A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
prova direito empresarial

Pré-visualização | Página 1 de 3

,
0
PERGUNTA 1
É sabido que ninguém é obrigado a se associar ou permanecer associado, este princípio constitucional é a base da regulamentação da dissolução societária, podendo essa se dar, de forma total ou parcial, mesmo que seja composta por apenas dois sócios. Neste sentido lê-se o Enunciado nº 17 da I JDC/CJF/STJ: “17. Na sociedade limitada com dois sócios, o sócio titular de mais da metade do capital social pode excluir extrajudicialmente o sócio minoritário desde que atendidas as exigências materiais e procedimentais previstas no art. 1.085, caput e parágrafo único, do CC.”
Enunciado nº 17 da I Jornada de Direito Comercial do Conselho da Justiça Federal do Superior Tribunal de Justiça.
Considerando o exposto, analise as assertivas que seguem.
I. A dissolução parcial da sociedade exige que se realize apuração de haveres e restitua o sócio retirante proporcionalmente ao investimento feito na composição do capital social.
II. Não poderá excluir o outro sócio aquele que possuir mais da metade do capital social, mesmo que haja comprovado risco a continuidade da atividade empresaria.
III. Dissolvendo-se parcialmente uma sociedade limitada composta por dois sócios, o remanescente terá 180 dias para reconstituir a pluralidade societária.
IV. Não recomposta a pluralidade societária da sociedade limitada dissolvida parcialmente deve-se extinguir a atividade econômica empresarial.
V. Havendo apenas dois sócios na sociedade limitada, a exclusão de um deles dispensa reunião ou assembleia especialmente convocada para esse fim.
A alternativa que indica todas as assertivas corretas é:
. II, III e IV
. III, IV e V
. I, III e V
. I, II e V
. I, II e III
1 pontos
PERGUNTA 2
“No direito empresarial, diz-se ultra vires o ato que extrapola o objeto social, ou seja, o que vai além dos limites (força) do contrato, para significar aquela situação de fato em que o representante legal da sociedade a obriga em atividade completamente diversa da declarada em seu objeto social. Diz-se, com razão, que o ato ultra vires corresponde ao uso abusivo do nome empresarial. Se o ato implicar ofensa a qualquer outra cláusula contratual, diz-se que há uso indevido do nome empresarial. Pela teoria do ato ultra vires, a sociedade não responde por atos extravagantes de seus representantes legais, independentemente da boa-fé do contratante. Pode anulá-los, restando aos terceiros de boa-fé ação em face do sócio que a obrigou em atividade comprovadamente estranha à declarada no contrato. À teoria do ato ultra vires opõe-se a teoria da aparência, em que a sociedade se obriga perante terceiros mesmo na hipótese de uso abusivo ou indevido de seu nome, assegurado o direito de regresso contra o sócio que praticou o ato ultra vires, salvo prova da má-fé do
terceiro contratante.”
Gusmão, Mônica. Lições de direito empresarial. 12. ed. rev., atual. e ampl. Rio de Janeiro: Forense, 2015, p. 478 e 479.
Ante ao exposto, se os sócios numa sociedade limitada verificarem que o Administrador tem praticado atos contrários a lei e/ou ao ato constitutivo da sociedade (contrato social), poderão:
. exigir que o Administrador renuncie seu cargo e restitua os valores que houver percebido a título de pro labore.
. demitir o Administrador por justa causa retendo o valor devido pela rescisão trabalhista, considerando tratar-se de causa de rescisão indireta do contrato de trabalho.
. destituir o Administrador de suas funções retendo o montante devido pela rescisão antecipada do vínculo contratual.
. converter o Administrador em sócio da sociedade limitada para então expulsá-lo do quadro societário na forma da lei.
. destituir o Administrados de suas funções e, conforme o caso, exigir compensação pelos danos causados por meio de processo judicial.
1 pontos
PERGUNTA 3
