A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
34 pág.
DIREITO ADMINISTRATIVO REVISÃO

Pré-visualização | Página 7 de 9

eivados de vício de 
legalidade, e pode revogá-los por motivo de conveniência ou oportunidade 
respeitados os direitos adquiridos. 
A (administração pública) + J (poder judiciário) ANULAÇÂO – VICÍO DE 
LEGALIDADE – EX TUNC (efeito que retroage) (se existe uma ato ilegal, tem que 
desfazer desde a origem) (ocorre a anulação quando existe um ato de ilegalidade) – 
ocorre a anulação de ofício – poder judiciário não atua no mérito do ato 
administrativo – não revoga o ato administrativo – somente anula o ato em caso de 
ilegalidade. Para que o Poder Judiciário venha a anular uma ato administrativo ele 
tem que ser provocado 
 A REVOGAÇÃO – INCOVENIÊNCIA OU INOPOTUNIDADE – EX NUNC ( 
anda do ato para frente – não retroage) ( a revogação ocorre quando a ato está 
legal, mas não está oportuno) (oportunidade = mérito do ato administrativo) (margem 
que a administração pública tem) 
Princípio da auto - tutela – a administração pública sem precisar do judiciário – ela 
pode rever seus próprios atos, pode anular ou revogar os seus próprios atos. 
MODALIDADES DE LICITAÇÃO 
Lei 8666/93 
Art. 22. São modalidades de licitação: 
I - concorrência; 
II - tomada de preços; 
III - convite; 
IV - concurso; 
 
 
 Sandra Mara Dobjenski 
V - leilão. 
Lei 10520/2002 
Art. 1º Para aquisição de bens e serviços comuns, poderá ser adotada a licitação 
na modalidade de pregão, que será regida por esta Lei. 
Há ainda a consulta (modalidade licitatória das Agências reguladoras) 
Tipos – critério de julgamento (quem irá ganhar a licitação) – menor preço, menor 
técnica, técnica e preço, maior lance ou oferta. 
 # 
Modalidades – processamento (como irá ser processada a licitação) – concorrência, 
tomada de preços, convite, leilão, concurso, pregão (lei 10520/2000) e consulta. 
Art. 22, § 1º Lei 8666 - Concorrência é a modalidade de licitação entre quaisquer 
interessados que, na fase inicial de habilitação preliminar, comprovem possuir os 
requisitos mínimos de qualificação exigidos no edital para execução de seu objeto. ( 
mais complexa modalidade de licitação – mais caras) (modalidade para 
quaisquer interessados que comprovem ter a capacidade de assinar contrato 
com a administração) (qualquer pessoa pode participar da concorrência desde 
que comprove que está habilitado) 
§ 2o Tomada de preços é a modalidade de licitação entre interessados devidamente 
cadastrados ou que atenderem a todas as condições exigidas para cadastramento 
até o terceiro dia anterior à data do recebimento das propostas, observada a 
necessária qualificação. (É utilizada para a celebração de contratos de obras, 
serviços e compra de menor vulto do que as que exigem concorrência) 
(modalidade entre cadastrados ou para quem não é cadastrado mas consegue 
até três dias antes do recebimento da proposta consegue comprovar a 
qualificação) 
§ 3o Convite é a modalidade de licitação entre interessados do ramo pertinente ao 
seu objeto, cadastrados ou não, escolhidos e convidados em número mínimo de 3 
(três) pela unidade administrativa, a qual afixará, em local apropriado, cópia do 
instrumento convocatório e o estenderá aos demais cadastrados na correspondente 
especialidade que manifestarem seu interesse com antecedência de até 24 (vinte e 
quatro) horas da apresentação das propostas. (instrumento convocatório = carta 
convite, que será enviada diretamente aos interessados) (cadastrados ou não – 
 
 
 Sandra Mara Dobjenski 
se os outros cadastrados conseguirem com 24 h de antecedência da proposta 
manifestar o interesse pode participar do processo de licitação) 
§ 4o Concurso é a modalidade de licitação entre quaisquer interessados para 
escolha de trabalho técnico, científico ou artístico, mediante a instituição de prêmios 
ou remuneração aos vencedores, conforme critérios constantes de edital publicado 
na imprensa oficial com antecedência mínima de 45 (quarenta e cinco) dias. 
§ 5o Leilão é a modalidade de licitação entre quaisquer interessados para a venda 
de bens móveis inservíveis para a administração ou de produtos legalmente 
apreendidos ou penhorados, ou para a alienação de bens imóveis prevista no art. 
19, a quem oferecer o maior lance, igual ou superior ao valor da avaliação. 
(Redação dada pela Lei nº 8.883, de 1994) 
 
