Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
131 pág.
Manual de Comunicacao Escrita Oficial do Parana

Pré-visualização | Página 10 de 39

Sul
CODIC Coordenadoria dos Direitos da Cidadania
COHAPAR Companhia de Habitação do Paraná
COMEC Coordenadoria da Região Metropolitana de Curitiba
COPEL Companhia Paranaense de Energia
CRE Coordenadoria da Receita Estadual
DEAP Departamento Estadual de Arquivo Público
DECOM Departamento Estadual de Construção, de Obras e Manutenção
DELCON Delegacia de Crimes Contra o Consumidor
DEPEN Departamento Penitenciário do Paraná
DER Departamento de Estradas de Rodagem
DETRAN Departamento de Trânsito do Paraná
DIOE Departamento de Imprensa Oficial do Estado
DPC Departamento de Polícia Civil
DPP Defensoria Pública do Paraná
EMATER Empresa Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural
FUNDEPAR Instituto de Desenvolvimento Educacional do Paraná
IAP Instituto Ambiental do Paraná
IAPAR Instituto Agronômico do Paraná
IASP Instituto de Ação Social do Paraná
IPARDES Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social
IPEM Instituto de Pesos e Medidas
JUCEPAR Junta Comercial do Paraná
MINEROPAR Minerais do Paraná S/A
PARANACIDADE
PARANAPREVIDÊNCIA
PGE Procuradoria Geral do Estado
PMPR Polícia Militar do Paraná
PROCON Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor
PROVOPAR Programa do Voluntariado Paranaense
PRTUR Paraná Turismo
SANEPAR Companhia de Saneamento do Paraná
SUDERHSA Superintendência de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental
TECPAR Instituto de Tecnologia do Paraná
TVE Rádio e Televisão Educativa do Paraná
3.4.4 Siglas de outros órgãos, entidades e congêneres do Poder Executivo Estadual
2 3
COMUNICAÇÃO ESCRITA OFICIAL
Manual de
do Estado do Paraná
ABL Academia Brasileira de Letras
ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas
ACP Associação Comercial do Paraná
ADOC Associação de Defesa e Orientação do Cidadão
APOSPAR Associação dos Aposentados e Pensionistas do Paraná
BID Banco Interamericano de Desenvolvimento
BIRD Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento
CEFET Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná
CITPAR Centro de Integração de Tecnologia do Paraná
CNPq Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
COHAB Companhia de Habitação Popular
DNER Departamento Nacional de Estradas de Rodagem
FGTS Fundo de Garantia por Tempo de Serviço
FUNAI Fundação Nacional do Índio
IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
IBOPE Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística
IBQP Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade do Paraná
INCRA Instituto de Colonização e Reforma Agrária
INSS Instituto Nacional de Seguridade Social
MEC Ministério da Educação e Cultura
OAB Ordem dos Advogados do Brasil
OCEPAR Organização das Cooperativas do Estado do Paraná
OEA Organização dos Estados Americanos
ONU Organização das Nações Unidas
PETROBRAS Petróleo Brasileiro S/A
PIS Programa de Integração Social
PASEP Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público
SEBRAE Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas
SENAC Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial
SENAI Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial
UNESCO Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura
UNICEF Fundo das Nações Unidas para a Infância
3.4.5 Siglas de outros órgãos e entidades públicas e de instituições não governamentais
2 4
COMUNICAÇÃO ESCRITA OFICIAL
Manual de
do Estado do Paraná
3.5 MODELOS: CONCEITO E ESTRUTURA
A necessidade de empregar determinada linguagem nos atos e expedientes oficiais decorre do caráter
público desses atos e comunicações e de sua finalidade.
Os atos oficiais, entendidos como atos de caráter normativo, estabelecem regras para a conduta dos
cidadãos e regulam o funcionamento dos órgãos públicos. Isso é alcançado se, em sua elaboração, for
empregada linguagem adequada. O mesmo se dá com os expedientes oficiais, cuja finalidade precípua é a de
informar com clareza e objetividade.
