A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Tecido Nervoso

Pré-visualização | Página 1 de 2

↪Acha-se distribuído pelo organismo interligando-se e 
formando uma rede de comunicações que constitui o 
sistema nervoso; 
↪Origina-se da ectoderme; 
↪Pobre em matriz extracelular; 
↪Células muito especializadas; 
↪Altamente vascularizado; 
↪Está dividido em: 
 
 
Sistema Nervoso 
Sistema 
Nervoso Central 
(SNC) 
Sistema Nervoso 
Periférico (SNP) 
Encéfalo 
(crânio) 
Medula Espinhal 
 (canal vertebral) 
Sistema Nervoso 
Central (SNC) 
↪O tecido nervoso apresenta dois componentes 
principais: 
(1) os neurônios: células geralmente com longos 
prolongamentos; 
(2) vários tipos de células da glia ou neuróglia, que 
sustentam os neurônios e participam de outras 
funções importantes. 
↪No SNC há uma segregação entre os corpos 
celulares dos neurônios e os seus prolongamentos. Isso 
faz com que sejam reconhecidas no encéfalo e na 
medula espinhal duas porções distintas, denominadas 
substância branca e substância cinzenta; 
Tecido Nervoso 
Cérebro 
(Telencéfalo e 
Diencéfalo) 
Cerebelo 
Tronco Encefálico 
(Mesencéfalo, ponte e 
bulbo) 
Sistema Nervoso 
Periférico (SNP) 
Nervos Gânglios Nervosos 
Cranianos 
(encéfalo) 
Espinais ou 
Raquidianos (medula) 
JUNQUEIRA, Histologia Básica, Texto e Atlas - 12ª Ed 
 
↪A substância cinzenta é assim chamada porque 
mostra essa coloração quando observada 
macroscopicamente. É formada principalmente por 
corpos celulares dos neurônios e células da glia, 
contendo também prolongamentos de neurônios; 
↪A substância branca não contém corpos celulares de 
neurônios, sendo constituída por prolongamentos de 
neurônios e por células da glia. Seu nome origina-se da 
grande quantidade de um material esbranquiçado 
denominado mielina, que envolve determinados 
prolongamentos dos neurônios (axônios). 
Funções 
↪Detectar, transmitir, analisar e utilizar as informações 
geradas pelos estímulos sensoriais representados por 
calor, luz, energia mecânica e modificações químicas do 
ambiente externo e interno; 
↪Organizar e coordenar, direta ou indiretamente, o 
funcionamento de quase todas as funções do 
organismo, entre as quais as funções motoras, viscerais, 
endócrinas e psíquicas. 
Neurônios 
 ↪As células nervosas ou neurônios são responsáveis 
pela recepção, transmissão e processamento de 
estímulos; 
↪Influenciam diversas atividades do organismo e 
liberam neurotransmissores e outras moléculas 
informacionais; 
↪Os neurônios são formados pelo corpo celular ou 
pericário, que contém o núcleo e do qual partem 
prolongamentos; 
↪Os neurônios apresentam morfologia complexa, 
porém quase todos apresentam três componentes: 
↳Dendritos: prolongamentos numerosos, especializados 
na função de receber os estímulos do meio ambiente, 
de células epiteliais sensoriais ou de outros neurônios. 
↳Corpo celular ou pericário: é o centro trófico da célula 
e também capaz de receber estímulos. 
↳Axônio: prolongamento único, especializado na 
condução de impulsos que transmitem informações do 
neurônio para outras células (nervosas, musculares, 
glandulares). 
 
↪De acordo com sua morfologia, os neurônios podem 
ser classificados nos seguintes tipos: 
↳Neurônios multipolares: apresentam mais de dois 
prolongamentos celulares 
↳Neurônios bipolares: têm um dendrito e um axônio 
↳Neurônios pseudounipolares: apresentam, próximo ao 
corpo celular, prolongamento único, mas este logo se 
divide em dois, dirigindo-se um ramo para a periferia e 
outro para o sistema nervoso central. 
 