Concorrência Quaisquer interessados 
Tomada de preços Cadastrados 
Quem consiga atender os requisitos em 
até (03 dias) antes da abertura da 
proposta. 
Convite Cadastros ou não 
Quem manifeste que quer do processo 
com (24 h) de antecedência. 
 
MODALIDADES DE INTERVENÇÃO NA PROPRIEDADE PRIVADA (modalidades 
restritivas) (restringem o direito de propriedade, mas não o retiram) 
1. Limitações Administrativas – restrições de ordem geral decorrentes do 
poder de polícia a TODOS imposta por intermédio de lei. Ex.: Carlos é 
proprietário de um terreno na área X no município Alfa. Carlos deseja 
construir um hotel cinco estrelas de 20 andares, ao solicitar a licença para 
construir foi informado pelo município que NÃO poderia construir prédio de 20 
andares naquela região da cidade. (DECORRE DO PODER DE POLÍCIA) 
*Objetivam a manutenção do bem comum decorrentes do poder de polícia. 
Estado NÃO indeniza nessa situação como REGRA geral – porque são 
limitações impostas a todos. 
 
 
 Sandra Mara Dobjenski 
*Exceção: Ex.: Carlos é dono do terreno deseja construir um hotel 05 estrelas – 
prédio de 20 andares – não há nenhuma lei limitando isto – Carlos comprou o 
terreno – passados 05 anos Carlos pede a licença para construir e é informado 
que não poderá edificar naquela área – essa área somente aceita 
empreendimentos empresariais – Carlos havia registrado no momento da 
compra do terreno a finalidade para qual ele estava comprando – que era a 
construção do hotel – 05 anos após veio uma lei municipal que passou a 
proibir a construção de prédios de mais de 20 andares – Carlos poderá pleitear 
uma indenização? PODERÁ, porque Carlos sofreu um dano concreto e 
desproporcional que acabou esvaziando ou limitando demasiadamente a 
utilização de seu direito de propriedade. Lei municipal veio posterior a compra 
do terreno – ato lícito do Estado – lei que ocasiona um dano concreto – nesse 
caso cabe indenização. NÃO ocorreria indenização se existindo a lei e Carlos 
compra o terreno depois da vigência da lei – ninguém poderá alegar o 
desconhecimento da lei. 
2ª exceção: João comprou um terreno de 6m X 6m e está esperando para 
construir a sua casa – terreno é de esquina – Carlos vai pedir autorização na 
prefeitura – o pedido foi negado – porque Carlos não pode construir a menos 
de 4 m de cada lado das ruas de maneira que se esvaziou o direito de 
propriedade de maneira a NÃO ficar ileso a indenização. (RECEBERÁ 
INDENIZAÇÃO). Carlos tomou conhecimento da lei e resolve vender o terreno a 
Paulo – Paulo vai pedir autorização a prefeitura – nesse caso Paulo não 
receberá indenização ao ter negado o direito de construção – porque a lei veio 
antes da compra. 
2. Requisição Administrativa – 
2.1. Em caso de iminente perigo público (situação mais tranquila) (Ex.: Policial 
que está perseguindo um bandido e fura o pneu da viatura, ele desce 
correndo – vem o João dirigindo – e o policial o manda parar – embarca 
no carro e segue em perseguição) a autoridade competente (qualquer 
agente público no exercício da função – autoexecutoriedade – não há 
necessidade de ordem ou autorização judicial – a própria administração 
 
 
 Sandra Mara Dobjenski 
pública poderá executar) poderá usar de propriedade particular garantida 
a indenização ulterior se houver dano. 
2.2. Calamidade Pública – perigo público agravado – perigo público 
acompanhado de paralisação ou ameaça a paralisação de serviços 
públicos. 
2.3. Comoção pública – abalo moral, psicológico em determinado espaço 
geográfico e social – choque – caso de comoção pública grave