A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
Relatório Química Geral e Inorgânica - Medições e erros

Pré-visualização | Página 1 de 2

Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO 
Centro de Ciências Biológicas e da Saúde – CCBS 
Instituto de Biociências – IBIO 
Departamento de Ciências Naturais – DCN 
 
 
 
 
 
 
Disciplina: Química Geral e Inorgânica 
Professora: Samira Portugal 
 
 
 
 
 
 
 
Aluno:Michelle de Souza Ferreira 
Curso: Biomedicina 
Turma: A Nº da prática: 2 
 
 
 
Prática realizada no dia: 01/09/2014 
 
 
 
 
 
 
 
Medições e erros 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Rio de Janeiro 
2° semestre 2014 
I. Introdução (DEVE SER IMPESSOAL) 
O laboratório é um ambiente no qual são realizadas atividades em uma determinada área 
de conhecimento.Sendo assim,é de vital importância que haja procedimentos especiais 
para sua utilização.Dentre os cuidados individuais,a vestimenta deve ser 
adequada,portanto, o uso de jaleco é obrigatório,inclusive sapatos fechados e calças 
compridas.Os cabelos longos,deverão estar presos, e, deve-se evitar o uso de lente de 
contato,quando utilizar,o uso de óculos é indicado,pois produtos químicos a danificam. 
Com o espaço,é importante manter a higiene e organização. Não é permitido conversas 
desnecessárias e brincadeiras no laboratório,uma vez que todos os experimentos devem 
ser realizados com o máximo de atenção,trabalhando sempre com calma e prudência. 
Sempre verificar o funcionamento dos dispositivos de segurança,e seguir as orientações 
dos responsáveis,nunca misturando ou acrescentando substâncias que não estejam 
devidamente programadas no roteiro. 
Acerca do cuidado com os equipamentos,a capela de exaustão deve ser usada para 
trabalhos que envolvam a utilização ou formação de gases,vapores ou poeiras nocivas.O 
manuseio da vidraria deve ser com cuidado,os fragmentos dessas,quando 
quebradas,podem causar ferimentos sérios. Bico de gás e chamas abertas,não devem ser 
mantidos acesos desnecessariamente,há o perigo de incêndio.Sempre portar de 
extintores de incêndios adequados para os devidos fins.Fechar sempre o registro geral de 
gás e as torneiras,evitando desperdício e quaisquer escapamento daquele.Os 
equipamentos elétricos devem ser verificados com a sua devida voltagem,antes de 
conectá-los,é indicado também que haja conhecimento dos mecanismos de controle. 
Nunca despejar produtos químicos ,sem o seu conhecimento de despejo, na pia. E,acima 
de tudo,cada indivíduo presente no laboratório deve ter a consciência de zelar pela sua 
própria segurança,e a de todos os que estão em volta,já que uma ação individual pode 
atingir aos outros presentes. 
No referido dia,foi apresentado o laboratório de química,as medidas de segurança,as 
vidrarias e os demais equipamentos.Os alunos tiveram contato com o espaço,onde se 
localizava cada material , a estufa,as duas pias onde se lavam os devidos objetos,além de 
informação sobre o uso da ducha de segurança,lava olhos e a capela de 
exaustão.Após,deu-se início à aula de medições e erros. 
Na parte teórica,foi dado ênfase que utilizando o método cientifico, na coleta de dados, 
podem ocorrer erros nas medições,que podem ser os grosseiros,quando o erro é na 
leitura, e os sistemáticos,que são devido a percepção,quando, por exemplo,o operador 
em dado experimento,muda. Há também,os erros absoluto e relativo.Esse leva em conta 
a quantidade medida,além do instrumento,e o primeiro,apenas do aparelho. Antes de 
iniciar a prática,que consistiu em medição de diversos valores nos instrumentos,foi 
instruído em como deveria utilizar os algarismos significativos nas medidas,no qual 
também incluem os valores estimados. Os algarismos significativos de um número são os 
dígitos diferentes de zero, contados a partir da esquerda até o último dígito diferente de 
zero à direita, caso não haja vírgula decimal, ou até o último dígito (zero ou não) caso 
haja uma vírgula decimal.Por último,foi feita uma observação sobre volume escoado e 
volume contido.O escoado é aquele que é feito, por exemplo,por bureta,pipetas,quando 
se quer um certo valor,enquanto o contido é aquele que permanece no instrumento,como 
béquer,balões volumétricos. 
 