 
↪Os neurônios pseudounipolares aparecem na vida 
embrionária sob a forma de neurônios bipolares, com 
um axônio e um dendrito originando-se de 
extremidades opostas do pericário. Durante o 
desenvolvimento, os dois prolongamentos se 
aproximam e se fundem por um pequeno percurso, 
próximo ao pericário; 
↪A grande maioria dos neurônios é multipolar. 
Neurônios bipolares são encontrados nos gânglios 
coclear e vestibular, na retina e na mucosa olfatória; 
↪Neurônios pseudounipolares são encontrados nos 
gânglios espinais, que são gânglios sensoriais situados 
nas raízes dorsais dos nervos espinais, e também nos 
gânglios cranianos. 
Classificação quanto à função: 
↪Neurônios Motores (eferentes): controlam órgãos 
efetuadores (glândulas e fibras musculares); 
↪Neurônios Sensitivos (sensoriais/aferentes): recebem 
estímulos sensitivos internos e externos; 
↪Interneurônios: estabelecem conexões entre 
neurônios. Presentes no encéfalo. 
 
 
 
 
 
Potenciais da Membrana 
↪As células nervosas possuem moléculas nas 
membranas que são bombas ou canais para o 
transporte de íons para dentro ou para fora do 
citoplasma; 
↪A concentração do Na+ é maior no meio extra-
celular; 
↪Ao contrário, a concentração do K+ é mantida muito 
mais elevada no fluido intra-celular; 
↪Deste modo existe uma diferença de potencial 
através da membrana, sendo o interior negativo em 
relação ao exterior. Este é o potencial de repouso da 
membrana; 
 
↪Quando o neurônio é estimulado, os canais iônicos se 
abrem e ocorre um rápido influxo do Na+; 
↪Esse fluxo modifica o potencial que era de -65mV 
para +30mV; 
↪O interior do axônio se torna positivo em relação ao 
exterior, originando o potencial de ação ou o impulso 
nervoso; 
↪Atingido o potencial de +30mV, os canais de Na+ se 
fecham, tornando a membrana do axônio novamente 
impermeável a este íon; 
↪Em poucos milesegundos ocorre a abertura dos 
canais de K+, modificando a situação iônica, expulsando 
o Na+ do interior da membrana e retornando o 
potencial da membrana para a situação de repouso. 
Comunicação Sináptica 
↪É responsável pela transmissão unidirecional dos 
impulsos nervosos; 
↪Sua função é transformar um sinal elétrico pré-
sináptico em sinal químico pós-sináptico; 
↪São transmitidas pela ação de neurotransmissores, 
que quando combinadas com proteínas, abrem ou 
fecham os canais iônicos; 
↪A sinapse se constitui por um terminal axônico 
(terminal pré-sináptico) que leva o sinal, uma região na 
superfície da outra célula, em que se gera um novo 
sinal (terminal pós-sináptico), e um espaço muito 
delgado entre os dois terminais, a fenda pós-sináptica. 
 
 
↪As sinapses podem ser: 
↳Axo-somática: axônio com um corpo celular; 
↳Axo-dendrítica: axônio com um dendrito; 
↳Axo-axônica: axônio com axônio. 
↪Além das sinapses químicas, nas quais a transmissão 
do impulso é mediada pela liberação de determinadas 
substâncias, existem ainda as sinapses elétricas. Nestas, 
as células nervosas unem-se por junções comunicantes, 
que possibilitam a passagem de íons de uma célula para 
a outra, promovendo, assim, uma conexão elétrica e a 
transmissão de impulsos. As sinapses elétricas são raras 
nos mamiferos, sendo mais encontradas nos 
vertebrados inferiores e nos invertebrados. 
 
Células da glia e atividade neuronal 
↪Define-se por glia ou neuroglia, células com funções 
próprias que são encontradas no sistema nervoso 
central; 
↪O tecido nervoso tem apenas uma quantidade 
mínima de material extracelular, e as células da glia 
fornecem um microambiente adequado para os 
neurônios e desempenham ainda outras funções. 
Oligodendrócitos 
↪Produzem as bainhas de mielina nos neurônios do 
SNC. Tem prolongamentos que enrolam em volta dos 
axônios, produzindo a bainha de mielina. 
Células de Schwann 
↪Produzem a bainha de mielina de axônios do SNP. 
Cada célula de Schwann forma mielina em torno de um 
segmento de um único axônio. 
 
 
 
Astrócitos 
↪Células de forma estrelada, com múltiplos processos 
irradiando do corpo celular. Liga os neurônios aos 
capilares sanguíneos e ao tecido conjuntivo que 
recobre o SNC. 
 
Células Ependimárias 
↪Células epiteliais colunares que revestem os 
ventrículos do cérebro e o canal central da medula 
espinhal. 
 
 
Micróglia 
↪Células Fagocitárias,