A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
prova direito empresarial

Pré-visualização | Página 3 de 3

sócios resolvam suprir o valor da quota.
É clara a legislação (art. 1004 e 1058 CC) com relação ao que se deve pagar ao sócio excluído da sociedade limitada por não integralizar o pagamento total das quotas que subscreveu: nesse caso, haverá o direito do sócio remisso de receber da sociedade o valor que integralizou parcialmente das suas quotas. Os sócios remanescentes poderão, ao seu turno, descontar juros de mora e despesas; não se aplicando à hipótese, por conseguinte, a regra do artigo 1031.
A restituição pura e simples é corolário da compensação dos interesses individuais postos em jogo: não se poderia cogitar na apuração de haveres à sócia excluída com base na situação patrimonial da sociedade à data da exclusão (art. 1031 CC), se esta não lhe deu a contribuição patrimonial limitada a que se obrigou, agindo não como sócia, mas como investidora arrependida
O ‘dano emergente da mora’, ao qual se obriga à sócia remissa, decorre do não pagamento das contribuições estabelecidas no contrato social. Como no caso o contrato social estabeleceu que o saldo devido pela sócia excluída deveria ser
integralizado ‘em parcelas e de conformidade com o fluxo de caixa a ser estabelecido para a edificação do shopping Center’; os juros de mora deverão ser computados sobre a importância correspondente aos aportes necessários ao andamento da obra até outubro/2005 e não sobre a importância total faltante para integralização do capital social.
Tocante ao dies a quo para o cômputo dos juros, há que ser provida a presente insurgência recursal, determinando-se a sua incidência a partir de 07.12.2005; aí considerados os trinta dias subsequentes à data da contra notificação de f. 85/87, já que não consta dos autos a data em que a sócia excluída recebeu a notificação de f. 74/78.
(TJPR, Apelação Cível n. 877523-3, 17ª Câmara Cível. Relator Desembargador Lauri Caetano da Silva. Publicado em 08/08/2012).
A jurisprudência citada trata de situação de sócio inadimplente com as quotas subscritas no termos constantes no contrato social. Considerando o raciocínio posto analise as assertivas que seguem.
I. É licito às sociedades limitadas adquirirem quotas dos sócios remissos.
II. A situação do remisso tem que se resolver nos termos da lei das sociedades por ações.
III. A quota do remisso pode ser adquirida por outros sócios.
IV. A exclusão do remisso não prescinde a devolução do que houver pago.
V. A quota do remisso pode ser transferida a terceiro.
A alternativa que indica todas as assertivas corretas é:
. I, II, IV e V
. II e IV
. Apenas a I
. I, III e V
. III, IV e V
1 pontos
PERGUNTA 10
“É juridicamente possível reduzir o capital registrado (artigo 1.082 do Código Civil), ou seja, descapitalizar a sociedade, passando o valor correspondente para outras rubricas de sua escrituração, inclusive os lucros a serem distribuídos entre os sócios. Essas deliberações pode decorrer do fato de os sócios considerarem o capital social excessivo em relação ao objeto da sociedade. A redução também pode decorrer da existência de perdas irreparáveis, desde que o capital esteja totalmente integralizado. Em ambos os casos, contudo, faz-se indispensável uma correspondente modificação do contrato, a exigir aprovação de sócios que
titularizam ao menos 75% do capital social (artigos 997, III, 1.071, V e 1.076, I), sendo
devidamente levado a Registro correspondente.”
MAMEDE. Gladston. Direito societário: sociedades simples e empresárias. 10ª ed. rev. e atual. São Paulo: Atlas, 2018, p. 228.
A despeito dos sócios serem, eventualmente, reembolsados por valores proporcionais à redução, deve-se também:
. reduzir proporcionalmente o valor nominal das quotas ou reduzir o número das quotas.
. cancelar as quotas dos sócios que tiverem integralizado tempestivamente.
. amortizar o investimento feito pelos sócios na integralização das quotas.
. transformar a sociedade limitada em pequena empresa.
. converter as quotas integralizadas em subscritas.