Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Controle mecân de biofilme

Pré-visualização | Página 1 de 1

• É muito importante para tratar ou 
prevenir doenças, como periodontite e 
gengivite. 
• Parte desse controle é feito pelo 
profissional no consultório e outra 
parte pelo paciente em sua residência. 
• O paciente deve ensinar e ajudar o 
paciente para realizar esse controle de 
forma adequada. 
 
Como o paciente controla o 
biofilme dental? 
• Através de métodos mecânicos e 
químicos, como dispositivos 
mecânicos, como fio dental e escova; 
ou com substancias químicas, como 
enxaguantes bucais. Juntos eles 
auxiliam o paciente. 
• Em relação ao que cada um faz: 
 
 
 
• Porque remover o biofilme dental: 
➢ Controle de biofilme afeta o 
crescimento e a composição do 
biofilme gengival. 
➢ Redução do biofilme subgengival e d 
número de periodonto-patógenos. 
➢ Forma efetiva de tratar e prevenir 
gengivas e doenças periodontais. 
 
SOBRE AS ESCOVAS DE DENTE: 
• Foram idealizadas no ano de 1600. 
• Foram inventadas na china. 
• Antigamente seus cabos eram de 
madeira e cerdas feitas de pelo de 
porco selvagem. 
• Em 1857 nos EUA geraram suas 
patentes e ela foi mudando seu 
formato. 
• Em 1938 foram feitas escovas com 
cervas de Nylon. 
• Suas cerdas são agrupadas em tufos. 
• A dureza de uma escova é 
inversamente proporcional ao 
diâmetro das cerdas. 
• Tipos de escova: 
 
 
 
 
 
JÚLIA LEANDRO V.S. 
MECÂNICO: 
• Altera a quantidade de biofilme. 
• Diminui sua complexidade. 
• Reduz espécies Periodontopatogênicas. 
QUÍMICOS: 
• Provoca alterações de bactérias no 
biofilme. 
• Previne, para ou retarda a prevalência 
de bactérias. 
• Altera a patogenicidade do biofilme. 
• Tem ação preventiva. 
 
• COMO ESCOLHER A ESCOVA IDEAL? 
➢ Cerdas macias com pontas 
arredondadas de diâmetro pequeno. 
➢ Pequena/ apropriada com o tamanho da 
boca. 
➢ Cabo compatível com a destreza manual 
do paciente. 
➢ É importante dar ao paciente várias 
opções. 
 
• CUIDADOS COM A ESCOVA DENTAL: 
➢ Não devem ficar juntas no mesmo 
recipiente sem proteção individual, pois 
pode gerar contaminação cruzada. 
➢ É composta por bactérias que estão na 
nossa boca. 
➢ Caso exista uma doença, como dor de 
garganta, a escova fica contaminada e 
deve ser trocada após cura da doença. 
➢ O banheiro é extremamente 
contaminado, então deve ser protegida 
dos aerossóis, ficando cobertas. 
➢ Não deve ser compartilhada. 
➢ Deixar secar durante o uso. 
➢ Aplicar desinfetante (clorexidina) para 
limpá-la 1x na semana. 
 
METODOS DE ESCOVAÇÃO: 
➢ Escovação horizontal/ Scrub. 
• Indicada para pacientes com pouca 
coordenação motora. 
➢ Escovação vertical (técnica de 
Lenard). 
• Movimento de cervical para incisal. 
• Indicada para pacientes com pouca 
coordenação motora. 
➢ Escovação circular (técnica de 
Fones). 
• Indicada para pacientes, sendo crianças 
ou adultos com perda de coordenação 
motora. 
 