 
II) Objetivos 
O objetivo da aula foi para que os alunos tivessem contato com o laboratório e suas 
normas de segurança,além da prática de medições e erros,no qual intuito foi apresentar 
os diferentes instrumentos de medição e,que,há erros,que podem ser devido a forma de 
utilização do aparelho,do próprio aparelho ou do método utilizado. 
 
III)Materiais e métodos 
a. Materiais utilizados 
Reagentes : Água destilada e Cloreto de sódio P.A 
Materiais:Balança,Balão volumétrico de 100 mL,Balão volumétrico de 250 
mL,Becker,Bureta de 25 mL,Espátula,Estufa,Funil,Garra,Pipeta graduada de 10 
mL,Pipeta volumétrica de 10 mL,Pipeta volumétrica de 25 mL,Pipetador 
automático,Pipetador manual (pêra),Pissete,Proveta de 50 ml,Suporte Universal e Vidro 
de relógio. 
b. Metodologia 
Os materiais foram pegos e organizados na bancada. O pissete,com água destilada,foi 
utilizado para pôr tal líquido no Becker.Com o Becker ,foi acrescentado um valor aleatório, 
na proveta de 50 mL.Primeiramente um volume inferior a 10 mL e após,um volume 
superior a 30 mL.Em seguida,com o pipetador manual (pêra), foi pipetado na pipeta 
graduada de 10 mL, um valor acima do zero para assim o acertar. Depois, foi escoado um 
volume abaixo de 5 mL, transferindo para o outro Becker.Com o pipetador automático, foi 
pipetado e escoado um valor acima de 5 mL,realizando o mesmo processo de 
transferência anterior. Os valores foram aleatórios e anotados na tabela dada no roteiro. 
Com as pipetas volumétricas,de 10 mL e 25 mL,foi procedido de maneira semelhante à 
pipeta graduada.Acertando o valor de transferência,o volume escoado foi transferido para 
o Becker .Após,em um balão volumétrico de 100 ml,foi acrescentado um pouco de 
água,depois,uma ponta de espátula de NaCl, até esse ser dissolvido,acrescentando água 
até o traço de referência.O mesmo procedimento foi realizado com o balão volumétrico de 
250 mL. Foi utilizado um funil na segunda medição, para acrescentar água do pissete 
para o balão. 
Para utilização da bureta de 25 mL,foi necessário fixá-la em um suporte universal,com a 
garra . Foi escoado até preencher totalmente a parte inferior daquela,para,logo em 
seguida,acrescentar água ate acima do zero para só assim acertar o traço de referência. 
Foi escoado para o Becker um volume aleatório, um abaixo de 5 mL e,depois, acima de 
20 mL. Os valores foram preenchidos na tabela. 
Em seguida,foi pesado em vidro de relógio,um valor aleatório abaixo de 1 g e 
depois,acima de 10 g de NaCl.Deve se ligar a balança ,aguardar,colocar o vidro de relógio 
em cima e apertar “TARE”,para que seja medido somente a quantidade de sal. Os valores 
foram anotados. Por último,foi feita a porcentagem peso por volume de H2O2 na água 
oxigenada,que consistiu em calcular a anotar os valores de acordo com as medições 
dadas.A fórmula a seguir condiz à porcentagem de H2O2 na Água Oxigenada: 
 
VolumeKMnO4 x (KMnO4 (aq)) x M(H2O2) x 0,25 
 M(KMnO4) x volume H2O2 
 
Após todos os processos,foi lavado as vidrarias na pia,com água e detergente,e postos 
para secar.O processo de secagem depende do tipo de vidraria,os materiais volumétricos 
secam a temperatura ambiente e os demais,na estufa. 
 
c. Esquema de aparelhagem (ERRADO) 
 
Figura 1- Balança 
 
 
Figura 2 – Balões Volumétricos 
 
Figura 3 – Becker 
 
 
Figura 4- Bureta, com garra e suporte universal 
 
 
Figura 5- Espátula 
 
Figura 6- Estufa 
 
 
Figura 7 – Funil 
 
Figura 8 – Pipeta graduada 
 
 
 
 
 
Figura 9- Pipeta volumétrica 
 
Figura 10- Pipetador automático e Pipetador manual (pêra) 
 
Figura 11- Pissete 
 
Figura 12- Proveta e vidro de relógio 
 
IV. Resultado e discussão 
Em todas as atividades,os valores foram anotados na tabela

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.