A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
ANATOMIA DO NARIZ E SEIOS DA FACE

Pré-visualização | Página 1 de 1

Sabrina Rossetto ATM 2026/1 
ANATOMIA DO NARIZ E 
SEIOS DA FACE 
O nariz é um órgão especializado no sistema 
respiratório que consiste em uma parte externa visível 
e uma parte interna (intracraniana) - chamada de 
cavidade nasal. 
A parte externa do nariz é a parte visível na face; 
consiste em uma estrutura de suporte constituída por 
osso e cartilagem hialina recoberta por músculo e pele e 
revestida por túnica mucosa. O frontal, os ossos nasais 
e as maxilas formam a estrutura óssea da parte externa 
do nariz. 
A estrutura cartilaginosa do nariz é formada por várias 
porções de cartilagem hialina ligadas entre si e a 
determinados ossos do crânio por tecido conjuntivo 
fibroso. 
Os componentes da estrutura cartilaginosa são a 
cartilagem do septo nasal, que forma a parte anterior do 
septo nasal; as cartilagens nasais acessórias 
inferiormente aos ossos nasais; e as cartilagens alares, 
que formam uma parte das paredes das narinas. 
Como é formada por cartilagem hialina maleável, a 
estrutura cartilaginosa do nariz é um pouco flexível. Na 
face inferior do nariz estão duas aberturas chamadas de 
narinas. 
 
 AS ESTRUTURAS INTERNAS DO NARIZ 
TÊM TRÊS FUNÇÕES: 
1) aquecimento, umidificação e filtragem do 
influxo de ar; 
2) detecção de estímulos olfatórios; 
3) modificação das vibrações da fala à medida que 
elas passam pelas grandes e ocas câmaras de 
ressonância (A ressonância se refere a 
prolongar, amplificar ou modificar um som pela 
vibração). 
 
 CAVIDADE NASAL: 
→ A cavidade nasal é um espaço grande na face 
anterior do crânio que se encontra inferiormente 
ao osso nasal e superiormente à cavidade oral; 
→ 
→ Está alinhada ao músculo e à túnica mucosa. 
Uma estrutura vertical, o septo nasal, divide a 
cavidade nasal nos lados direito e esquerdo. 
 
 SEPTO NASAL: 
→ A parte anterior do septo nasal é composta 
principalmente por cartilagem hialina; o 
restante é formado pelos ossos vômer, lâmina 
perpendicular do etmoide, maxila e palatinos. 
 
→ A margem anterior do vômer se articula com a 
cartilagem do septo, constituída de cartilagem 
hialina, para formar a porção anterior do septo. 
A margem superior do vômer se articula com a 
lâmina perpendicular do etmoide para formar o 
restante do septo nasal. 
 
→ Anteriormente, a cavidade nasal se funde ao 
nariz; posteriormente, comunicasse com a 
faringe por meio de duas aberturas 
chamadas de coanas ou coanos. 
 
 Sabrina Rossetto ATM 2026/1 
PERGUNTA: QUE OSSOS FORMAM O SEPTO 
NASAL? 
As estruturas que formam o septo nasal são a lâmina 
perpendicular do etmoide, o vômer e a cartilagem do 
septo nasal. 
 
 DUCTOS DOS SEIOS PARANASAIS: 
→ Os seios paranasais são cavidades encontradas 
no interior de determinados ossos cranianos e 
faciais perto da cavidade nasal. 
→ Os seios paranasais são revestidos por 
membranas mucosas contínuas com o 
revestimento da cavidade nasal. As secreções 
produzidas pelas membranas mucosas dos seios 
paranasais drenam para a parede lateral da 
cavidade nasal. 
→ Os ossos do crânio que contêm os seios 
paranasais são o frontal, o esfenoide, o etmoide 
e as maxilas. 
→ Os seios paranasais possibilitam que o crânio 
cresça de tamanho sem mudança de massa 
(peso) óssea. 
→ Os seios paranasais aumentam a área superficial 
da túnica mucosa nasal, elevando, desse modo, 
a produção de muco para ajudar a umedecer e 
limpar o ar inalado. 
 
