A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Steel Frame - Desempenho, Construtibilidade e Desempenho

Pré-visualização | Página 1 de 2

ANÁLISE DA VIABILIDADE DO SISTEMA CONSTRUTIVO LIGHT 
STEEL FRAMING PARA A EXECUÇÃO DE CONJUNTOS 
HABITACIONAIS 
 
Aspectos relacionados a Desempenho, Construtibilidade e Sustentabilidade 
 
 
1. INTRODUÇÃO 
 
O Light Steel Framing (LSF) é um sistema construtivo estruturado em perfis de 
aço galvanizado formados a frio – isto é, não formados com o calor, mas sim com 
roletes e prensas. Tais perfis garantem o funcionamento de uma edificação, na medida 
em que são projetados para suportar cargas, além de trabalhar com outros 
subsistemas industrializados. 
 
Pode ser empregado nas mais diversas edificações, como residências, 
hospitais, hotéis, estabelecimentos comerciais, habitações de interesse social, entre 
outros. 
 
Quando comparado à alvenaria convencional, apresenta uma série de 
vantagens, dentre as quais se destacam: Flexibilidade, uma vez que apresenta poucas 
restrições aos projetos; além disso, é aberto, pois permite que sejam utilizados no 
projeto diversos tipos de materiais; tem maior sustentabilidade; é racionalizado, na 
medida em que otimiza a utilização de recursos e proporciona um maior controle de 
perdas; além do mais, possui melhor habitabilidade, pois possibilita uma maior 
parametrização e customização dos produtos a serem utilizados, conforme as 
necessidades previstas pelo usuário. Ademais, sua aplicação permite redução do 
custo da obra, uma vez que o tempo de fabricação e montagem das estruturas é 
otimizado, ao permitir a execução de diferentes etapas de forma simultânea. A Figura 
1 ilustra uma aplicação do sistema LSF. 
 
Figura 1: Estrutura em LSF. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fonte: PORTAL METÁLICA (2017). 
5 
 
Contudo, devido a questões culturais, principalmente de aceitação pelo usuário, 
edificações em Light Steel Framing sofrem certa rejeição. 
 
2. RACIONALIZAÇÃO E CONSTRUÇÃO 
 
O Light Steel Framing é um sistema construtivo industrializado que garante o 
princípio da construção enxuta, visando a racionalização construtiva. O uso de um 
sistema como o Steel Frame pode auxiliar na melhoria de processos na construção 
civil. (NOVAES et al, 2015). 
 
Para que a produção de uma edificação seja considerada racionalizada, é 
necessário que as empresas tenham a convicção de que todos os recursos estejam 
envolvidos, como: tecnologias e materiais, além das fases de planejamento, projeto e 
execução da obra. (FRANCO, 1996). 
 
Portanto, a gestão dos processos é necessária. 
 
3. SUSTENTABILIDADE 
 
No aspecto ambiental, o sistema LSF apresenta diversas vantagens, tais como: 
 
• Redução no consumo de combustíveis: Em função da leveza dos 
materiais, reduz-se as necessidades logísticas; 
 
• Preservação do solo: As cargas oriundas de uma construção em LSF 
são extremamente menores que as de uma em alvenaria convencional. 
Isso permite que, com o uso do sistema, sejam realizadas obras com 
segurança sem requerer fundações excessivamente profundas; 
 
• Economia de água: O consumo de água é reduzido no processo, por 
ser um método de construção “a seco”; 
 
• Economia de energia elétrica: O processo de construção com o 
sistema LSF não faz uso de equipamentos como betoneiras, 
maquinários de compactação e outros utensílios que consomem muita 
energia elétrica. Ademais, vale ressaltar que a fabricação dos perfis 
também consome uma baixa quantidade de energia frente a fabricação 
de outros materiais; 
6 
 
 
 
• Reciclagem e geração de resíduos: O aço, bem como todos os 
materiais usados no revestimento interno e externo são recicláveis em 
sua totalidade. Como também, as estruturas podem ser desmontadas e 
reaproveitadas. 
 
