A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Urologia

Pré-visualização | Página 1 de 2

Habilidades Médicas V- Anne Caroline Maltez 
 
Urologia
 
 História – Visão Geral 
• Ambiente, sala de espera, 
posicionamento médico-paciente, 
linguagem não verbal, nível de 
compreensão do paciente e presença de 
um familiar ou amigo 
 Queixa Principal 
• Motivo da busca pela assistência, e é 
quando o médico começa a pensar num 
diagnóstico diferencial. 
É importante saber que os pacientes com 
algum tipo de lesão renal podem 
apresentar queixas que não guardam 
relação direta com os rins ou trato urinário. 
O órgão vai sendo lesado insidiosamente 
até surgir grave degradação da função 
renal. As manifestações são variáveis, 
incluindo: 
• Alterações da micção e do volume 
• Alterações na cor da urina 
• Dor • Edema • Febre • Calafrios 
Abordando as alterações da Micção e 
Volume... 
Para analisar as alterações precisamos 
saber quais os parâmetros de normalidade, 
sendo eles: 
 • Eliminar entre 700 -2000 ml de urina/dia 
• Capacidade da bexiga normal: 400 – 
600ml 
• Reflexo para esvaziar: quando atinge 
200ml 
→ Oligúria: Diminuição na produção de 
urina. 
• Diurese > 400ml/dia ou menos de 
20ml/hora. (↓ volume) 
Pode decorrer de: Redução do fluxo 
sanguíneo renal (desidratação, hemorragia, 
IC) e Lesões renais (glomerulonefrite 
aguda, necrose tubular aguda) 
→Anuria: Ausência de produção e 
eliminação da urina 
• Volume urinário < 100ml/hora 
Ocorre em: Obstrução bilateral das artérias 
renais, Obstrução bilateral dos ureteres, 
necrose cortical bilateral, IRA grave. 
→ Poliúria: Micção excessiva 
• Volume urinário > 2500ml/dia 
Mecanismos desencadeantes: 
• Diurese osmótica= um volume maior de 
solutos é excretado, levando à necessidade 
de maior excreção de água. (ex. DM 
descompensado) 
 - O efeito osmótico da glicose nos 
túbulos renais diminui a reabsorção 
tubular de líquido, então o paciente vai 
apresentar glicosúria nos túbulos renais, 
atraindo toda a água que deveria ser 
reabsorvida 
• Incapacidade de concentração urinária 
(ex. diabetes insípido, hipopotassemia) 
Habilidades Médicas V- Anne Caroline Maltez 
 
→ Disúria: Sensação de dor, ardor, ou 
desconforto ao urinar 
Ocorre em: Cistite, Prostatite, Uretrite, 
Traumatismo genitourinário, Irritantes 
uretrais, Reação alérgica 
→Polaciúria: Aumento da frequência 
miccional 
• Intervalo entre micções > 2h, sem 
aumento do volume urinário 
Ocorre em: Infecção, Litíase, Obstrução, 
Alterações neurológicas 
→Hesitação: Há um intervalo maior para 
que apareça o jato urinário, o paciente 
precisa fazer esforço 
Indica: obstrução do trato de saída da 
bexiga 
 História da Moléstia Atual 
• Temporalidade, Gravidade, Natureza, 
fatores de agravamento e de alívio, por á 
prova o diagnóstico diferencial proposto na 
QP. 
 Dor 
É importante saber: a Localização, 
Natureza-qualidade, Início, Duração, 
Irradiação, Episódios semelhantes prévios, 
Sinais e sintomas concomitantes, Fatores 
de melhora e de piora. 
- Pode ver a intensidade pela escala de dor 
(de 1 a 10) 
→ DOR GENITURINÁRIA 
• É uma distensão decorrente de 
obstrução: Ureterolitíase 
• Inflamação: Pielonefrite 
• Fisiologia= Liberação de prostaglandina e 
quimiocinas. Estimulação nociceptiva dos 
nervos. Amplificação e atenuação dos 
sinais: atuação de medicações nos agentes 
quimioneurais ou receptores. Dor aguda e 
crônica. 
→ DOR RENAL 
• É uma dor em cólica ou contínua. Que 
Irradia pelo flanco em direção a linha 
média abdominal ou para o escroto ou 
grandes lábios. 
•é localizada no ângulo costo-vertebral e 
inferior a 12ª costela 
→ DOR URETRAL 
• Ocorre obstrução aguda, localizada no 
quadrante inferior ipsilatreal. Devido ao 
acúmulo de prostaglandinas, Espasmo, 
acúmulo de ácido lático, acionamento de 
fibras A e C na parede uretral, raiz de T11-
L1. 
•Pode ocorrer obstrução parcial ou gradual 
que pode não causar dor 
• Irradiação para o escroto ou pênis. 
• Sintomas irritativos de esvaziamento nas 
obstruções agudas distais 
→ DOR VESICAL 
• Decorre de irritação envolvendo a região 
do trígono e do colo vesical. É uma dor 
suprapúbica que melhora após micção. 
 •Estrangúria 
 •Pontadas ao final da micção. 
→ DOR PROSTÁTICA 
• Inflamação: prostatite 
Habilidades Médicas V- Anne Caroline Maltez 
 