➢ Escovação sulcular (técnica de 
Bass). 
• É método mais indicado para 
pacientes com gengivite e 
periodontite. 
• Indicada para remoção de biofilme 
na área próxima à margem gengival. 
• Posiciona a escova 45 graus na região 
cervical para que ela penetre na 
região sulcular. 
➢ Escovação vibratória (técnica de 
Chaters). 
• Indicada para pacientes com casos 
de recessão gengival, após cirurgias 
periodontais e áreas com perda de 
papila interproximal. 
• Escova com as cerdas voltadas para 
as incisais em oclusais, vibrando-a 
sem arrastar. 
 
QUANRAS VEZES POR DIA É 
RECOMENDADO ESCOVAR OS 
DENTES: 
• É estabelecido que se deve escovar 
pelo menos 2x por dia com 
dentifrício fluoretado por pelo 
menos 2 minutos. 
• Do ponto de vista periodontal: 1x a 
cada 2 dias. 
• Escovas devem ser trocadas de 2 a 3 
meses. 
 
 
 
• Sobre escovas de dentes elétricas: 
➢ Movimentos oscilatórios e rotatórios e 
energia acústica de baixa frequência. 
➢ Alto custo. 
➢ Remoção de biofilme levemente superior 
a escova convencional. 
➢ Deve-se tomar cuidado com a pressão 
exercida, que deve ser pouca. 
➢ Indicação: 
- Pacientes com dificuldades motoras. 
- Pacientes com deficiência mental. 
- Crianças pequenas. 
- Higiene realizada por um cuidador. 
 
• Remoção de Biofilme Interdental: 
➢ Escovas dentais não alcançam 
superfícies interproximais com 
eficiência. 
➢ São áreas de difícil acesso que 
acumulam biofilme. 
➢ Maioria das doenças periodontais e 
dentarias tem origem nas superfícies 
interproximais. 
➢ Fio dental (encerado ou não) e fita 
dental são mais utilizados para essa 
limpeza. 
• Limpeza da língua: 
➢ A língua age como reservatório que 
permite acumulo e estagnação de 
bactérias e resíduos alimentares. 
➢ Principal sitio de compostos sulfurados 
voláteis, que pode promover halitose. 
➢ Os raspadores de língua durante 15 
segundos é muito efetivo. 
➢ Também se pode escovar a língua. 
 
 
 
 
 
Recursos de Limpeza 
Auxiliares 
1. Porta- Fio: 
• Para pacientes com limitações 
motoras. 
• Funcional da mesma forma que o fio 
dental convencional. 
 
2. Passa-fio: 
• Muito utilizado por aqueles que usam 
aparelho ortodôntico ou pontes fixas. 
• Auxilia na passagem do fio dental 
onde há impedimentos de introdução 
cérvico-oclusal. 
 
3. Escovas interproximais: 
• Consiste em cerdas de nylon macias 
torcidas em um fino fio de aço 
inoxidável. 
• Tem várias formas e tamanhos. 
• Podem ser cilíndricas ou cônicas. 
• Diferentes tamanhos são necessários 
para diferentes tipos de espaços 
interproximais. 
• Indicação: 
- Aparelhos ortodônticos. 
- Próteses ou implantes. 
- Espaços interdentais amplos. 
- Pônticos. 
• É utilizada na diagonal. 
 
4. Palitos Emborrachados/ Soft- 
Picks: 
• Alternativa para pacientes com 
limitação motora ao uso de fios 
dentais com espaço interdental 
preenchido. 
• Fio dental é superior na remoção do 
biofilme. 
 
 
5. Escovas uni e bitufo: 
• Escovas com cabeça pequena, dotadas 
de um pequeno grupo de tufos ou único 
tufo. 
• Cabo pode ser reto ou angulado. 
• Cerdas colocadas na região a ser limpa e 
ativadas com movimentos de rotação. 
• Utilizados em locais que a escova 
normal não alcança, como dentes mal 
posicionados ou dentes isolados. 
 
6. Irrigadores orais: 
• Jato pulsátil de alta pressão. 
• Limpam bactérias não aderentes e 
fragmentos da cavidade bucal. 
• Uteis na remoção de dos fragmentos das 
áreas inacessíveis.