A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Protocolos de exercícios resistidos

Pré-visualização | Página 1 de 1

*estas são anotações de aulas que tive, possível linguagem informal pode estar presente*
	Protocolos de exercícios resistidos
Em primeiro momento, o objetivo é recuperar a força perdida!!! E depois seguir com protocolo de hipertrofia, hiperplasia pra ganhar massa muscular e melhorar a funcionalidade.
Para avaliar o efeito do exercício: testes de força, uso de dinamômetro, testes funcionais e perimetria.
Cálculo da carga
Trabalhar com 60 a 80% da carga para não fadigar tão rápido e também porque o paciente acabou de passar por um processo inflamatório, com cicatrização etc., se a gente coloca muita carga, podemos danificar o tecido novo que está se constituindo ali.
Resistência manual
Vantagens: 	possibilidade de percepção sobre a força do paciente durante o movimento;
		Possibilidade de aumentar ou diminuir a resistência durante o movimento.
Desvantagens:	não é possível determinar com exatidão a resistência aplicada;
		Limitação da carga aplicada.
Resistência mecânica
Vantagens: 	possibilidade de determinar com exatidão a carga aplicada;
		Possibilidade de ter cargas maiores.
Desvantagens:	não percepção sobre as mudanças durante o movimento;
		Não possibilidade de alteração da carga durante o movimento.
Tipos de contração
Isométrica:		também desenvolve força mas entra muito na fase da recuperação da força perdida. Ela mantém a articulação parada, preservando-a, principalmente em casos que houve cirurgia, reconstrução etc. Jà começa a dar os primeiros estímulos para aumentar a vascularização no local e também à síntese de proteína.
	A co-contração é a contração de músculos agonistas e antagonistas ao mesmo tempo. Por exemplo no exercício de ponte, contraindo músculos lombares e abdominais ao mesmo tempo, trabalhando a estabilidade articular, importante para a postura.
	É usada para prevenir ou minimizar a perda mas tem suas limitações: não tem todos os ganhos para aumento de massa.
Ações concêntricas:	Maior recrutamento de unidades musculares; aumentar menos a força que a excêntrica; tem maior esforço.
Ações isocinéticas:	Exercício submáximo antes de exercício com esforço máximo;
	Arco de movimento curto antes de completo, para evitar movimentar a porção da ADM que esteja instável ou dolorosa.
	Primeiro concêntricas máximas em diferentes velocidades antes de introduzir os exercícios isocinéticas excêntricos.
Cadeias cinemáticas
	Levam em conta as alavancas corporais, se a extremidade está livre ou fixa.
Cadeia cinética fechada
	Segmentos distais ficam fixo ou encontram considerável resistência;
	Aqueles que resultam em movimentos simultâneos de várias articulações;
	Ora tem ação concêntrica, ora excêntrica do mesmo músculo.
	Atividade muscular coordenada (co-contração), isso diminui muito o risco de lesão pela distribuição da carga em vários músculos.
Cadeia cinética aberta
	Quando as extremidades estão livres ou com uma carga sem muita resistência;
	Exercícios uniarticulares.
Tratamento dos pacientes
CCF parecem mais funcionais, eles podem não resultar em máxima ativação muscular.
Reabilitação de MMII
CFF permite um sistema todo interligado do quadril, joelho e tornozelo.	
Protocolo de Delorme (adaptado)
Calcular a carga > 10RM.
1 série de 10 repetições com 50% da carga;
1 série de 10 repetições com 75% da carga;
1 série de 10 repetições com 100% da carga.
· Repouso entre as séries;
· Repouso entre cada repetição (hoje em dia faz direto);
· Realização de 3 séries durante a sessão.
Protocolo de Oxford
Tentou modificar o de Delorme, invertendo as cargas.
Calcular a carga 10RM
1 série de 10 rep com 100% da carga;
1 série de 10 rep com 70%
1 série com 50%
· Repouso entre as séries;
· Realização de 3 séries durante a sessão.
Ambas são eficientes, depende do paciente.
Protocolo de isometria
 1 série de 20 repetições mantendo 6 segundos de isometria (cada repetição)
- Realizar 3 vezes ao dia.
-----------------
3 séries de 10 repetições mantendo 4 a 6 segundos de isometria.
Importante
Posicionamento correto do paciente;
Trabalhar toda a amplitude de movimento;
Adaptar o protocolo ao paciente;
Atentar para as compensações de movimento.
Exercícios resistidos
Possui diversas finalidades: profilática, terapêutica, estabilização, estética, recreativa e treinamento.
Treinamento de força tem muitos benefícios como: força, aumento da velocidade, agilidade, coordenação motora, aumento da massa magra, melhora do rendimento esportivo, etc, mas também como controle, prevenção e até cura de algumas condições.
Força
É a quantidade máxima de tensão que um músculo ou um grupo muscular pode produzir em um padrão específico de movimento realizado em determinada velocidade.
Tipos de força
Absoluta: máxima quantidade de força que um músculo pode gerar quando todos os mecanismos inibitórios e de defesa são removidos (emergências, hipnose ou esteroides).
Resistência: habilidade de manter a produção de força por um tempo prolongado ou durante muitas repetições em determinados exercícios.
Explosiva: produto da força e da velocidade do movimento. Habilidade de movimentar o corpo e/ou um objeto no menor período de tempo.
Funcional: habilidade do sistema neuromuscular de produzir, reduzir ou controlar forças, pretendidas ou impostas durante atividades funcionais (adaptação neural e aumento da fibra).
Máxima: máxima tensão que um músculo ou grupo muscular pode gerar durante uma repetição em determinado exercício (excêntrico e concêntrico).