•Dor pélvica profunda: difícil de 
caracterizar, frequentemente referida 
como dor retal. 
• Sintomas irritativos de esvaziamento 
→DOR PENIANA 
•Quando Flácido: Parafimose, Lesões 
penianas ulceradas e dor referida 
• Quando ereto: Doença de Peyronie, 
priaprismo 
→ DOR ESCROTAL 
• Pele: foliculite 
• Testículos-cordão: Epididimites, orquites 
(melhoram com suporte do testículo), 
Torção testicular: congestão vascular, 
varicocele (dor vaga, mais ao final do dia, 
pela congestão vascular) 
 Hematúria 
Pode ser macroscópica ou microscópica. 
Vai importar a idade, sintomas irritativos, 
tabagismo, exposição a produtos químicos, 
afastar ITU (infecção do trato urinário). 
Duração do aparecimento, fatores 
associados. 
- Qual porção do jato surge com sangue 
- Coágulos 
Pode ser classificada de acordo com a 
intensidade, que auxilia a pensar na 
topografia da origem do sangramento. 
• Hematúria total= renal, ureteral, paredes 
da bexiga 
• Hematúria inicial= lesões entre a uretra 
distal e o colo vesical 
• Hematúria terminal=lesões do trígono 
vesical 
 Luts 
• Bexiga e sua via de saída. 
• Obstrução: 
 -PB, câncer de próstata obstrutivo, 
estenose de uretra, esvaziamento 
disfuncional, dissinergia detrusor- 
esfincteriana, fimose, estenose de meato. 
 -Sensação de esvaziamento 
incompleto, aumento de frequência 
urinária, intermitência, jato fraco, esforço 
miccional. 
 - A progressão pode ser lenta, fazendo 
com que muitos sintomas não sejam 
percebidos claramente. 
A obstrução crônica pode levar a sintomas 
irritativos. 
 - Irritação: Frequência, urgência, 
disúria; bexiga hiperativa, cistite, 
prostatite, cálculos vesicais, câncer de 
bexiga; frequência elevada > 5-6 vezes por 
dia >2 vezes por noite. 
Esvaziamento incompleto, bexiga 
hiperativa ou poliúria? O diário miccional 
pode esclarecer. 
 - Hesitação: retardo do início da micção 
 - Gotejamento pós-micicional, esforço 
miccional 
 Incontinência Urinária 
→ Incontinência de estresse: Associada 
com qualquer atividade que decorra no 
aumento da pressão abdominal. 
Hipocontratilidade esfincteriana. O 
tratamento se dá com medidas que 
reforcem a resistência a saída de urina 
→Urge-incontinência: A perda coincide 
com a sensação de urgência. A bexiga pode 
Habilidades Médicas V- Anne Caroline Maltez 
 
ser hiperativa, cistite, bexiga neurogênica, 
baixa complacência vesical. Trata-se com 
medidas para relaxar a bexiga. 
→Incontinência Mista: Urgência + perda 
associada a vasalva. Tratamento de uma 
causa, mas não da outra, pode exacerbar 
os sintomas 
→Contínua: Períneo continuamente 
úmido. Fistulas urinárias (cirurgia ginecol., 
radiação, parto traumático). Congênito 
(ureter ectópico – moiety do polo superior 
drenado ectópico. À noite, ao deitar retém 
urina, reduzindo a incontinência) 
→Pseudoincontinência: Condições que 
mimetizam a incontinência, secreção 
vaginal, fusão de grandes lábios 
→Transbordamento: Volume maior que a 
capacidade vesical, pressão maior que a 
resistência infra-vesical, mais a noite sem a 
atenção da vigília. Paradoxal, normalmente 
associada a obstrução infra-vesical 
→Funcional: Função vesical intacta, porém 
há um contexto que impede micção 
adequada- restrição ao leito, idade 
avançada. 
→Enurese: Incontinência durante o sono, 
normal até 3 anos, 15% das crianças até 5 
anos, 1% dos jovens até os 5 anos, primária 
x sec. 
 Disfunção Sexual 
Usualmente homens, mulheres