A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Economia e Negócios - Resumo Microeconomia de Mercados e Preços

Pré-visualização | Página 1 de 1

Mirian Montezino – Ciências Contábeis Unip – 2019/1º 
 
1 
 
 
Economia Capitalista Economia de Mercado 
Podemos citar como 
exemplo: A Bolsa de 
Valores, neste local 
onde se reúne muitos 
indivíduos para 
realizar operações financeiras (comprar e 
vender ações e outros títulos). 
CASO SP – CEAGESP: 
milhares de mercadorias 
abastecem a cidade 
diariamente, sem que para 
isso ocorra o “comando de 
consciência”. 
Esse mecanismo de preços automático e 
inconsciente é o SISTEMA DE PREÇOS. 
Como funciona o Sistema de Preços? 
 
O equilíbrio se dá: 
DESEJO  PROCURA 
PRODUÇÃO  OFERTA 
EQUILÍBRIO = PREÇO 
 
 
 
A regra aplica-se também para os demais 
mercados de fatores produtivos (Terra, 
Trabalho, Capital, Tecnologia e Capacidade 
Empresarial). 
EXEMPLO: 
 
As oportunidades de emprego serão maiores 
para os engenheiros, a tendência será que o 
salário destes aumentem e dos advogados 
diminuam. 
Através dos preços  comunicação indireta  
consumidores x produtores, é que ocorre a 
adaptação do consumo à escassez. 
OFERTA X PROCURA = PREÇO 
(FUNÇÃO BÁSICA), vem orientar a produção 
e o consumo. 
Demanda (ou Procura) 
É quantidade deste bem que 
os compradores / 
consumidores desejam 
consumir a determinado preço, em 
determinado período. 
Curva da Demanda: 
Conceito fundamental: Informa graficamente a qtde 
que os consumidores desejam comprar x 
medida que muda o preço. 
BENS ECONÔMICOS
•Tem seu preço
VENDEDORES
•Desejam oferecer
COMPRADORES
•Desejam comprar
Engenheiros
Advogados
 
MICROECONOMIA E MERCADOS – 
O SISTEMA DE PREÇOS 
VASTO SISTEMA DE TENTATIVAS E ERROS 
- APROXIMAÇÕES, afim de, encontrar o 
equilíbrio entre OFERTA E PROCURA. 
OFERTA PROCURA
PREÇO 
(FUNÇÃO 
BÁSICA)
Mirian Montezino – Ciências Contábeis Unip – 2019/1º 
 
2 
 
 
𝑅𝑒𝑙𝑎çã𝑜 =
𝑃𝑟𝑒ç𝑜 𝑑𝑜 𝐵𝑒𝑚 𝑦
𝑄𝑢𝑎𝑛𝑡𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 𝑑𝑒𝑚𝑎𝑛𝑑𝑎𝑑𝑎 𝑥
 
EXEMPLO: 
Caso seu preço estivesse bastante 
BAIXO. O que aconteceria? E o que 
aconteceria se com qtde demandada 
caso seu preço estivesse alto? 
Resposta: teríamos alta e baixa na qtde 
demandada  respectivamente. 
A quantidade demanda ou procura varia 
inversamente proporcional ao seu preço: 
 MAIS CARO: menos demanda. 
 MAIS BARATO: maior demanda. 
Uma lei milenar e aplicamos inconscientemente. 
COMO A CURVA SERIA? 
 
 
 
 
 
 
 
REGRA OU LEI (PREÇO AUMENTA DEMANDA 
CAI) É VALIDA O TEMPO TODO? NÃO 
 PROCURA PREÇO 
 PROCURA PREÇO 
EXCEÇÃO À LEI DA DEMANDA: 
BEM DE GIFFEN 
Única exceção à lei geral da demanda, a 
quantidade demandada de um bem varia 
diretamente com o preço do bem, coeteris 
paribus, (curva de procura positivamente 
inclinada). É um tipo de bem inferior. 
PREÇO qtde demandada 
 PREÇO qtde demandada 
EXEMPLO 01: 
Uma elevação moderada 
dos preços de pão levou a 
um maior consumo de pão, 
principalmente em famílias 
pobres, pois não havia outro bem barato e 
acessível capaz de substituir o pão na dieta das 
pessoas. Desta forma, maiores gastos no 
consumo de pão levaram a uma redução do 
consumo de outros produtos alimentícios, o que 
obrigou os mais pobres a consumir mais pão 
para sobreviver 
EXEMPLO 02: Giffen imaginou uma família 
muito pobre, em que a sua renda seria de 100 
unidades monetárias, sendo suficiente apenas 
para consumir arroz durante o mês. Havendo 
uma queda no preço da polenta, por exemplo, 
faria com que esta família não consumisse mais 
arroz, pois eles já estavam saturados deste 
produto e dariam preferência ao outro produto. 
CURVA DA DEMANDA: inclinação positiva, 
direta, ascendente ou crescente. 
OBJETIVO DA CURVA DA DEMANDA: 
Mostrar a disposição de compra do consumidor. 
FATORES QUE AFETAM A 
DEMANDA: 
 Preço; 
 Renda do consumidor: na maioria das 
vezes aumento da renda provoca 
aumento na demanda. 
Mirian Montezino – Ciências Contábeis Unip – 2019/1º 
 
3 
 
 PREÇOS DE OUTROS BENS: quando o 
consumo de um bem é associado ao 
consumo de outro bem, ou seja, BENS 
COMPLEMENTARES. 
 
EXEMPLO: 
 
 
 OUTROS FATORES: gostos, hábitos e 
expectativas dos consumidores. 
 EXEMPLO: 
Protetor Solar no Verão; 
Carvão p/ Churrasco no Sul; 
Camisas da Seleção na Copa do 
Mundo; 
Não realização de Concursos, 
diminui demanda de cursos. 
 
OUTROS FATORES QUE 
AFETAM A DEMANDA 
 
 EXPECTATIVA DOS 
CONSUMIDORES: Renda futura, 
comportamento futuro dos 
preços, disponibilidade futura de 
bens. 
 MUDANÇA NO NÚMERO DE 
CONSUMIDORES NO MERCADO: 
CONSUMO PROCURA 
EXEMPLO: férias em campos do 
Jordão. 
 MUDANÇAS DEMOGRÁFICAS: 
(etária + distribuição). Exemplo: 
jovens aumentam consumo calças 
jeans, fast food. 
 MUDANÇAS CLIMÁTICAS: 
óculos de sol, sungas, etc, são 
mais demandas no verão do que 
no inverno. 
A demanda de um bem, portanto, depende não 
só dos fatores listados acima, mas, sobretudo da 
ação conjunta deles. 
COETERIS PARIBUS: para analisar a influência 
de uma variável na demanda, utiliza-se, a 
suposição de que todas as outras variáveis 
permanecem constantes.