A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Semiologia do Abdômen

Pré-visualização | Página 2 de 2

(antibióticos)? Viagens 
recentes? Fatores de risco para 
imunossupressão? 
Intestino delgado-aquosa, frequentes, restos 
alimentares. 
Colo ou reto-pequeno volume, tenesmo, 
podendo ter muco ou pus. 
 
Constipação intestinal - pelo menos duas das 
condições abaixo: 
-menos de 3 defecações por semana; 
-25% ou mais das defecações com esforço ou 
sensação de defecação incompleta (tenesmo); 
-fezes em síbalos ou duras; 
-necessidade de facilitação manual 
*fecaloma 
 
 
Semiologia em Clínica Médica 
 
Melena – fezes pretas e pastosas semelhantes a 
piche ou borra de café, com odor fétido. 
-Hemorragia digestiva alta (acima do 
ângulo de trás- é o fim do duodeno/do 
esôfago, estomago ou duodeno) 
Hematoquesia – fezes com coloração 
avermelhada 
-Hemorragia digestiva baixa (jejuno, íleo, 
colón, reto) 
Sangue na superfície das fezes ou no papel 
higiênico: doença hemorroidária 
 
Icterícia: coloração amarelada da pele e 
escleróticas 
Sinais e sintomas associados: 
-Coloração da urina: colúria (coloração 
castanho-amarelada escura ou cor de chá) 
-Coloração das fezes: acolia fecal (cinzentas ou 
claras) 
-Prurido cutâneo 
 
Sistema urinário 
Dor suprapúbica: distúrbios da bexiga, como 
infecção vesical. *Cistites 
Disúria: dor a micção / sensação de ardência / 
queimação 
Urgência urinária: desejo de urinar 
extremamente intenso e imediato 
Polaciúria: micção frequente e anormal 
Hiperplasia benigna da próstata: homens 
com obstrução parcial do fluxo urinário – 
esforço miccional; redução do calibre e 
força do jato urinário ou gotejamento. Tem 
compressão, onde a próstata comprime a 
uretra prostática. 
Poliúria: aumento significativo do volume 
urinário – superior a 3 litros 
Nicturia: aumento da frequência urinaria a 
noite – mais que uma vez 
Incontinência urinária: eliminação 
involuntária de urina 
Hematúria: existência de sangue na urina 
Urgeincontinencia: paciente sai correndo, mas 
não consegue segurar. 
 
Dor renal: é do tipo visceral, provocada 
geralmente pela distensão da capsula renal – 
surda vaga e constante. 
Dor de origem ureteral: intensa e tipo cólica 
Pielonefrite aguda: dor renal / febre / calafrio – 
infecção urinária alta. Esta associada ao sinal 
de Giordano (punho percussão). 
 
 
 
Exame físico abdominal 
Sequência do exame: 
1) Inspeção 
2) Ausculta 
3) Percussão 
 4) Palpação 
 
 
Pontos de referencia: 
 
Órgãos que podem ser palpados: 
 
 
Semiologia em Clínica Médica 
 
 
Inspeção 
Estática 
 Pacientes posições ortostáticas (ficar em 
pé com abdômen exposto- da sínfise 
púbica até o processo xifoide) e 
decúbito dorsal. 
 Tipos de abdome: plano, globoso, 
abental, gravídico, ascitico. 
 Abaulamentos, retrações, cicatrizes. 
 Pele e anexos 
 Turgência venosa ou circulação 
colateral – cabeça de medusa 
 
Dinâmica 
 Hérnias (importância da inspiração e 
expiração forçada) 
 Respiração 
 Movimentos peristálticos 
 Pulsações (ex: dilatação aneurismática) 
 Manobra de Valsava (realizada ao se 
exalar (emitir ou lançar fora de si.) 
forçadamente o ar contra os lábios 
fechados e nariz tapado, forçando o ar 
em direção ao ouvido médio se a tuba 
auditiva estiver aberta). 
Tipos de cicatrizes abdominais: 
 
 
Ausculta 
É para escutar os ruídos hidroaéreos em um 
abdômen normal. 
• Ambiente tranquilo 
• Permanência por 2 minutos 
• Recomenda-se executar a ausculta antes 
da palpação para evitar aumento 
involuntário do peristaltismo. 
• Fazer ausculta em todos os 4 
quadrantes PORÉM Tem um local, no 
QID, que tem mais ruídos hidroaéreos 
devido a transição do intestino delgado 
para o intestino grosso, na junção íleo 
cecal: É IMPORTANTE COMEÇAR POR 
AQUI. 
 
Percussão 
Técnica 
Sequência 
O que é esperado: 
• Distribuição dos gases 
• Possíveis massas 
• Dimensões do fígado 
• Punho percussão 
• Esperado o som timpânico 
 
Traube 
Espaço de Traube 
Espaço semilunar do sexto ao décimo primeiro 
espaços intercostais, tendo como limites: 
gradeado costal, baço, pâncreas, cólon, rim e 
estômago. Normalmente quando percutido 
apresenta timpanismo. Próximo flanco 
esquerdo tem todos esses órgãos, é uma região 
virtual. A percussão nesse espaço é muito 
timpânica, pois tem muito ar. 
Quando ta timpânica -> espaço de traube livre. 
 
 
Semiologia em Clínica Médica 
 
 
Palpação 
 Superficial: perceber massa 
abdominal,se tem dor 
 Profunda (técnica deslizante): mãos 
sobrepostas ou uma do lado da 
outra. 
 
Fígado 
Percussão (hepatimetria): 
-6 a 12cm da linha hemiclavicular (lobo direito) 
-4 a 8cm da linha média esternal (lobo 
esquerdo) 
Começa do mamilo até perceber a mudança do 
som para maciço ou pode começar da linha 
umbilical ate perceber a mudança de som para 
maciço também. 
 
Palpação 
Técnicas: 
-Técnica de Lemos-Torres: a borda inferior do 
fígado fica palpável a cerca de 4cm abaixo do 
rebordo costal direito, na linha hemiclavicular, 
durante a inspiração. 
A borda de um fígado aumentado pode não ser 
percebida quando a palpação é iniciada em 
uma região muito alto do abdômen. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
-Técnica de Mathieu ou em garra 
 
Posições 
 
O apendicular localiza-se na união do terço 
externo, com os dois terços internos da linha 
que une a espinha ilíaca anterossuperior à 
cicatriz umbilical. A dor nesse ponto sugere 
apendicite aguda, especialmente quando há 
sinais de reação peritoneal. A compressão lenta 
da parede abdominal no ponto apendicular, 
seguida de descompressão brusca, produz dor 
no momento da descompressão quando há 
inflamação do peritônio (sinal de Blumberg). 
 
 
-Manobra de Schuster