A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Tipos de estudo

Pré-visualização | Página 1 de 1

Tipos de estudo 
 
Pirâmide de relevância 
- Meta-análise 
- Revisão sistemática 
- Estudos randomizados controlados 
- Estudos de coorte 
- Estudos de caso controle 
- Relato de vários casos 
- Relato de um caso 
 
Tipos de estudo: qualitativo e quantitativo 
 
Quantitativo 
- Dados numéricos que geram uma estatística 
- Estuda a relação e associação entre as doenças dos sujeitos 
- Parte a partir de uma hipótese Hipóteses de causa-efeito 
 Relação entre duas ou mais variáveis 
 
- Resposta as perguntas de partida Responder as questões específicas da pesquisa 
 
Qualitativo 
- Dados comportamentais. Algo mais abstrato. 
- Ênfase na subjetividade 
- Flexibilidade no processo de conduzir a pesquisa 
- Conhecer um ambiente de pouca vivência 
 
Tipos de grupo controle 
SEM grupo controle Caso 
 Série de casos 
COM grupo controle Humanos Sem aleatorização Caso controle 
 Coorte 
 Com aleatorização Ensaio clínico 
 Ensaio comunitário 
 
 Animais/objetos 
 
Estudos laboratoriais 
Estudos in vitro 
Laboratório / Microbiologia 
 
Estudos in vivo 
Geralmente envolvem animais 
 
Estudos in situ 
- Trabalha com substratos confeccionados no laboratório 
(Ex: formação de biofilme em um laboratório) 
- Adesão delicada dos pacientes, pois exige o comprometimento dos mesmos para o sucesso do estudo 
 
Obs: O ideal é que se siga essa sequência de três estudos antes de chegar ao ensaio clínico. Pode-se 
pular do ensaio in vivo para o ensaio clínico, mas não é o mais ideal. 
 
Tipos de pesquisa 
Pesquisa experimental 
Vantagens 
- Elimina a subjetividade dos achados e proporciona melhor comparação de estudos (diferente das 
observacionais) 
- Ensaios controlados (redução de viés) 
- Útil quando há restrições no uso de seres humanos 
 
Desvantagens 
- Limitação da extrapolação de resultados laboratoriais para seres humanos (tem que passar pela 
sequência do in vivo) 
 
Pesquisa quantitativa: pesquisa epidemiológica 
Descrever as condições de saúde de uma população 
- Prevalência de uma determinada condição de alteração de saúde (ex: cárie) 
 
Investigar os fatores determinantes das situações de saúde 
- Busca de fatores de risco ou fatores associados a doenças 
- Fumo e câncer; Diabetes e AVC 
 
Avaliar o impacto de ações para alterar as condições de saúde 
- Exposição a flúor: prevalência de cárie 
 
Pesquisa epidemiológica 
Estudos descritivos 
- Objetivo: descrever determinado evento em uma população (geralmente relatos de caso e séries de 
caso) 
- Ecológico (comparação entre populações e grupos) 
- Transversais (comparação e descrição de eventos em indivíduos) 
 
Estudos analíticos 
Objetivo: elucidação de determinantes das doenças (observacionais de coorte caso-controle ou ensaios 
clínicos randomizados) 
Estudos analíticos 
Observacionais 
- Visam descrever e estabelecer uma associação entre um fator de risco e uma doença 
- Caso-controle, coorte 
 
Intervencionais ou Experimentais 
- Visam observar a alteração no curso da doença a partir de uma intervenção (ex: drogas, 
tratamentos) 
- Ensaios clínicos 
 
Tipos de estudo 
Quantitativos 
Estudo transversal 
O estado de um indivíduo com relação à presença ou ausência da doença, ou presença ou ausência 
de exposição a doença 
 
População 
Coleta de dados 
 
 
Expostos; Não expostos; Expostos; Não expostos; 
Com a doença Com a doença Sem a doença Sem a doença 
 
Caso controle 
- Estudo transversal 
- Mais baratos 
- Mais rápidos 
- Efetivos populacionais mais reduzidos (a amostra de pessoas é menor) 
- Na maioria das vezes é retrospectivo (avaliando os prontuários dos pacientes, que para isso, devem 
estar bem descritos e preenchidos) 
 Caso (doentes) 
Exposição 
 Controle (sadios) 
 
Coorte 
- Permitem avaliar a incidência (novos casos) de determinadas doenças ou outras condições num 
intervalo de tempo 
- Analisar associações entre fatores de risco e doenças 
- Acompanhamento com supervisão 
- Muito caros (porque é um estudo longitudinal, onde a pessoa é acompanhado por muito tempo) 
- Necessidade de grandes efeitos populacionais 
- Longos períodos 
- Geralmente são prospectivos, mas também podem ser retrospectivos 
 
Ensaio clínico 
O investigador aplica uma intervenção e observa seus efeitos sobre os desfechos 
- Controlados 
- Randomização (Divisão aleatória dos pacientes para diminuir a quantidade de viés do estudo – 
prova!!) 
- Cegamento (Pode ser cego ou não cego. Cego ou duplo cego) 
- Permitem avaliar diferentes tratamentos 
 
Delineamento experimental 
- Boca dividida (Split mouth) 
- Hemiarcadas, quadrantes, sextantes 
- Cada paciente é controle de si mesmo 
- Diminuição da variabilidade 
- Utilização de menos indivíduos (porque o paciente pode ser controle dele mesmo) 
- Cuidado: contaminação 
 
Revisões sistemáticas e meta-análises 
Revisões sistemáticas 
- Compilado de diversos estudos da literatura com metodologias e objetivos semelhantes em busca de 
uma conclusão acerca de uma problemática clínica (pode ter meta-análise ou não) 
- Deve conter artigos de vários lugares a nível mundial 
 
Meta-análise 
Análises estatísticas do conjunto de estudos (de cada estudo) – confirmação dos achados 
 Quando bem delimitadas, podem fornecer as mais fortes evidencias científicas para orientar 
procedimentos e protocolos clínicos 
 Baseado numa revisão sistemática, principalmente se tiver meta-análise, pode-se se basear 
naquele artigo para tomar uma decisão clínica 
 
Relato de caso 
- Observacional descritivo 
- O estudo de caso trata-se de uma abordagem metodológica de investigação de condições raras ou 
de difícil investigação 
- Apesar de fornecer a mais baixa evidência científica, é importante na descrição de eventos raros 
ou novos 
Doeças raras tratamento inovador resultado inusitado 
 
Relato de séries de casos 
Relato de casos clínicos: puramente qualitativo ou estatístico descritivo 
- Comparação de 
 Técnicas cirúrgicas 
 Prognósticos 
 Casos 
Descrição e embasamento teórico 
 Estudos e outros relatos 
 Formulação de hipóteses e especulações 
 Proposta de realização de estudos