A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
15 pág.
Medula espinhal

Pré-visualização | Página 1 de 2

Medul� espinha�
Localização
● está dentro dos ossos, mais
precisamente dentro do canal
vertebral.
● cranialmente limita-se com o bulbo,
ao nível do forame magno do osso
occipital.
○ limite cranial = bulbo (forame
magno)
● o limite caudal tem importância
clínica e no adulto situa-se geralmente
em L2.
● termina afinando-se e formando o
cone medular, que continua com um
filamento meníngeo, o filamento
terminal.
● limite superior = forame magnum
(buraco) - comunicaçao bulbo
● limite caudal = L1 ou L2 (termina
afilando num cone medular)
● Porção dorsal = sulco mediano
posterior
● Porção ventral = fissura mediana
anterior
● substância branca = mais pra fora
● substância cinzenta = mais pra dentro
● sulco = pra fora = substância branca
● funículo = pra dentro = substância
branca
● anterior = motora
● posterior = sensitiva
Forma
● cilíndrica - seu calibre não é uniforme,
pois ela apresenta duas dilatações: a
intumescência cervical e a intumescência
lombar.
Intumescências
● áreas de conexão entre as raízes
nervosas, que formam o plexo
braquial (inervação dos membros
superiores), e as lombossacrais
(inervação dos membros inferiores).
● suas formações ocorrem devido a
maior quantidade de neurônios e,
portanto, de fibras nervosas que
entram ou saem destas áreas.
❖ Intumescência cervical:
❏ dos segmentos C5 até
T1 da medula
espinhal.
❏ recebe nervos do
plexo braquial
(membros superiores)
❖ Intumescência lombar
(lombossacral):
❏ dos segmentos de T11
a L1 da medula
espinhal.
❏ recebe nervos dos
membros inferiores
Superfície da medula
● apresenta sulcos longitudinais que
percorre toda a sua extensão, sendo
eles:
❖ sulco mediano posterior.
❖ fissura mediana anterior.
❖ sulco lateral anterior.
❖ sulco lateral posterior.
❖ sulco intermédio posterior.
Obs: os sulcos lateral anterior e lateral
posterior fazem conexão, respectivamente
com as raízes ventrais e dorsais dos nervos
espinhais.
Substância cinzenta:
● está dentro da substância branca e
tem forma de borboleta, ou de um
“H”, com três colunas de cada lado,
sendo elas:
❖ colunas anterior
❖ coluna posterior
❖ coluna lateral (só aparece na
medula torácica e parte da
medula lombar)
Obs: no centro da substância cinzenta
localiza-se o canal central da medula.
Substância branca:
● É formada por fibras, a maioria
mielínica, que sobem e descem na
medula e podem ser agrupadas de
cada lado em três funículos ou
cordões, sendo eles:
❖ Funículo Anterior:
está entre a fissura mediana
anterior e o sulco lateral
anterior.
❖ Funículo Lateral: está
entre os sulcos lateral anterior
e o lateral posterior.
❖ Funículo Posterior:
está entre o sulco lateral
posterior e o sulco mediano
posterior (ligado a substância
cinzenta pelo septo mediano
posterior)
Obs: na parte cervical da medula o funículo
posterior é dividido pelo sulco intermédio
posterior em fascículo grácil e fascículo
cuneiforme.
Conexões com os Nervos
Espinhais
Sulco lateral anterior:
● faz conexão com filamentos
radiculares para formar as raízes
ventrais dos nervos espinhais.
Sulco lateral posterior:
● faz conexão com pequenos filamentos
para formar as raízes dorsais dos
nervos espinhais.
Observação: filamentos nervosos
raticulares dos sulcos laterais anterior e
posterior se unem e formam as raízes ventral
e dorsal dos nervos espinhais.
Observação: essas raízes então se
unem e formam os nervos espinhais, após o
gânglio espinhal da raíz dorsal.
● segmento medular = parte da medula
onde fazem conexão os filamentos
radiculares de determinado nervo.
Nervos espinhais:
● formados pela união das raízes
ventrais e dorsais. Esse ponto é
situado distalmente ao gânglio
espinhal que existe na raiz dorsal.
Imagem das raízes nervosas:
Existem 31 pares de nervos
espinhais aos quais
correspondem 31 segmentos
medulares assim distribuídos:
● 8 cervicais
● 12 torácicos
● 5 lombares
● 5 sacrais
● 1 coccígeo
Imagem da relação das raízes nervosas com
as vértebras
Topografia vértebro medular
● diferença entre medula e vértebras =
ritmos de crescimento diferentes
○ quanto mais caudal mais há
alongamento de raízes e
diminuição do ângulo que elas
fazem com a medula
● para saber o segmento medular =
entre C2 e T10 soma 2 ao processo
espinhoso da vértebra
● T11 e T12 = são os 5 segmentos
lombares
● L1 = corresponde aos 5 segmentos
sacrais
Cauda equina:
● conjunto das meninges e das raízes
nervosas dos últimos nervos
espinhais.
Obs: as meninges estão um nível abaixo da
segunda vértebra lombar.
Obs: essas raízes nervosas estão dispostas em
torno do cone medular e do filamento
terminal.
Imagem do cone medular:
Imagem do filamento terminal:
Envoltório da Medula
São três meninges:
● Dura-máter
❖ é a mais espessa e envolve
toda a medula.
❖ envolve toda a caixa craniana.
❖ caudalmente ela termina no
fundo-do-saco na vértebra S2.
❖ seus prolongamentos laterais
cobrem as raízes dos nervos
espinhais (seu tecido
conjuntivo = epineuro = cobre
os nervos).
● Aracnóide
❖ está entre a dura-máter e a
pia-máter.
❖ é um folheto justaposto à
dura-máter e um
emaranhado de trabéculas
aracnóideas, que unem
este folheto à pia-máter.
● Pia máter
❖ é a membrana mais delicada e
mais interna.
❖ se adere intimamente com o
tecido superficial da medula e
entra na fissura mediana
anterior.
❖ continua caudalmente
quando a medula termina no
cone medular, formando um
filamento terminal
esbranquiçado que perfura o
fundo-do-saco dural e
continua até o hiato sacral.
❖ filamento da
dura-máter:
❏ conjunto do filamento
terminal com os
prolongamentos da
dura-máter.
❖ ligamento coccígeo:
❏ filamento da
dura-máter inserido
no periósteo da
superfície dorsal do
cóccix.
❖ ligamento
denticulado:
❏ prega longitudinal
formada pela
pia-máter, de cada
lado da medula, ao
longo de toda a sua
extensão.
❏ margem
medial: continua
com a pia-máter ao
longo de uma linha
contínua que se
dispõe entre as raízes
dorsais e ventrais.
❏ margem
lateral: tem 21
processos
triangulares inseridos
na aracnóide e na
dura-máter.
❏ os dois ligamentos
denticulados são para
fixação da medula e
para referência em
cirurgias.
Espaços anatômicos
● está entre a dura-máter e o periósteo
do canal vertebral.
● possui tecido adiposo e grande
número de veias, constituindo o plexo
venoso vertebral interno.
● Epidural:
○ entre a dura máter e o
periósteo do canal vertebral
○ conteúdo = tecido adiposo e
plexo venoso vertebral
interno
● Espaço subdural:
○ está entre a dura-máter e a
aracnóide.
○ conteúdo: pequena
quantidade de líquido.
● Espaço subaracnóideo:
○ entre a aracnóide e a pia
máter
○ contém grande quantidade de
líquido cérebro-espinhal ou
líquor.
● Espaço subpial:
○ está entre a pia-máter e o
tecido nervoso.
Classificação dos neurônios
medulares
● neurônios de axônio longo (tipo I de
golgi)
○ radiculares
■ viscerais
■ somáticos (alfa e
beta)
○ cordonais
■ de projeção
■ de associação
● neurônios de axônio curto (tipo II de
golgi)
Núcleos da substância cinzenta
● grupo medial = estão em toda
extensão medular e inerva, a
musculatura axial
● grupo lateral = estão na região da
intumescência cervical e lombar e
inervam a musculatura apendicular
○ mais medial = musculatura
proximal
○ mais lateral = musculatura
distal
Substância branca medular
● vias descendentes
○ fibras que se originam no
córtex cerebral ou em várias
áreas do tronco e terminam
com sinapses nos neurônios
medulares
■ ou terminam nos
neurônios pré
ganglionares do SNA
■ ou fazem sinapse com
neurônios da coluna
posterior (regulação)
■ ou constituem as vias
motoras (piramidal e
extrapiramidal)
○ piramidal = trato
córticoespinhal anterior e
lateral
○ extra piramidal = teto
espinhal, vestíbulo espinhal,
rubro espinhal e reticulo
espinhal.
● vias ascendentes
○ filamento radicular da raiz
dorsal = sulco lateral posterior
= grupo lateral e grupo medial

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.