Nos textos oficiais, por seu caráter impessoal, por sua finalidade de informar com o máximo de clareza e
concisão, deve-se usar o padrão culto da língua. Há consenso de que o padrão culto é aquele em que se observam
as regras da gramática formal e em que se emprega vocabulário comum ao conjunto dos usuários do idioma. É
importante ressaltar que a obrigatoriedade do uso do padrão culto na redação oficial decorre do fato de que ele está
acima das diferenças lexicais, morfológicas ou sintáticas regionais, dos modismos vocabulares, das idiossincrasias
lingüísticas, permitindo, por essa razão, que se atinja a pretendida compreensão por todos os cidadãos.
3.5.1 Alvará
Alvará é o instrumento pelo qual a administração pública confere licença ou autorização para a prática de
exercício de atividade sujeito ao poder de policiamento do Estado. É a forma exterior do ato que dá origem à
licença e autorização.
Tipos:
a) Alvará de Licença: tem caráter definitivo e, por essa razão, só pode ser revogado por motivo de interesse
público, mediante completa indenização;
b) Alvará de Autorização: tem caráter precário, podendo ser cassado sumariamente e sem qualquer
indenização.
Partes:
a) título: denominação do documento, seguida de seu número de ordem e data de expedição;
b) texto:
• introdução: designação completa do cargo da autoridade que expede o alvará;
• fundamentação: citação da legislação básica em que se baseia a decisão da autoridade, seguida
da palavra “resolve”;
• exposição do assunto: que pode ser dividida em parágrafos, e estes em alíneas, se necessário;
• assinatura: nome da autoridade competente, sem indicação do cargo, que já vem mencionado na
introdução. No caso de assinatura por substituto, essa situação deverá ser declarada;
• local e data: dispensável nos casos em que a data de expedição aparece após o título.
2 5
COMUNICAÇÃO ESCRITA OFICIAL
Manual de
do Estado do Paraná
Modelo
ALVARÁ Nº ......, DE ...... DE ...... DE .......
O SECRETÁRIO DE ESTADO DA ..........................., usando da atribuição que lhe confere o artigo
................ do Decreto nº ..............., de ...... de...............de ...... (Código de...............), alterado pelo Decreto
nº ..............., de ...... de ............... de ......, resolve:
I - autorizar..............., firma individual, constituída por ato e alterações arquivados na Junta Comercial
do Estado do Paraná, sob n° ..............., com sede na cidade de ..............., no referido Estado, a funcionar como
empresa de..............., ficando obrigada a cumprir integralmente o que dispõe o Código de...............e seu
Regulamento, baixado pelo Decreto nº ..............., de ...... de ............... de ......, bem como as demais leis em vigor
ou que venham a vigorar sobre o objeto da referida autorização;
II - o título desta autorização é uma via autêntica deste Alvará, que será transcrito no livro de
Registro das Empresas de..............., e que deverá ser registrado, em original ou certidão, no órgão de Registro de
Comércio da sede da Empresa.
Nome,
Cargo do signatário.
NOTA: Nome do signatário com iniciais maiúsculas, seguido de vírgula; cargo do signatário com iniciais maiúsculas, em negrito,
seguido de ponto.
3.5.2 Apostila
Apostilar é o mesmo que notar à margem, emendar, corrigir. É a complementação de um ato.
Apostila é o aditamento a um ato administrativo anterior, para fins de retificação ou atualização.
Trata-se de ato aditivo, confirmatório de alterações de honras, direitos, regalias ou vantagens, exarado em
documento oficial, com finalidade de atualizá-lo. A apostila tem por objeto a correção de dados constantes em atos
administrativos anteriores, ou o registro de alterações na vida funcional de um servidor, tais como promoções,
lotação em outro setor, majoração de vencimentos, aposentadoria, reversão à atividade, dentre outros.
Geralmente, a apostila é feita no verso do documento a que
Página1...67891011121314...39