A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Anatomia do Tórax

Pré-visualização | Página 1 de 1

• É a parte do tronco situada entre o pescoço e 
o abdome. 
• A cavidade torácica tem formatado de um cone 
truncado. A abertura superior é mais estreita 
do que a abertura inferior. 
1. Sendo a superior medindo 6,5 cm 
anteroposteriormente e 11 cm 
lateralmente; tem como limite 
superior a vértebra T1, lateral o 1 par 
de costela e anterior a margem 
superior do manúbrio. 
2. A abertura inferior tem formato 
irregular e não tem uma medição 
definida. Os limites são: posterior a 
vértebra XII, posterolateral o 11 e 12 
par de costelas, anterolaterais as 
cartilagens costais de VII a X e anterior 
a articulação xifoesternal. 
• A caixa torácica é formada pelas costelas e suas 
cartilagens, pelo esterno e pelas vértebras 
torácicas. 
• É dividida em 3 compartimentos: 
1. Mediastino: abriga as vísceras 
torácicas, exceto o pulmão. 
2. Cavidade pulmonar direita. 
3. Cavidade pulmonar esquerda. 
• Inclui a caixa torácica, os músculos, a pele, a 
tela subcutânea e as fáscias que revestem os 
músculos. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
• O formato rígido proporciona algumas 
funções: 
1. Proteger os órgãos internos. 
2. Resistir às pressões internas negativas 
geradas pela inspiração. 
3. Proporcionar a inserção de músculos. 
4. Absorção de choques e impactos. 
➢ 
• As costelas formam 12 pares. Elas são 
divididas: 
1. Costelas verdadeiras: da I a VII, são 
chamadas assim pois se ligam 
diretamente ao esterno. 
2. Costelas falsas: VIII, IX e X, a conexão 
com o esterno é indireta, pois suas 
cartilagens ligam-se com cartilagens 
sobrejacentes. 
3. Costelas flutuantes: XI e XII, não se 
ligam ao esterno. 
• Sofrem outra divisão: 
1. Típicas: III a IX. Tem a cabeça da costela 
cuneiforme com duas faces 
articulares; colo da costela; tubérculo 
da costela situado na junção do colo e 
do corpo; corpo da costela é fino, 
plano e curvo. 
2. Atípicas: as costelas I, II, X, XI e XII tem 
características diferentes que as 
classificam dessa forma, uma imagem 
abaixo vai mostrar bem essa diferença. 
Anatomia do Tórax 
 
Anatomia do Tórax Anatomia do Tórax 
 
 
 
 
• As cartilagens costais promovem uma 
elasticidade para a região. 
• As vértebras também são separadas em típicas 
e atípicas. A maioria são típicas e as principais 
características são: 
1. Fóveas costas bilaterais (hemifóveas); 
2. Fóveas costais dos processos 
transversos; 
3. Processos espinhoso longos. 
• As atípicas têm fóveas costais no lugar das 
hemifóveas: 
1. As fóveas costais de TI. 
2. TX tem apenas um par bilateral de 
fóveas costais. 
3. TXI e TXII também têm apenas um 
par bilateral de fóveas costais. 
 
• O esterno é um osso plano e alongado e 
protege boa parte do coração. Tem três 
partes: manúbrio, corpo e processo xifoide 
que são unidos por articulações 
cartilagíneas do tipo sincondroses. 
• O manúbrio é a parte mais larga e mais 
espessa do esterno e da pra ser facilmente 
palpável. 
• O corpo é mais longo e mais fino. Fica no 
nível das vértebras T V a T IX. 
• O processo xifoide é a parte final do 
esterno. Situa-se a nível T X é cartilagíneo 
e depois se ossifica com a idade. É um 
ponto de referência importante pois: 
1. Indica o limite inferior da cavidade 
torácica. 
2. É um marcador da linha mediana 
do limite superior do fígado, do 
centro tendíneo do diafragma e da 
margem inferior do coração. 
 
• Articulações costovertebrais: 
1. Articulações das cabeças das costelas: 
a cabeça da costela articula-se com a 
fóvea costal superior da vértebra 
correspondente de mesmo número, a 
fóvea costal inferior da vértebra 
superior a ela e o disco entre as duas 
vértebras. Ex: a cabeça da costela VI 
articula-se com a fóvea costal inferior 
da vértebra T VI, a fóvea costal inferior 
da vértebra T V e o disco entre as duas 
vértebras. 
2. Articulações costotransversárias: um 
ligamento costotransversário que liga 
do colo da costela até o processo 
transverso; um ligamento 
costotransversário lateral que liga do 
tubérculo da costela ao processo 
transverso; um ligamento 
costotransversário superior que liga a 
 
 
crista do colo da costela ao processo 
superior a ela. 
• Articulações esternocostais: 
1. O primeiro par de costela se articula 
com o manúbrio por meio de uma 
articulação sincondrose da primeira 
costela; 
2. Do 2 ao 7 par, se articulam com o 
esterno por meio de articulações 
sinoviais. 
 
 
 
• Os músculos são mais bem compreendidos por 
meios de imagens, vou apresentar os mais 
importantes e colocar várias imagens para que 
fique claro a compreensão da localização. 
• Músculo peitoral maior, peitoral menos, 
serrátil anterior atuam como auxiliadores na 
respiração. 
• Os músculos escalenos atuam como 
auxiliadores acessórios da respiração. 
• O serrátil posterior superior e o inferior, os 
levantadores das costelas, os subcostais e o 
transverso do tórax são os verdadeiros 
músculos da parede torácica. 
• Os músculos intercostais: externos, internos e 
íntimos. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
• Os 12 pares de nervos ao sair dos forames 
vertebrais, dividem-se em ramos anterior e 
posterior. 
➢ 
• Ramos comunicantes; 
• Ramos colaterais; 
• Ramos cutâneos laterais; 
• Ramos cutâneos anteriores; 
• Ramos musculares. 
➢ 
• Tem direções diferentes. 
• O primeiro nervo intercostal não tem ramo 
cutâneo anterior e as vezes não tempo lateral. 
 
• Parte torácica da aorta: artérias intercostais 
posteriores e subcostais. 
• Artéria subclávia: artéria torácica interna e 
intercostal suprema. 
• Artéria axilar: artéria torácica superior e artéria 
torácica lateral. 
 
 
 
 
 
• As veias intercostais acompanham as artérias e 
os nervos. 
• Há 11 veias intercostais posteriores e uma 
subcostal de cada lado. 
• As posteriores se anastomosam com as 
anteriores 
• Veia intercostal superior direita e esquerda. 
• Veias torácicas internas. 
 
 
 
 
• Gustavo Adryan – Medicina 
• MOORE, Keith L; PERSAUD, T.V.N (Vid); 
TORCHIA, Mark G. Embriologia Clínica. Edição 
10. Elsevier Editora Ltda, 2016.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.