A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Tecido conjuntivo frouxo e denso

Pré-visualização | Página 1 de 1

Tem diversas funções. Uma delas é preencher o espaço entre as 
células. Fornece rigidez, resistencia e pressão pois sua matriz 
possui fibras. Ótimo meio de difusão para gases e substancias por 
conta do meio liquido. Também é bom para as células transitórias, 
tendo cada matriz sua particularidade. 
É uma mistura complexa (incolor e transparente) altamente hidratada de moléculas 
aniônicas (glicosaminoglicanos e proteoglicanos) e glicoproteinas. Responsável por 
preencher o espaços entre as células e fibras do tecido conjuntivo, e como é viscosa 
atua como lubrificante e barreira à penetração de micro-organismos invasores. 
Quando adequadamente fixada para análises histológicas, seus componentes se 
agregam e precipitam nos tecidos como um material granular. 
O tecido conjuntivo frouxo suporta estruturas normalmente sujeitas a pressão e 
atritos pequenos . É um tipo muito comum que preenche espaços entre grupos de 
células musculares, suporta células epiteliais e forma camadas em torno de vasos 
sanguíneos. É também encontrado nas papilas da derme, na hipodérmica, nas 
membranas serosas que revestem as cavidades peritoneais e pleuras e nas glândulas.
O tecido conjuntivo frouxo contêm todos os elementos estruturais típicos do tecido 
conjuntivo propriamente dito, não havendo, entretanto, nenhuma predominância de 
qualquer dos componentes. As células mais numerosas são os fibroblastos e 
macrófago, mas todos os outros tipos celulares do tecido conjuntivo também estão 
presentes, além de fibras dos sistemas colágeno e elástico. O tecido conjuntivo 
frouxo tem uma consistência delicada. É flexível, bem vascularizado e não muito 
resistente a trações.
Ex: células musculares, papilas da derme, hipodérmica, membranas serosas e 
glândulas. Também suporta células epiteliais e forma camadas em torno de vasos 
sanguíneos. 
O tecido conjuntivo denso é adaptado para oferecer resistencia e proteção 
aos tecidos. É formado pelos mesmos componentes encontrados no tecido 
conjuntivo frouxo; entretanto, existem menos células e uma clara 
predominância de fibras colágenas. 
O tecido conjuntivo denso é menos flexível e mais resistente à tensão que o 
tecido conjuntivo frouxo.
Quando as fibras colágenas são organizadas em feixes sem uma orientação 
definida, o tecido chama-se denso não modelado. Nele, as fibras formam 
uma trama tridimensional, o que lhes confere certa resistência às trações 
exercidas em qualquer direção. Esse tipo de tecido é encontrado, por 
exemplo, na derme profunda da pele. 
O tecido denso modelado apresenta feixes de colágeno paralelos uns aos 
outros e alinhados com os fibroblastos. Trata-se de um conjuntivo que 
formou suas fibras colágenas em resposta às forcas de tração exercidas 
em um determinado sentido. Nesse caso, os fibroblastos, em resposta a 
forcas que normalmente atuam sobre os tecidos, orientam as fibras que 
produzem de modo a oferecer o máximo de resistencia a tais forças.
Os tendões representam exemplo típico d conjuntivo denso modelado. São 
estruturas alongadas e cilíndricas que conecta os músculos estriados aos 
ossos. Em virtude de sua riqueza em fibras colágenas, os tendões são 
estruturas brancas e inextensíveis. São formados por feixes densos e 
paralelos de colágeno separados por pouca quantidade de substancia 
fundamental amorfa. As células do tendão podem ser classificadas 
morfologicamente como fibrócitos, uma vez que contêm núcleos alongados 
paralelos às fibras de colágeno e citoplasma delgado com poucos 
prolongamentos, os quais frequentemente envolvem feixes de colágeno. 
24103 ateeidoronjuntiuo propriamenteaita
matrizestranha westenraafunaramentaheamorepou
traidoramentecomo
t rap da mãomodulada
tecidoconjuntivofrouxa
e- e p do d. nomeada