Para obtenção de colheitas economicamente rentáveis, considera-se 
suficiente uma precipitação de 100 a 180mm/mês. 
Para se manter a umidade é importante manter uma boa camada de M.O sobre o solo, pois 
o ideal é que o solo seja friável ( quando pegar um torrão de solo e apertar ele será 
moldado e não soltará água). 
O excesso de chuva provoca problemas complexos como: necessidade de drenagem 
(técnica cara), lavagem dos fertilizantes, controle de erosão no solo, inundações 
(consequências imprevisíveis). 
Escolha da área de cultivo 
Uma vez escolhida a área com as características ideais, torna-se necessário começar a o 
trato da área cultural, primeiramente do solo 
Calagem 
O pH ideal para a bananeira é de 6-6,5. É a faixa que ela consegue absorver maior 
quantidade de macro e micronutrientes. A correção da acidez do solo deve ser feita, de 
preferência, empregando-se o ó (calcário dolomítico) que tenha teores de óxido de 
magnésio acima de 20%, tolerando-se, contudo, teores até 17%. Estima-se que em 
bananicultura a dose de pó calcário dolomítico a ser aplicada deve ser tal que se consiga 
elevar a saturação de bases a 70% e o teor de Mg ao nível de 2,0mmol/c/dm³, e que a 
soma do Ca+Mg não ultrapasse 3,0-3,5mmol/c/dm³. A distribuição mecanizada do 
calcário é mais uniforme e tem melhor rendimento 
 Calculo da calagem: NC (t/há) = (V2-V1) x T x f 
 100 
 
Uma vez preparada a área ela é dividida em talhões, de forma que consiga a logística de 
trabalhar ali, recomenda-se que esses talhões não tenham mais de 100m de largura, pois 
a banana tem o cacho muito grande em algumas espécies, então imagine a pessoa que 
colher a banana, no meio do talhão, ter que andar por mais de 50 metro com um cacho de 
quase 60kg, torna-se inviável. No processo de colheita de qualidade, esse cacho é colhido 
e colocado em cabos aéreos (pendurado) pois como a anatomia dele é irregular, se 
colocado no chão pode ocorrer o esmagamento de alguns frutos. 
Os talhões são pensados de acordo com o relevo, bem como a distribuição de calcário, 
pois a produtividade pode ser diferente. 
Questão de prova: porque o Talhão A produz mais que o talhão B de determinada 
fazenda? Porque podem ter características diferentes como relevo, vento, distribuição de 
calcário, fertilizantes e etc. 
O solo pode ser arado, gradeado, subsolado a cerca de 40cm de profundidade ( onde passa 
o subsolador será o sulco de plantio) e sulcado, visando o transplantio. A aplicação de 
potássio é feita de 30 dias depois do plantio, em função da análise. O fósforo é aplicado 
diretamente no sulco, e o N é aplicado através da M.O, ou suplementação com N mineral 
( em plantios não orgânicos), ambos ficam um tempo reagindo no solo antes do plantio. 
Espaçamento 
O espaçamento influi no ciclo vegetativo e, portanto, no ciclo de produção; maiores 
densidades implicam em maiores ciclos. A opção de determinado espaçamento está 
relacionada com: 
• Porte da cultivar 
• Fertilidade do solo 
• Sistema de desbaste 
• Destino da produção 
• Nível tecnológico de cultivo 
• Topografia do terreno 
Os espaçamentos variam de 2m² a 27m² por planta. Quando temos um espaçamento muito 
largo, dependendo da cultivar, haverá crescimento do mato e plantas daninhas, ou seja, 
está perdendo nutrientes que poderiam ser absorvidos pela cultura de interesse, e quando 
a densidade de cultivo está muito perto uma da outra, haverá competição entre as plantas, 
onde ambas podem sair prejudicadas perdendo sua produtividade, então deve haver o 
equilíbrio na densidade de cultivos. 
Ciclo da planta 
Ciclo vital: período entre a brotação e a colheita. 
Ciclo de produção: período entre a colheita da planta mãe e a colheita da planta filha da 
mesma família. 
Exemplo: Banana prata no norte de Minas Gerais - Da brotação até a diferenciação floral, 
demorará 8 meses, e depois mais três meses até a emissão da inflorescência, e mais 4 
meses até a colheita realizada na planta mãe, o ciclo vital da planta