A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Verbos de ligação

Pré-visualização | Página 1 de 1

Verbos de ligação 
Têm a função de ligar o sujeito e suas características (predicativo do sujeito).
Os principais verbos de ligação são: ser, estar, permanecer, ficar, tornar-se, andar, parecer, virar, continuar, viver.
Exemplos:
· A plateia é toda jovem. (Verbo de Ligação)
· Hoje teremos casa cheia. (Verbo Transitivo)
· Não vou! (Verbo Intransitivo)
· 
 Estado permanente – representado pelos verbos ser, viver.
Estado transitório – verbos estar, andar, achar-se, encontrar-se. 
 Estado mutatório – verbos ficar, virar, tornar-se, fazer-se. 
 Estado de continuidade – verbos continuar, permanecer.
 Estado aparente – verbo parecer.
Predicativo 
termo que confere ao sujeito ou ao objeto uma qualidade, uma característica.
PREDICATIVO DO SUJEITO: termo que caracteriza o sujeito da oração.
PREDICATIVO DO OBJETO: termo que caracteriza o objeto direto da oração.
Predicativo do sujeito é o termo do predicado que tem a função de atribuir uma qualidade ao sujeito. 
Exemplos de predicativo do sujeito
· Eu estou feliz.
· Minha avó anda cansada.
· Nós somos só duas.
· Meu caderno é este.
Tipos de argumento
 Exemplificação
Na estratégia de exemplificação, você irá inserir e desenvolver um exemplo específico como foco principal do parágrafo, tendo o propósito de justificar a sua ideia. Esse exemplo deve ser, preferencialmente, de conhecimento geral.
 Enumeração
A enumeração é o segundo dos tipos de argumentos que abordaremos aqui. Nela, você deverá citar os vários argumentos que possui sobre o assunto, um a um, de modo a, literalmente, enumerar uma série de fatos que comprovam a relevância do que você está defendendo. 
Comparação
Ao desenvolver o parágrafo por comparação, duas ideias são apresentadas e ressaltam-se as semelhanças e/ou diferenças entre elas. 
Causas e efeitos
Muito comum como estratégia argumentativa, nesse modelo você apresenta os motivos, os porquês, as razões de um determinado problema acontecer e, em seguida, as consequências, os resultados e os desdobramentos.
Evolução histórica
Esse tipo de argumento envolve cronologia, ou seja, tempo e espaço. Você precisa saber abordar um fato histórico referente ao assunto em pauta, com datas, locais e fatos ocorridos. 
Contraposição
Aqui você pode contestar uma ideia, por exemplo, afirmando como algo acontece e em seguida dizendo o porquê de não funcionar. Podem ser mostradas duas perspectivas diferentes sobre um mesmo argumento, denotando um contraste de opiniões.
Artigo de opinião 
O artigo de opinião é um gênero argumentativo, ou seja, é um tipo de texto que defende um ponto de vista por meio de argumentos.
Estrutura
Por ser um texto argumentativo, o artigo de opinião apresenta três partes fundamentais:
· Introdução com tese
Os parágrafos iniciais de um artigo de opinião costumam ser reservados para apresentar o assunto abordado e, além disso, o ponto de vista defendido pelo autor. Chamamos esse ponto de vista de tese.
· Desenvolvimento com argumentação
Uma vez que a tese é apresentada na introdução do artigo de opinião, é esperado que, nos parágrafos intermediários — também chamados de desenvolvimento —, apresentem-se argumentos que comprovem o ponto de vista.
· Conclusão
A conclusão de um artigo de opinião costuma apresentar uma síntese do desenvolvimento do texto e, em seguida, reiterar a tese, agora comprovada pelos argumentos.
Efeito de sentido dos verbos de ligação 
Os verbos de ligação indicam um estado, modo, sentimento e apontam para uma caracterização. Ou seja, os verbos de ligação são pontes entre o sujeito e o predicativo (atribui característica ao sujeito). Eles são estudados na Gramática da Língua Portuguesa e devem estar acompanhados do predicativo do sujeito na oração.
Artigo de opinião 
Como começar o artigo de opinião
A melhor maneira de começar um artigo de opinião é, antes de tudo, desenvolvendo um planejamento e um projeto de texto. Planejando e projetando antes de escrever, é muito provável que a composição resulte-se clara, coerente e bem fundamentada. Veja, no próximo tópico, um passo a passo de como escrever o artigo de opinião.
Regência verbal
Regência verbal é a parte da língua que se ocupa da relação entre os verbos e os termos que se seguem a eles e completam o seu sentido. 
Como ocorre a regência verbal?
Conforme o próprio nome já indica, a regência verbal trata da relação de subordinação entre um verbo e outro termo, sendo este o complemento e/ou a preposição.
→ verbo + complemento
· Os alunos tinham boas notas.
· Ele adorava dirigir o próprio carro.
· Você terminou o projeto?
Crase 
Crase é um dos metaplasmos por supressão de fonemas a que as palavras podem estar sujeitas à medida que uma língua evolui. 
Quando não usar crase?
· Antes de substantivos masculinos:
· Antes de verbos:
· Antes da maior parte dos pronomes:
· Nota: Antes de alguns pronomes pode ocorrer crase.
· Em expressões com palavras repetidas, mesmo que essas palavras sejam femininas:
· Antes de palavras femininas no plural antecedidas pela preposição a:
Variação linguística 
Variação linguística é o movimento comum e natural de uma língua, que varia principalmente por fatores históricos e culturais. 
As variações linguísticas diferenciam-se em quatros grupos: sociais (diastráticas), regionais (diatópicas), históricas (diacrônicas) e estilísticas (diafásicas). Para aqueles que se preparam para o Enem, trata-se de um dos assuntos com maior incidência nas provas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias.
Crase II
A crase (`) serve para evitar a repetição a + a nas situações em que precisamos utilizar “a”, com a função de vogal, juntamente com “a”, com a função de preposição (a + a = à).
Regência nominal 
Regência Nominal é a maneira de um nome (substantivo, adjetivo e advérbio) relacionar-se com seus complementos.
Na gramática e na teoria linguística, regência se refere à relação entre a palavra e seus dependentes.
Complemento nominal 
Complemento nominal é o termo da oração que é ligado a um nome por meio de uma preposição, completando o sentido desse nome (substantivo, adjetivo ou advérbio)