4. SISTEMA ESTRUTURAL 
 
O LSF é um “processo pelo qual compõe-se um esqueleto estrutural em aço 
formado por diversos elementos individuais ligados entre si, passando estes a 
funcionar em conjunto para resistir às cargas que solicitam a edificação e dando forma 
à mesma”. (FREITAS, 2006) 
 
O conceito estrutural do sistema “Light Steel Framing” é dividir as cargas em 
um maior número de elementos estruturais, sendo que cada um é projetado para 
receber uma pequena parcela de carga, o que possibilita a utilização de perfis 
conformados com chapas finas de aço. (JARDIM; CAMPOS, n. d.) 
 
Assim, diferente da alvenaria convencional, que possui a distribuição das 
cargas de forma pontual, o sistema LSF possui uma distribuição linear de cargas. 
 
5. DESEMPENHO 
 
Dentre os diferenciais da construção em Light Steel Framing, merecem 
destaque o desempenho térmico e acústico – que propicia conforto e qualidade ao 
ambiente. 
 
Um dos fatores responsáveis por este desempenho superior são as mantas de 
lã de vidro ou de poliéster instaladas no interior das paredes e no forro de toda a 
edificação. Estas mantas são fabricadas em material poroso, dotado de grande 
capacidade de absorção, o que reduz grandemente a propagação de som e calor 
entre ambientes. (FLASAN, 2014). A Figura 2 demonstra a instalação da lã de vidro 
em uma estrutura em LSF. 
7 
 
 
 
Figura 2: Instalação da lã de vidro em estrutura LSF. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fonte: FLASAN (2014). 
 
 
 
6. FUNDAÇÃO 
 
A fundação mais comumente utilizada em estruturas em Light Steel Framing é a do 
tipo Radier, uma laje em concreto armado leve e simples de executar, aplicável na 
maioria dos solos. Para terrenos com topografia mais acidentada, a fundação utiliza 
técnicas convencionais de engenharia, como muros de arrimo e estacas, que têm sua 
dimensão reduzida em função da leveza da edificação. (FLASAN, 2014) 
Após a fabricação dos painéis de aço, os mesmos são fixados à fundação através 
de chumbadores. (JARDIM; CAMPOS, n. d.). 
 
7. EXECUÇÃO 
 
 
Após efetivada a fundação, os painéis do sistema podem ser executados de 
duas maneiras diferentes: painéis estruturais montados no próprio canteiro de obras; 
ou a execução dos painéis na fábrica (ideal), onde, para se garantir estabilidade, 
utiliza-se contraventamentos e placas de fechamento estrutural. 
 
Para o fechamento interno das paredes, o gesso acartonado é o mais indicado. 
Sobre as placas de gesso podem ser aplicados revestimentos usuais, como cerâmica, 
pintura e textura. 
 
O revestimento externo também pode receber a aplicação dos materiais de 
acabamento, usualmente empregados, como pastilhas, rochas (mármore ou granito) 
ou, até mesmo, reboco com pintura. 
 
Atualmente existem revestimentos como o Siding Vinílico, que consiste em um 
material composto de PVC de fácil instalação que dispensa manutenção, e a Placa 
Cimentícia. A Figura 3 mostra um esquema de fechamento com placas cimentícias 
em uma estrutura em Steel Frame. 
 
Outro sistema de revestimento externo para o LSF é o sistema EIFS (Exterior 
Insulation and Finish System), que é um agregado de elementos (OSB, barreira de 
vapor, EPS, tela em fibra de vidro e argamassa elastomérica), que possui alto 
deesempenho térmico e acústico e acabamento final monolítico, liso e sem trincas. 
(FLASAN, 2014). A Figura 4 mostra um esquema de revestimento EIFS. 
A cobertura pode ser calculada para suportar qualquer tipo de telha, desde 
cerâmicas até telhas de aço. 
 
Figura 3: Esquema de fechamento com placas cimentícias em estrutura Steel Frame. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fonte: TÉCHNE (2008). 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Figura 4: Esquema de revestimento exterior EIFS. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fonte: ENGEKONS 
 
 
8. DISCUSSÃO 
 
Assim, devido ao baixo peso dos materiais empregados à forma de distribuição 
de cargas, no Light Steel Framing, constatou-se que a fundação representa entre 5% e 
7% do custo total da obra, enquanto que, no sistema construtivo convencional em 
alvenaria, a fundação reflete entre 10% e 15% do total para terrenos planos. 
Vale ressaltar que a diferença de custos se torna ainda mais expressiva para 
terrenos acidentados,