A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Adaptações Celulares

Pré-visualização | Página 1 de 1

São caracterizadas como lesões reversíveis em tamanho, número, tipo
ou funções celulares, por respostas a mudanças no meio.
Adaptações Celulares
TIPOS
HIPERTROFIA
Aumento do tamanho das células que resulta
no consequente aumento do órgão afetado.
A hipertrofia é o resultado direto do aumento da
produção de proteínas celulares. Pode ser fisiológica
(útero gravídico) ou patológica (hipertrofia cardíaca
associada a problemas cardiovasculares).
HIPERPLASIA
Aumento no número de células em uma
estrutura como resposta a um estímulo.
Fisiológica: por ação hormonal ou
compensatória;
Patológica: por excesso de hormônios ou
fatores de crescimento.
É o resultado de células maduras induzidas
por fatores de crescimento, pode ser do tipo:
1.
2.
A hiperplasia pode evoluir para um
cancêr quando há neoplasia das células.
displasia
É um crescimento anormal e desornado
dos corpos celulares.
METAPLASIA
É uma alteração que consiste num processo de
"substituição" de células.
células sensíveis > células mais resistentes
Ex.: Trato respiratório de fumantes; esôfago de Barrett.
ATROFIA
Caracteriza-se pela redução do tamanho de um
órgão ou tecido. (processo contrário à hipertrofia)
A hipotrofia é caracterizada pela redução
significativa no número de corpos celulares em um
órgão ou tecido.
Fisiológica: útero retornando ao tamanho normal após gestação.
Patológica:
Atrofia por inanição. Ex: No jejum prolongado ou na desnutrição
crônica, o primeiro tecido a atrofiar-se é o adiposo. Segue-se
musculatura esquelética, tecido linfóide, pele, glândulas. Os mais
resistentes são os pulmões, coração e cérebro.
Atrofia por desuso. Ex: musculatura esquelética imobilizada por
gesso, ou desnervada. A atrofia dita neurogênica entra nesta
categoria.
Atrofia vascular por diminuição da circulação local. Ex: hipotrofia de
um rim por redução da luz da artéria renal por uma placa de
ateroma. Hialinização dos glomérulos renais na arteriolosclerose.
Atrofia cerebral na aterosclerose. (Não deixa de ser uma forma de
atrofia por inanição).
Atrofia endócrina (falta de fatores hormonais estimulantes). Ex.
atrofia da tiróide, supra-renais e gônadas após lesões da hipófise,
ex, tumores.
Atrofia por compressão. Ex. tumores, cistos, aneurismas comprimem
a microcirculação de um órgão, diminuindo a oxigenação e nutrição
celulares. Ex: rim na hidronefrose. (Não deixa de ser uma forma de
atrofia de causa vascular).
A atrofia pode ser também caracterizada em:
1.
2.