 
OBSERVAÇÕES: 
1. Os seios paranasais são bastante pequenos ou 
estão ausentes ao nascimento, porém crescem 
de tamanho em dois períodos de crescimento 
facial – durante a erupção dos dentes e no início 
da puberdade. Eles surgem como excrescências 
da túnica mucosa nasal que se projetam para os 
ossos circunjacentes. 
2. Além disso, os seios paranasais servem de 
câmaras de ressonância (eco) dentro do crânio 
que intensificam e prolongam sons, 
melhorando, desse modo, a qualidade da voz. A 
influência dos seios paranasais na voz se torna 
óbvia quando a pessoa fica resfriada; as 
passagens pelas quais o som entra e sai dos 
seios ficam bloqueadas pelo excesso de 
produção de muco, mudando a qualidade da 
voz. 
 
 
 DUCTOS LACRIMONASAIS: 
→ O par de ossos lacrimais são finos e são os menores 
ossos do rosto, são posteriores e laterais aos ossos 
nasais e formam uma parte da parede medial de 
cada órbita. 
→ Cada osso lacrimal contém uma fossa lacrimal, que 
consiste em um túnel vertical formado com a maxila 
que acolhe o saco lacrimal, uma estrutura que 
acumula lágrimas e as conduz à cavidade nasal. 
 
 PALATINOS 
→ Os dois palatinos em formato de L formam a 
parte posterior do palato duro, parte do 
assoalho e da parede lateral da cavidade nasal 
e uma pequena porção do assoalho da órbita; 
→ A porção posterior do palato duro é composta 
pelas lâminas horizontais dos palatinos. 
 
 CONCHAS NASAIS INFERIORES: 
→ As duas conchas nasais inferiores, localizadas 
abaixo das conchas nasais médias do etmoide, 
são ossos individuais e não parte integrante do 
etmoide; 
→ Esses ossos com formato espiral compõem 
uma parte da parede lateral inferior da 
cavidade nasal e se projetam na cavidade 
nasal; 
→ Todos os três pares de conchas nasais 
(superior, média e inferior) aumentam a área 
 Sabrina Rossetto ATM 2026/1 
de superfície da cavidade nasal e ajudam a 
turbilhonar e filtrar o ar antes que passe para 
os pulmões. Entretanto, apenas as conchas 
nasais superiores do etmoide estão envolvidas 
no olfato. 
 
 
 VÔMER: 
→ O vômer é um osso aproximadamente 
triangular no assoalho da cavidade nasal que 
se articula superiormente com a lâmina 
perpendicular do etmoide e com o esfenoide, e 
inferiormente com ambas as maxilas e 
palatinos ao longo da linha média; 
→ O vômer forma a porção inferior do septo 
nasal ósseo, uma divisória que separa a 
cavidade nasal em lados direito e esquerdo. 
 
 MAXILAS: 
→ O par de maxilas se une para formar o maxilar. As 
maxilas se articulam com todos os ossos da face, 
exceto a mandíbula; 
→ As maxilas formam parte dos assoalhos das 
órbitas, parte das paredes laterais e do assoalho da 
cavidade nasal e a maior parte do palato duro; 
→ O palato duro é o teto ósseo da boca e é formado 
pelos processos palatinos das maxilas e lâminas 
horizontais dos palatinos. O palato duro separa a 
cavidade nasal da cavidade oral. 
→ Cada maxila contém um grande seio maxilar que 
desemboca na cavidade nasal; 
→ O processo alveolar da maxila é um arco que 
contém os alvéolos para os dentes maxilares 
(superiores). O processo palatino é uma projeção 
horizontal da maxila que forma os 3/4 anteriores 
do palato duro; 
→ A união e a fusão dos ossos maxilares 
normalmente se completam antes do nascimento, 
caso essa fusão falhar, observamos uma condição 
denominada fenda palatina. 
→ O forame infraorbital uma abertura na maxila 
inferior à órbita, possibilita a passagem dos vasos 
sanguíneos infraorbitais e de um nervo infraorbital, 
ramo da divisão maxilar do nervo trigêmeo; 
→ Outro forame proeminente na maxila é o forame 
incisivo, imediatamente posterior aos dentes 
incisivos, por eles passam ramos dos grandes 
vasos sanguíneos palatinos e o nervo nasopalatino; 
→ A fissura orbital inferior é uma estrutura associada 
à maxila e ao esfenoide, localizada entre a asa 
maior do esfenoide e a maxila. 
 
 
RESUMINDO: