A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Farmacocinética resumo

Pré-visualização | Página 1 de 1

Farmacocinética 
 Introdução 
Estuda o movimento dos fármacos no organismo 
1) Absorção (quando o fármaco atinge a 
circulação sistêmica) 
2) Distribuição (pode circular de forma livre ou de 
forma conjugada ligado a proteínas plasmática) 
3) Biotransformação ou metabolismo (quando o 
fármaco se converte em um metabolito (inativo 
e polar) 
4) Excreção 
 Vias e absorção 
Principais vias: 
- Enterais: oral e retal 
- Parenterais: (injetáveis) intramuscular, subcutânea, 
intravenosa, intraperitoneal, intra-arterial 
- Tópicas: cutânea e de mucosas 
Movimentos de drogas 
1) Difusão simples: para moléculas apolares e com 
pequeno tamanho molecular 
2) Difusão facilitada: através da região lipídica das 
membranas, favor do gradiente de 
concentração 
3) Transporte ativo 
4) Endocitose 
 
 
 
Processos de absorção 
a) Absorção pulmonar: epitélio pulmonar e 
membranas mucosas -> rápido acesso a 
circulação 
b) Absorção enteral: epitélio é barreira, suplantada 
pela grande supercifie ( microvilosidades) 
c) Absorção oral: epitélio não queratinizado 
d) Absorção tópica: epitélio 
escamoso(queratinizado) permite a passagem 
apenas de drogas lipofílicas. 
Fatores que modificam a absorção 
1) Ph e ionização: medicamento na forma ionizada 
não atravessa a membrana, ou seja, não é 
absorvido; 
Fármacos ácidos são melhor absorvidos em 
meio ácido. 
Fármacos básicos são melhor absorvidos em 
meio básico. 
2) Interação medicamentosa: 
- Alteração do ph. EX: bloqueadores H2 
(antiácidos e cetoconazol (antifúngico). Impacto: 
dissolução de cetoconazol é reduzida, resultando 
em redução de absorção 
- Complexação/ quelação. EX: antiácidos+ 
tetraciclinas. Impacto: complexo tetraciclina + 
cátions divalentes, formando quelato. EX: ferro e 
levodopa/ carbidopa 
 Distribuição de drogas 
- Fenômeno em que um fármaco, após a absorção, sai 
da corrente sanguínea e dirige-se ao seu local de ação 
- Vascularização (perfusão) 
Ocorre 
- Capilares: drogas entram em todos os tecidos corporais 
através dos capilares; taxa de entrada dependo do fluxo 
sanguíneo e facilidade de passar através das membranas 
capilares > difusão 
- Permeabilidade: drogas passam facilmente através dos 
poros da membrana (mas não hemácias ou proteínas ); 
drogas que se ligam a PP não passam pelos capilares 
 
 
Fatores 
1) Ligação com proteínas 
- Reservatórios circulantes > caráter reversível 
- Ligação saturante 
- Albumina: ácidos fracos 
- Beta- globulinas: bases fracas 
 Droga livre+ sítio de ligação > complexo DS 
Efeito de ligação a PP 
1) Interação entre drogas 
Ex: fenitoina + ac valprótico 
➢ Impacto: redução da ligação do acido valprotico 
à PP e alteração da Cs (curva de saturação) 
 
2) Hipoproteinemia Baixa concentração de 
proteína na corrente sanguínea, aumentando a 
fração livre do medicamento; 
➢ Impacto: aumento da potência do fármaco 
 
3) Barreiras orgânicas: Como já foi mencionado 
anteriormente 
➔ Hematoencefálico (previne subst. tóxicas ou 
medicamentos que alcance o encéfalo) 
➔ Barreira placentária (dificulta a passagem de 
materiais tóxicos); 
 
 Biotransformação de drogas 
- Transformação química > eliminação de metabolitos + 
polares e hidrossolúveis 
- Sistema enzimáticos hepáticos, plasmáticos, intestinais, 
pulmonares, renais 
- Função: inativar drogas ou formar compostos mais 
ativos 
- REAÇÃO DE FASE 1: no rel > citocromo P450 
(microssomal) 
Oxidação, redução, hidrolise 
EM SUMA: São processos que acrescentam na molécula 
original pequenos grupos polares, como OH, COOH, NH2; 
- REAÇÃO DE FASE 2: conjugação ou síntese 
 
 
 
Droga/ 
metabolito + 
substrato 
endógeno > 
enzimas 
citoplasmáticas, 
enzimas 
microssomiais-> 
metabolito inativo 
Substratos: ácido 
glicurônico, SO4, 
acetona, aa(glicina, cisteina, metionina 
Ex de conjugação: sulfatação, glicuronidação 
 
 
 Latenciação de fármacos 
- Elaboração de Pro-fármacos (só é ativado quando 
circula o org. humano); 
O composto inativo, após reação enzimática, liberta o 
fármaco ativo; -----> Muitas vezes a medicação pode ser 
inativada antes de chegar no alvo, devido o PH, por isso é 
importante a produção de uma forma inativa e só 
quando está próxima do alvo, converte para a forma 
ativa, gerando o efeito terapêutico; 
OBJETIVOS DA LATENCIAÇÃO: - Aumentar a 
biodisponibilidade (quantidade que chega no órgão alvo); 
 - Proteger o fármaco de uma inativação precoce; 
 
 
 
 
 Fatores que afetam a biotransformação 
➔ Internos 
- Inibição enzimática. Ex : cimetidina, 
cloranfenicol, organofosforado, cetoconazol, 
CCl4 
- Bloqueia as enzimas e consequentemente 
prolonga o tempo de permanência do fármaco 
no organismo. 
- Indução enzimática. EX: fenobarbital, 
rifampicina. Fluxo sanguíneo hepático, ligação 
com PP 
➔ Externos 
- Dieta 
- Meio ambiente 
 Excreção de fármacos 
Nem sempre o medicamento precisa ser metabolizado, 
pode ser eliminado na sua forma original; 
- Auxiliada pela biotransformação (forma mais 
hidrossolúvel); 
 - RINS; 
 - Bile (fezes); 
- Glândulas salivares / mamárias / sudoríparas; 
- Pulmões (expiração); 
EM SUMA: o medicamento é absorvido, podendo passar 
pelas reações de fase 1 ou não, indo direto para 2, se 
conjuga e é eliminado. mas, passando pela reação de 
fase 1 forma um metabólico; ou em último caso não sofre 
metabolismo e é eliminada naturlmente; 
 OBS: quanto mais hidrofílico mais facilmente é eliminado, 
porque a água é o principal componente da urina e 
fezes; 
 NÃO ESQUECER: a substância que é eliminada sem 
sofrer metabolismo, já é uma substância hidrofílica o 
suficiente para ser eliminada na sua forma original; 
MECANISMOS QUE INTENSIFICAM A EXCREÇÃO: 
➢ Excreção renal: Formação da urina, com PH 
adequeado p/ excretar; (convertendo o 
fármaco para a forma ionizada) - Ex: Penicilinas, 
Diuréticos, Cefalosporinas; 
 
Essa excreção é facilitada por fenômenos como: 
 * Filtração glomerular (processo inespecífico que 
auxilia a formação da urina, portanto facilita a 
excreção urinária de fármacos com tamanho 
pequeno e livre); 
* Secreção tubular (fenômeno específico; Só 
acontece se a molécula tiver transportadores 
específicos; também encaminha fármacos do sangue 
para o néfron, aumentando na urina a presença do 
fármaco e auxiliando a sua excreção); 
OBS: Existem fármacos que só sofrem filtração, 
outros que só sofrem secreção e outros que 
sofrem os dois; 
 ~ A região mais importante da secreção de 
fármaco é o túbulo proximal (possui bombas) 
 • Na secreção: Há transportadores para drogas 
ácidos e drogas básicas; 
 • Na filtração: Não acontece isso, pois não 
tem especificidade; 
 ALÉM DISSO: Há competição pelo mesmo 
carreador: Ou seja -> Uma subst atrapalha a 
secreção tubular da outra; 
NÃO ESQUECER: 
 - Compostos de baixa lipossolubilidade e ionizados = 
Excretados com rapidez; 
- Compostos não-ionizados e lipossolúveis = 
Excretados com mais lentidão; 
 OUTRO FATOR QUE FAVORECE A EXCREÇÃO: 
Alcalinização/ Acidificação urinária -> Mudança do PH 
dentro dos túbulos estimula a excreção de drogas 
de PH contrário; 
COMO ASSIM?? 
*Fármacos ácidos são melhores eliminados em 
meios básicos; 
*Fármacos básicos são melhores eliminados em 
meios ácidos; (É O CONTRÁRIO DA ABSORÇÃO);