Numa aula de direito empresarial o professor explicou a turma que as sociedades limitadas são sociedades de natureza jurídica hibrida, ou seja, são tão sociedades de pessoas quanto sociedades de capitais, concomitantemente, podendo pender um pouco mais para uma tendência ou para outra conforma o fim para a qual foi constituída. Inclusive por isso, as quotas, representativas de frações do capital social, possuiriam também natureza jurídica dividia em duas características sendo elas tanto de:
. direito patrimonial quanto de direito societário
. de direito pessoal quanto de capitais
. fato quanto de direito
. direito pessoal quanto hereditárias
. direito patrimonial quanto de direito pessoal 1 pontos
PERGUNTA 4
Além da desconsideração da personalidade jurídica outras duas teorias incidem sobre as questões societárias: a teoria ultra vires e a teoria da aparência. Esta última
é mencionada no enunciado nº 11 da I JDC/CJF/STJ, segundo o qual: “A regra do art.1.015, parágrafo único, do Código Civil deve ser aplicada à luz da teoria da aparência e do primado da boa-fé objetiva, de modo a prestigiar a segurança do tráfego negocial. As sociedades se obrigam perante terceiros de boa-fé”.
Enunciado nº 11 da I Jornada de Direito Comercial do Conselho da Justiça Federal do Superior Tribunal de Justiça.
Considerando os termos postos, assinale a alternativa que se reporta corretamente à teoria da aparência.
. A Teoria da Aparência autoriza a suspensão dos efeitos do registro do ato constitutivo da pessoa jurídica sempre que seus sócios ou administradores valerem- se da autonomia da pessoa jurídica para auferirem vantagens patrimoniais pessoais.
. Os Administradores devem responder perante a sociedade por seus atos, sempre que esta for solicitada a arcar com danos e prejuízos sofridos por terceiros com quem contratar, visando resguardar a aparência austera que se anseia verificar nas instituições.
. De acordo com a Teoria da Aparência, a sociedade deve responder perante seus credores, mesmo que tenha publicizado seus atos constitutivos e consequentes alterações contratuais, salvo comprovada má-fé do terceiro.
. De acordo com a Teoria da Aparência é essencial que se proteja a sociedade dos atos praticados por seus sócios e administradores, especialmente quando estes puderem prejudicar terceiros de boa-fé e impedir o bom andamento dos negócios sociais.
. A despeito do que dispõe a Teoria da Aparência os credores da sociedade, especialmente consumidores prejudicados, devem exigir compensação pelos danos e prejuízos suportados diretamente daqueles que o praticaram.
1 pontos
PERGUNTA 5
Um dos elementos essenciais a composição societária é a consolidação do capital social, neste sentido, lê-se: “O capital social, [...] corresponde ao montante de contribuições dos sócios para a sociedade, a fim de que ela possa cumprir seu objeto social. O capital social deve ser sempre expresso em moeda corrente nacional, e pode compreender dinheiro ou bens suscetíveis de avaliação pecuniária (bens móveis, imóveis ou semoventes, materiais ou imateriais).”
RAMOS, André Luiz Santa Cruz. Direito empresarial. 7ª ed. rev. e atual. Rio de Janeiro: Forense; São Paulo: Método, 2017, p. 303.
Neste sentido, pode-se afirmar como correto que:
. O patrimônio da sociedade se constitui com o capital social.
. As quotas dos sócios são frações do patrimônio da sociedade.
. O capital social é o núcleo do patrimônio da sociedade.
. Na dissolução da sociedade os sócios partilham o capital social.
. As obrigações da sociedade são sanadas pelo capital social. 1 pontos
PERGUNTA 6
“Comercial. Recurso especial. Dissolução integral e liquidação de sociedade por quotas de responsabilidade limitada. Pedido de sócios minoritários. Argumentos que conduzem, no máximo, à dissolução parcial, com a saída dos dissidentes e apuração dos haveres. Improcedência da pretensão. 1. Julga-se improcedente o pedido de dissolução integral e liquidação da sociedade se requerido por sócios minoritários sem razões robustas, que demonstrem no mínimo o desvio da finalidade social. 2. A estes sócios, insatisfeitos com a administração da sociedade, assiste o direito de
retirada, com a devida apuração de haveres”

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.